MENU

04/05/2022 às 17h13min - Atualizada em 04/05/2022 às 17h13min

Ciranda pela vida marca dez anos da Luta Antimanicomial

Evento foi realizado na Avenida Beira Rio

Luana Barros com a colaboração de Paula de Társsia
AscomITZ
A Luta antimanicomial faz lembrar que como todo cidadão estas pessoas têm o direito fundamental à liberdade, a viver em sociedade, além de receber cuidado e tratamento - Foto: AscomITZ/Patrícia Araújo
 
A Prefeitura de Imperatriz, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), inicia o mês de maio com a Campanha da Luta Antimanicomial, com a realização da Ciranda pela vida, na manhã desta quarta-feira, 04 de maio, na Avenida Beira Rio. Evento marca os dez anos de conquistas na luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental, com lema:
#manicômionuncamais:somoslivres!
Campanha objetiva o combate à ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos tratamentos.  A Luta Antimanicomial faz lembrar que como todo cidadão estas pessoas têm o direito fundamental à liberdade, a viver em sociedade, além de receber cuidado e tratamento sem que para isto tenham que abrir mão de seu lugar de cidadãos.

“Precisamos lembrar dessa evolução na forma de tratamento de pessoas com transtornos mentais, agora focado no respeito à dignidade ao paciente. Foram abolidas as instituições produtoras de exclusão social para um modelo de inserção social. Para marcar esse mês de luta, iniciamos com uma ciranda”, disse o Alberto Clézio, coordenador da Rede Municipal de Saúde Mental.

O coordenador explica ainda o porquê essa atividade foi escolhida para iniciar a programação da Luta Antimanicomial em Imperatriz. “A ciranda é uma confraternização cheia de simbolismo social. Todo mundo dá as mãos, na maior harmonia, satisfação e alegria, sem preconceito. Aqui temos uma força muito grande, uma sintonia que fortalece os vínculos emocionais e sociais, além de fortalecer a alma”, pontua.

Para o secretário municipal de Saúde, Alcemir Costa, este é um momento de relembrar as conquistas e reafirmar o nosso compromisso de a cada dia melhorar ainda mais os atendimentos na rede pública municipal. “Temos uma rede bem estruturada que atende aos mais diversos transtornos no Ambulatório de Saúde Mental, nos CAPS (Renascer, Infanto-juvenil e de Álcool e Drogas) e Residências Terapêuticas. Trabalhamos para a humanização do tratamento e prestando suporte necessário ao bem-estar de pessoas com sofrimento metal, inseridas na comunidade, bem como aos familiares”.

Após a Ciranda, houve uma caminhada pelas principais ruas da cidade, saindo da Avenida Beira Rio até a Praça de Fátima.

Atendimento - Em casos de urgência psiquiátrica, pode ser acionado o SAMU (192), ou Corpo de Bombeiros (193), para realizar o transporte seguro para avaliação clínica no Hospital Municipal de Imperatriz, HMI, ou nas Unidades de Pronto Atendimento, UPA, com posterior encaminhamento ao CAPS, caso seja necessário. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »