MENU

18/05/2022 às 09h11min - Atualizada em 18/05/2022 às 09h11min

Papa Francisco canoniza quatro “Marias” neste fim de semana

Da Redação
ACI Digital
Da esquerda para a direita: Maria Domenica Mantovani, Anna Maria Rubatto, Maria de Jesus Santocanale, Marie Rivier | Domínio Público

   
Vaticano - O papa Francisco celebrou neste domingo, 15, a cerimônia de canonização na qual foram canonizadas quatro fundadoras de ordens religiosas que têm o nome da Virgem Maria, além de outros beatos.
 

Marie Rivier

Quando a Revolução Francesa obrigou o fechamento de conventos e mosteiros em toda a França e padres e freiras foram martirizados sob o Reinado do Terror, esta francesa de 28 anos fundou em 1796 a Congregação das Irmãs da Apresentação de Maria, dedicada à educação de jovens na fé.

A congregação recebeu aprovação oficial em 1801 e se espalhou por toda a França.

A freira lutou durante grande parte de sua infância com uma deficiência que fazia suas articulações incharem e seus membros encolherem. Ela tinha dificuldades para ficar de pé, mesmo com muletas, segundo a Congregação para as Causas dos Santos da Santa Sé.

Seus problemas de saúde também dificultaram sua entrada na vida religiosa, mas Rivier perseverou e ajudou a educar mulheres desempregadas em sua paróquia antes de fundar sua congregação.

Poucas décadas depois de sua morte, em 1838, as Irmãs da Apresentação de Maria se espalharam pelo Canadá e Estados Unidos. Hoje as irmãs estão nos cinco continentes.


Anna Maria Rubatto (Maria Francisca de Jesus)

A beata madre Francisca Rubatto foi uma missionária fundadora do século XIX que atravessou o Oceano Atlântico sete vezes de navio para fundar a Congregação das Irmãs Capuchinhas, uma ordem de irmãs capuchinhas que fundou no Uruguai, Argentina e Brasil.

A freira italiana, nasceu na província de Turim em 1844 e chamava-se Anna Maria Rubatto. Perdeu a mãe aos quatro anos e o pai aos 19.

Ela trabalhou como servente e cultivou uma profunda espiritualidade, visitando uma igreja diariamente para rezar, mas só descobriu sua vocação aos 40 anos.

Um dia, ao sair de uma igreja, ouviu os gritos de um pedreiro que havia sido ferido por uma pedra que caiu do andaime em sua cabeça. Irmã Maria ajudou a lavar e curar suas feridas. Ela descobriu que o prédio em que estava trabalhando era um convento. O frade capuchinho que supervisionava a construção convidou-a a se unir como membro fundador e depois como primeira superiora da Congregação das Irmãs Capuchinhas Terciárias de Loano.

Em apenas sete anos, madre Maria viajou para a América Latina para fundar novas casas à medida que sua ordem religiosa crescia. Hoje, as Irmãs são conhecidas como Irmãs Capuchinhas de Madre Rubatto e estão presentes na Eritreia, Etiópia, Quênia e outros países da América Latina, Europa e África.
 

Maria Domenica Mantovani

Maria Domenica Mantovani foi a primeira superiora geral da Congregação das Irmãzinhas da Sagrada Família, que ela cofundou em 1892, aos 29 anos, para servir aos pobres, órfãos e doentes.

Servindo como superiora geral da ordem por mais de 40 anos, madre Mantovani escreveu as constituições da ordem e supervisionou a abertura de numerosos conventos.

Quando ela morreu em 1934, as Irmãzinhas da Sagrada Família tinham crescido para 1,2 mil irmãs em 150 conventos na Itália e no exterior.
 

Maria de Jesus Santocanale

Madre Maria de Jesus fundou a Congregação das Irmãs Capuchinhas da Imaculada de Lourdes na Sicília em 1910.

Nascida em Palermo em 1852, Carolina Santocanale sentiu desde cedo o desejo de consagrar-se a Deus apesar da vontade do pai. Sob a orientação espiritual do padre Mauro Venuti, ela discerniu dedicar sua vida às obras de caridade com os pobres em vez de entrar no claustro.

Aos 32 anos, começou a ter problemas de saúde significativos. Uma forte dor nas pernas fez com que ela ficasse de cama por mais de um ano. Depois da doença, abraçou uma espiritualidade franciscana ainda mais radical.

Depois de fazer seus primeiros votos aos 39 anos, ela passava a maior parte de seu tempo livre em frente ao sacrário. Supervisionou a fundação de um orfanato e uma creche, e promoveu muitas vocações ao sacerdócio e à vida consagrada.

Hoje, as Irmãs de Madre Santocanale estão presentes na Albânia, Brasil, Itália e Madagascar.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »