MENU

03/03/2022 às 19h29min - Atualizada em 03/03/2022 às 19h29min

Com menor custo e curta duração, ensino técnico garante rápida inserção no mercado de trabalho

Egressos do SENAI relatam experiências na carreira técnica e posições de trabalho conquistadas no setor industrial

Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA
Eu praticamente morei no SENAI, comentou sorrindo o técnico em Eletromecânica da indústria Suzano, Orcy Rocha Bandeira Junior - Foto: Divulgação
 
SÃO LUÍS –
Orcy Rocha Bandeira Junior, abraçou todas as oportunidades da carreira técnica ao concluir o curso Técnico em Eletromecânica no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), em Imperatriz. Ainda no ensino médio, o jovem conta que ingressou na entidade e, ainda como aprendiz, conseguiu o primeiro emprego na área de mecânica, na construtora multinacional OAS. Logo depois, passou a integrar o time da indústria Suzano Papel e Celulose, como operador de produção. Atualmente, já concluindo o curso superior em Engenharia Mecânica, Orcy conquistou a progressão salarial e conseguiu mudar de função ao compor o time de operador de usinagem. 

 “Eu praticamente morei no SENAI”, conta ele sorrindo. “Sempre quis pegar essa bagagem na carreira técnica para depois ingressar no superior. Hoje, vejo que foi muito válido, pois pude crescer profissionalmente, conquistar a independência financeira para agora concluir a faculdade. A carreira técnica influenciou e continua a me influenciar. Hoje, penso em continuar estudando para alcançar novas oportunidades”, conta o jovem. 
 O maranhense Orcy, 26 anos, é um dos sete em cada dez egressos de cursos técnicos do SENAI que estão empregados no Brasil. Os dados constam na pesquisa de acompanhamento de egressos 2019/2021, que mostrou que a empregabilidade e o aumento na renda dos alunos permanecem, mesmo com a pandemia. 

 Um outro estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) aponta que as melhores oportunidades surgem para alunos formados pela instituição, sinalizando que houve acréscimo de 22,7% na média salarial dos trabalhadores que fizeram cursos técnicos.  

 Empregado no setor industrial há mais de 20 anos, Micheully Lima, 41 anos, tem uma vida pautada na carreira técnica. “Conheço muitos profissionais com curso superior desempregados e bons técnicos que estão no mercado de trabalho ganhando o mesmo salário de quem fez graduação. Acho que tudo é uma questão de escolha. O curso técnico abre um leque muito grande de oportunidades”, disse o encarregado de manutenção da Maranhão Indústria de Couros, em Imperatriz 

 Micheully revela que quando entrou no SENAI, já tinha o curso técnico na área de eletricidade, mas na entidade do Sistema FIEMA teve a chance de se aperfeiçoar em diferentes áreas do segmento de manutenção, que mudaram o rumo da sua carreira. “No SENAI, eu estudei tornearia, hidráulica pneumática, eletricidade predial e residencial, aproveitei todas as oportunidades que tive. Sem o SENAI, certamente eu não estaria onde estou, os cursos me colocaram em uma posição melhor e mais estratégica na empresa”, afirmou.  

 PERTO DA INDÚSTRIA – Atualmente, no Maranhão, o SENAI possui oito unidades fixas localizadas em São Luís (duas), Imperatriz, Bacabal, Rosário, Balsas, Açailândia e Caxias e oito móveis nas áreas de Panificação (duas), Vestuário, Tecnologia da Informação, Automação, Soldagem, Refrigeração e Construção Civil. Com essa estrutura, reúne o conhecimento necessário para ajudar as empresas maranhenses a se adequarem rumo à indústria 4.0 e a experiência de qualificar profissionais, que se formam, como os exemplos acima, com mais chances no mercado de trabalho.  

 O diretor regional do SENAI, Raimundo Arruda, ressalta a importância da oferta de cursos técnicos estar alinhada à vocação econômica e às oportunidades de trabalho do Maranhão. “É nosso papel, como instituição de ensino que trabalha em prol da competitividade da indústria, estar sempre um passo à frente, antecipando cenários e as tendências do mundo do trabalho por meio de pesquisas e do diálogo com as indústrias”, afirma o diretor regional do SENAI, Raimundo Arruda. “E um país como o nosso, com taxas de desemprego muito altas, que alcançam quase em 30% os jovens de 18 e 24 anos, o SENAI continua oferecendo uma formação que desenvolve no aluno as competências técnicas e comportamentais exigidas pelo mercado de trabalho, proporcionando assim a sua empregabilidade”, completou o professor. 

 Somente em 2021, o SENAI-MA efetuou mais de 38 mil matrículas, entre cursos técnicos, de qualificação, iniciação e aperfeiçoamento profissional, presenciais e a distância. 

 Os interessados em estudar no SENAI podem ter acesso a lista de cursos disponíveis acessando a loja do Mundo SENAI no endereço  https://loja.mundosenai.com.br/ma/ ou se dirigindo, presencialmente, aos centros de educação profissional e tecnológica da entidade no Maranhão. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »