MENU

15/03/2022 às 21h49min - Atualizada em 15/03/2022 às 21h49min

Prefeitura de Guaraí “deporta” venezuelanos para Imperatriz

38 pessoas, entre elas 8 crianças, receberam passagens para o município maranhense

Assessoria
Venezuelanos acampados em Guaraí - Foto: Divulgação
 
A Prefeitura de Guaraí, na região norte do Tocantins, atendeu  com alimentação no jantar, café da manhã e almoço, 38 venezuelanos que chegaram ao município no último sábado (12). Os estrangeiros desde então, estiveram acampados em uma área ao lado do Terminal Rodoviário. Nesta segunda-feira (14), partiram para a cidade de Imperatriz (MA), beneficiados com passagens adquiridas pelos programas sociais da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Segundo a secretária de Assistência Social de Guaraí, Maria José Ferreira Cursino, dos 38 venezuelanos, oito são crianças. “Assim que soubemos da chegada dos imigrantes, fomos conferir em que situação de vulnerabilidade se encontravam. Eles estão de passagem pelo município e devem partir para o Maranhão”, explicou a gestora da pasta.

As principais cidades do Tocantins, como Palmas e Araguaína, estão recebendo muitos imigrantes venezuelanos nos últimos anos.

Crise na Venezuela

Atualmente a Venezuela vive uma das piores crises nas áreas da política, humanitária e econômica desde 2013, como o aumento da inflação que já ultrapassou mais de um milhão, falta de comida, as sanções econômicas dos Estados Unidos, fome, a ditadura.

No início de 2019 as coisas começaram a piorar, quando o presidente da Venezuela Nicolás Maduro entrou em guerra contra o ex-presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, que se autodeclarou presidente interino do país ganhando não só apoio da oposição como também de uma boa parte internacional.

Por conta de toda essa crise, cerca de quatro milhões de venezuelanos fugiram da Venezuela. Dentre os países que mais receberam refugiados venezuelanos, cinco estão na América do sul, são eles: Colômbia, Peru, Equador, Brasil e Argentina.

As últimas eleições presidenciais da Venezuela foram realizadas em 2018. Sob a acusação de fraude no pleito, os principais partidos da oposição se negaram a concorrer e Maduro venceu.

Em 23 de janeiro de 2019, Guaidó se autoproclamou presidente interino diante de uma multidão em uma praça da capital Caracas. A maior parte da oposição também boicotou as eleições legislativas de 6 de dezembro de 2020. Guaidó era presidente da Assembleia Nacional desde 2015. O venezuelano foi substituído nas últimas eleições legislativas, que ele não reconhece.

Embora nunca tenha assumido o comando do país, o líder oposicionista chegou a ser reconhecido como presidente interino por quase 60 países, incluindo o Brasil.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »