MENU

28/04/2022 às 13h43min - Atualizada em 29/04/2022 às 00h00min

“Coringa”, raça Sindi ganha espaço entre os criadores brasileiros

Com aptidão para corte e leite, raça adaptou-se muito bem ao clima tropical brasileiro

SALA DA NOTÍCIA Júlio Vieira
Arquivo CRV

A CRV, uma das líderes no mercado de inseminação artificial na pecuária brasileira, amplia o seu portfólio de touros da raça zebuína Sindi, acompanhando o crescimento da demanda desse curioso nicho de mercado da pecuária nacional. A empresa, que entre seus touros Sindi já conta com o campeão Radesh-J França, melhor touro nacional da raça, trouxe agora do Nordeste o animal Condado-P, aumentando sua bateria. Em seu catálogo Sindi, a CRV possui ainda o touro Famoso Porangaba, um animal de 4 anos, que vende bastante dentro da bateria, cujo seu PTA LEITE 116 kg de leite. 

Segundo dados obtidos junto à Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA), a raça Sindi representa menos de 1% das vendas brasileiras de sêmen bovino. Entre janeiro e setembro de 2021, totalizou 73.676 doses. Mas é um volume que aumenta ano a ano e vem atraindo uma base de clientes cada vez maior. “Uma das razões do interesse pelo Sindi é a característica de coringa da raça: sua dupla aptidão permite que ela seja usada tanto para o corte quanto para o leite”, explica Antônio Garcia, gerente de produto Leite Tropical da CRV. E embora historicamente no Brasil o Sindi esteja muito mais presente no corte, o processo de seleção de touros para o leite está avançando e já notamos crescimento de interesse neste setor.”  

Outro fator que começa a atrair pecuaristas é que ela é a raça bovina de maior adaptabilidade ao clima tropical brasileiro, principalmente em regiões mais secas, como o Nordeste. “A raça vem de uma região muito quente e escassa de comida, o Paquistão. Assim, quando submetida a um bom manuseio, com acesso à alimentação correta, os animais respondem muito bem em qualidade de casco, qualidade da carne, qualidade do leite e alto rendimento de carcaça”, explica ele. 

Animal de bela pelagem marrom avermelhada, esses animais apresentam porte médio-pequeno, mas oferecem uma conversão alimentar muito forte. Ou seja, comem menos e convertem mais, melhorando o retorno do investimento do produtor, seja no corte, seja no leite. “A CRV comercializa muitas doses de Sindi. Temos reforçado nossa bateria com touros cada vez melhores, sempre buscando nos principais criatórios do Brasil, no sentido de fortalecer nosso portfólio com os touros, tanto para corte, quanto para leite”, garante.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »