MENU

17/02/2022 às 17h11min - Atualizada em 18/02/2022 às 00h01min

Assistente virtual com IA identifica problemas de conectividade antes que os usuários reclamem

Solução correlaciona os dados técnicos e monta mensagens objetivas em linguagem natural descrevendo o contexto das falhas e possíveis problemas

SALA DA NOTÍCIA Ademir Morata
https://www.cylk.com.br/
O crescimento da telemedicina e a forte expansão dos serviços em redes hospitalares por causa da pandemia transformaram a sustentação da estrutura de conectividade num dos maiores desafios para o crescimento deste segmento. Desta forma, o setor se transformou também no principal usuário do Marvis, um assistente virtual que monitora os vários elementos da rede, analisa os logs, resume tudo em uma história e propõe a solução. A Inteligência Artificial faz a correlação automática dos logs dos equipamentos, com a identificação de potenciais problemas antes mesmo que ocorram.

A experiência de uso do Marvis é semelhante a ter uma conversa por chat com um técnico experiente. Por exemplo, em vez de mergulhar na sopa de números dos access points e dos switches, recebe a mensagem “a conexão wi-fi em determinado local caiu três vezes e eu achei uma porta mal configurada no switch de acesso”.

Suporte amigável com fundamentação técnica pesada

Para traduzir problemas complexos em mensagens de fácil entendimento e dicas de rápida execução, o Marvis trabalha sobre os mecanismos avançados de análise da MIST, a solução de gestão e autogestão inteligente de redes da Juniper Network. Mais do que automatizar o monitoramento dos equipamentos, a MIST correlaciona os logs (os relatórios técnicos de cada elemento) e faz uma análise ampla, para identificar a causa ou o risco de problemas. Em condições estáveis de operação, a Inteligência Artificial pode ainda sugerir otimizações, para melhorar a experiência do usuário ou reduzir custos.

Eduardo Yuki, consultor da CYLK Technologing, conta que o Marvis foi levado aos clientes do setor de saúde para fazer com que os investimentos em tecnologia de qualidade se traduzam em qualidade de serviço percebida pelo usuário final. “Um grupo hospitalar pode tomar decisões certas em relação à infraestrutura de switches e outros elementos da rede. Contudo, sabemos que, na prática, às vezes deixamos passar um ‘botãozinho’ no painel de configuração, o que pode causar problema ou não proporcionar o melhor desempenho possível”, reconhece. “A Inteligência Artificial não apenas examina cada equipamento, como também analisa a operação de vários elementos em conjunto”, esclarece.

Assistente virtual, técnico e cliente falando do mesmo assunto

O sistema de gerenciamento de rede baseado em inteligência artificial é capaz de enxergar os eventos fim a fim, com um monitoramento que vai do núcleo da rede ao dispositivo do usuário. Ou seja, é capaz de identificar o problema prático - como a demora ou a falha para responder ao clique no aplicativo - e destrinchar todo o trajeto do serviço até identificar a provável causa.
O Marvis permite que o gerenciamento técnico da rede se traduza no que interessa - que o serviço seja entregue com performance e qualidade.
Além de trazer uma biblioteca de modelos de análise e políticas de alerta, que resolve a maioria dos problemas recorrentes, a plataforma é capaz de aprender com os eventos e soluções encontradas no dia a dia do suporte.
Para a CYLK Technologing, a nova tecnologia é importante não apenas para alavancar o ROI (retorno de investimento) da rede, mas também para reduzir os contratempos e riscos em novas instalações. “A conectividade tem um papel central na transformação digital e, neste caso, na escala, eficiência e qualidade dos serviços de saúde. Os profissionais de tecnologia têm muito o que fazer para esse movimento acontecer. Com automação e inteligência artificial, além de tirar o máximo da tecnologia, liberamos o tempo das pessoas para o que fazem melhor”, observa o consultor da CYLK.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »