MENU

11/04/2022 às 11h40min - Atualizada em 18/04/2022 às 00h01min

Match Connect SemeAr seleciona startups para piloto com produtores rurais de São Miguel Arcanjo

Iniciativa conduzida pelo CPQD e AgTech Garage tem como objetivo oferecer um marketplace digital para comercialização de produtos agrícolas sem intermediação

SALA DA NOTÍCIA Pedro Carvalho

Campinas, 11 de abril de 2022 -  Para os pequenos e médios produtores rurais de São Miguel Arcanjo, no interior de São Paulo, a intermediação na cadeia de comercialização é um dos principais desafios enfrentados na hora de vender seus produtos - basicamente, uvas, abobrinha, pimentão e outros hortifruti. É esse desafio que as startups Muda Meu Mundo, Sumá e Amachains deverão ajudar a superar com as soluções selecionadas no Match Connect SemeAr, iniciativa de inovação aberta conduzida pelo CPQD e AgTech Garage, que conta com a parceria de várias entidades do setor agro e, também, de investidores.

As três startups apresentaram suas propostas no Pitch Day, realizado no dia 30 de março, e foram escolhidas pela banca de avaliação para validar suas soluções em um piloto com produtores rurais que integram o Distrito Agro Tecnológico (DAT) de São Miguel Arcanjo. Baseado no conceito de “super fazenda digital”, o DAT funciona como um núcleo para a interação com os produtores rurais nos projetos implantados dentro da iniciativa SemeAr, que tem como objetivo acelerar a transformação digital do agronegócio brasileiro por meio do desenvolvimento de soluções tecnológicas destinadas a atender demandas reais do setor, com ênfase nos pequenos produtores e na agricultura familiar.

Em São Miguel Arcanjo, o DAT começa atendendo uma área geográfica com cerca de 330 produtores rurais de pequeno e médio porte, que enfrentam dificuldades para comercializar seus produtos a um preço justo - embora alguns deles tenham clientes diretos, como mercados e feirantes, a grande maioria esbarra em intermediários para chegar ao consumidor final. “Foi para enfrentar esse desafio que as startups inscritas no Match Connect SemeAr apresentaram suas propostas de solução”, afirma Fabricio Lira Figueiredo, gerente de desenvolvimento de negócios em Agronegócio Inteligente do CPQD. “A proposta do desafio é colocar à disposição desses produtores rurais soluções de  marketplace digital que proporcionem autonomia para que eles possam negociar preços e vender seus produtos sem intermediação”, explica.

Além da interação direta com os compradores finais, as startups inscritas no desafio precisaram atender outros requisitos, como oferecer um modelo de negócios orientado a pequenos produtores e já em operação no mercado, com pagamentos de forma eletrônica pelos compradores e garantias de recebimento pelos vendedores e diferentes opções de logística para entrega dos produtos, entre outros. 

A escolha das soluções mais adequadas às necessidades dos produtores rurais do DAT de São Miguel Arcanjo foi feita por uma banca formada por representantes das entidades parceiras nessa iniciativa: CPQD, EMBRAPA, Instituto Agronômico de Campinas (IAC), Instituto de Economia Agrícola (IEA), Casa de Agricultura e FAESP/SENAR de São Miguel Arcanjo, APL Agrotech e os investidores AgroVen e Gávea Angels. A fase de validação das soluções escolhidas pelos produtores locais começa neste mês de abril e irá até junho, quando será realizado o Demo Day.

Para integrar essas soluções à infraestrutura de serviços de fazenda inteligente disponíveis no DAT, serão utilizadas plataformas e componentes tecnológicos desenvolvidos pelo CPQD. Entre eles, destacam-se a plataforma aberta dojot, para a integração dos dados de aplicações de Internet das Coisas, a plataforma de Inteligência Artificial PlatIAgro e a plataforma Blockchain, que permite a rastreabilidade de produtos, além de recursos de interação inteligente.

Estas são as soluções selecionadas no Match Connect SemeAr:

  • Muda Meu Mundo - Plataforma desenvolvida para conectar pequenos produtores (e agricultores familiares) com o varejo, com rastreabilidade e acesso a dados relacionados à sustentabilidade (ESG). Nasceu em Fortaleza, em 2019, e hoje atua nos estados do Ceará e de São Paulo, tendo quase 300 produtores rurais na plataforma e vários supermercados entre os clientes (https://www.mudameumundo.com.br/
  • Sumá - A startup, de Santa Catarina, desenvolveu uma plataforma destinada a aproximar agricultores familiares, cooperativas e associações de produtores de clientes finais como restaurantes, hotéis, escolas, hospitais, entre outros. Atua na capacitação do agricultor, no seu alinhamento às exigências dos compradores e, ainda, no fornecimento de informações reais do campo (https://appsuma.com.br/)
  • Amachains - Desenvolveu a plataforma Agrochains, que combina marketplace e gestão de rastreabilidade com blockchain para cadeias produtivas do agronegócio e bioeconomia. Atualmente, a plataforma é utilizada por 81 produtores rurais, a maioria de agricultura familiar (https://amachains.com/)

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »