MENU

06/04/2022 às 15h15min - Atualizada em 06/04/2022 às 23h10min

A comunicação do agro está preparada para o Metaverso? Seja como for, ele já chegou.

Comitê da ABMRA discutiu a entrada da tecnologia no agronegócio

SALA DA NOTÍCIA
Texto Comunicação
“Vista seu avatar e interaja num universo de novas possibilidades. Metaverso, o futuro chegou”. A ABMRA (Associação Brasileira de Marketing Rural e do Agronegócio) escolheu um tema inovador para a primeira reunião do renovado Comitê de Agências. A iniciativa reuniu agências de marketing, comunicação, digital e publicidade entre associadas e convidadas para ouvir Flavio Machado, CEO da Pixit, uma produtora de projetos Metaverso.

“Bem-vindos à web 3.0”, disse Flavio, que abordou um tema que era tabu, e torna-se cada vez mais usual e, diz ele, se transformará em realidade muito rapidamente. “Se você ainda não está nesse mundo, estará em breve”, assinala.

O Metaverso representa espaços coletivos imersivos de realidade virtual que oferecem experiências únicas aos usuários, como em um universo paralelo, mas sem limitações do mundo físico ou réplicas dele.

Ficou complicado? É só entrar na fazenda Basf (https://bit.ly/3wKuexX), da Basf, empresa associada da ABMRA, que criou um mundo virtual para mostrar suas soluções, de maneira lúdica e interativa, para os agricultores. A iniciativa foi e está sendo um sucesso, com acessos na casa das dezenas de milhares.

Há muito mais exemplos que mostram a atenção das empresas ao Metaverso. Afinal, como disse Flavio Machado, as possibilidades são imensas, possibilitando “interação desde o campo, acompanhando o plantio e todas as fases da cultura. Também é possível participar de feiras, permitindo entrar e interagir nos estandes e criar o seu avatar, o metahumano, modelo gráfico em 3D com as características e prontuário para ajudar a encontrar soluções para o seu negócio”.

Este é o “figital”, que une os mundos físico e digital em uma imersão fantástica, que promete direcionar os rumos da comunicação. “A comunicação do agro caminha para o digital, mas tem características próprias”, destaca o presidente da ABMRA, Ricardo Nicodemos. Ele reconhece a importância que o digital ganhou nos últimos anos no marketing, porém destaca que o Brasil é muito grande e diverso e é preciso tempo para os agricultores e criadores, público-alvo principal das empresas, se familiarizarem e se conectarem às novas tecnologias. “A 8ª Pesquisa Hábitos do Produtor Rural ABMRA, que consultou mais de 3 mil agricultores e criadores de 15 estados em plena pandemia, identificou que a idade média dos produtores é de 46,5 anos e que somente 10% têm superior completo. Outro exemplo: 71% dos produtores entrevistados destacam o rádio como uma mídia importante para se atualizarem. A mensagem é que quando falamos de Agro precisamos levar em conta as regiões, portes e tipos de produção para traçarmos planos de divulgação e construção da marca”. Ou seja: o mix de comunicação é o melhor caminho a seguir.

Fernanda Ibañez, diretora do projeto Comitês da ABMRA, destaca a importância de mostrar essa realidade às empresas. “O Metaverso está batendo na porta, mas em muitos casos é perfeitamente adequado trabalhar a comunicação com várias ferramentas, on e off-line, que, em conjunto, se tornam a melhor solução para determinada necessidade”, diz.

Os Comitês da ABMRA pretendem dar ainda mais atenção à forma como os elos da cadeia do Agro se comunicam. O propósito é reforçar a missão da ABMRA, que é contribuir para o fortalecimento do marketing e da comunicação no Agro.

“A proposta é ter debates como fontes de conteúdo atualizado para beneficiar todos os envolvidos. Promover essa experiência aos nossos associados é vantajoso para todos. São mais cabeças pensando e contribuindo com diferentes soluções”, completa Fernanda Ibañez.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »