MENU

28/03/2022 às 21h30min - Atualizada em 28/03/2022 às 21h30min

Soldado da Força Tática e mais três são denunciados por assassinato de policial em Gurupi

Segundo MPTO, grupo extorquia pequenos agricultores e ameaçava moradores

Da Redação - TO
Com informações - CCOM/MPTO
Momento em que o policial civil foi morto a tiros - Foto: Divulgação
 
O Ministério Público do Tocantins (MPTO) apresentou denúncia contra quatro pessoas pelo homicídio do policial civil Jean Carlos Teixeira da Fonseca, ocorrido em 11 de março, em uma boate de Gurupi.

Um dos denunciados reside na Bahia, dois no Goiás e um em Gurupi, sendo o último policial militar da Força Tática. Conforme a denúncia, os quatro costumavam agir como um bando armado, extorquindo pequenos agricultores do Estado e ameaçando moradores de Gurupi.

Os denunciados são Diego Dourado Silva, Cleuzio Dourado Silva, Cristiano Sousa Silva e Rafael Menez Dutra (soldado da PMTO).

A denúncia do Ministério Público relata que, no dia do homicídio, o grupo chegou à boate por volta de 2h30. Cerca de meia hora depois, eles tiveram uma discussão breve e banal com Jean Carlos, o que motivou o crime. Com armas que portavam de forma ilegal, os denunciados atiraram na cabeça da vítima. Depois, ainda subtraíram a arma do policial civil morto.

O bando foi preso quando estava em fuga para a Bahia, momento em que trasportavam várias armas.

Eles foram denunciados por homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima e pela causa de perigo comum, já que os tiros colocaram em risco a vida das várias pessoas presentes no local. Também foram denunciados pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo, furto e associação criminosa. A somatória das penas pelos quatro crimes pode ultrapassar 40 anos de reclusão.

A denúncia do Ministério Público é fundamentada em vídeo, em depoimentos e na confissão de um dos denunciados.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »