MENU

30/03/2022 às 16h10min - Atualizada em 01/04/2022 às 00h01min

Romance de estreia da indiana Shobha Rao deixa em evidência a exclusão social feminina e a busca pela amizade verdadeira como salvação

Qual é a chave de um mundo incerto e precário?

SALA DA NOTÍCIA Dedicata Comunica
Divulgação


Considerado pela crítica internacional como presente para os fãs de Elena Ferrante, com uma prosa capaz de captar as nuances e a intensidade de duas melhores amigas às vésperas de se tornarem adultas num mundo incerto e precário, O brilho do sol que invadiu a nossa casa, publicado em português pela LeYa Brasil, é reconhecido internacionalmente como um romance poderoso e comovente, com duas heroínas como exemplos de forças encontradas nas situações mais terríveis.

De todas as condições que promovem a exclusão social no mundo, há uma que é mais decisiva e muito mais difícil de ser “superada”: ser mulher. Se esse simples fato ainda pode colocar, em pleno século XXI, mulheres maduras que tiveram acesso à educação, têm trajetórias profissionais bem-sucedidas e vivem em grandes centros urbanos do mundo em situações de extrema violência, que dirá duas adolescentes numa aldeia rural da Índia.
Os homens que são pais, maridos, filhos, irmãos, precisam ser impactados por essa desigualdade estrutural apresentada em todo o mundo. O brilho do sol que invadiu a nossa casa chega com a promessa de não deixar o leitor impune à essa exclusão social.

Neste romance, Poornima e Savitha ainda não se conhecem, mas têm as mesmas três características fundamentais contra elas: são pobres, têm muitos sonhos que querem realizar e ... nasceram mulheres. Após a morte da mãe, Poornima fica cuidando da casa e de seus irmãos mais novos, à espera de que seu pai consiga lhe encontrar um pretendente que o livre do fardo de ter uma filha mulher. Savitha é ainda mais pobre que Poornima e, já que não há mesmo nada a perder, ela toma a vida em suas próprias mãos e acaba se tornando uma garota alegre, curiosa, independente e perspicaz. As meninas se tornam amigas, tecem juntas na charkha, a roda de fiar, e desejam escapar do que o destino lhes reserva: um casamento arranjado e a maternidade em série.

De repente, a aldeia isolada onde as duas moram já não parece tão claustrofóbica assim, e elas começam a imaginar que há um mundo possível, para além de todos os limites e restrições que lhes são impostos. O que elas ainda não sabem é que a crueldade se esconde em todos os recantos desse mesmo mundo que elas tanto desejam abraçar.

Narrada numa prosa lírica, bela e, ao mesmo tempo, arrebatadora, a história de Savitha e Poornima é uma ode à capacidade humana de sobreviver e de manter o sonho vivo apesar de todas as adversidades.

Sobre a autora

Shobha Rao emigrou da Índia para os Estados Unidos com apenas sete anos e, desde pequena, gostava de escrever as histórias que lhe vinham à cabeça. Trabalhou durante anos numa organização de apoio a mulheres vítimas de violência doméstica, onde aprendeu lições valiosas sobre a resiliência e a generosidade.

Shobha colocou a história de Savitha e Poornima no papel em apenas dois meses de uma devoção intensa às suas personagens. Mas, levou quinze anos para lapidá-la e, enfim, publicá-la, porque, segundo ela, "eu devia a essas duas meninas, antes de mais nada, aprender a escrever como uma escritora".

O brilho do sol que invadiu a nossa casa
Págs: 384
Formato: 15,5 X 22,5 X 2,2 cm
Preço: R$ 40,00
Preço de e-book: R$ 28,00

Assessoria de Imprensa
Andrea Drummond – [email protected] / 24 9 8824-151

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »