MENU

15/02/2022 às 11h51min - Atualizada em 15/02/2022 às 18h10min

UNIÃO PARA ALAVANCAR A PROTEÍNA

Diante de um ano desafiador, Instituto Ovos Brasil reforça importância de ações, visando geração de emprego, renda e alimento: “Temos aproximadamente 5 mil granjas no Brasil e o nosso empenho é que todas continuem produzindo”, destaca Edival Veras

SALA DA NOTÍCIA Instituto Ovos Brasil
https://www.ovosbrasil.com.br/ovos-brasil-informa/uniao-para-alavancar-a-proteina/
IOB
Por:
Valeria Campos

[email protected]

 
2021 para o setor de ovos não foi o melhor dos cenários. Segundo o presidente do Instituto Ovos Brasil (IOB), Edival Veras de Barros, a atividade vive momentos difíceis e fechou o ano no vermelho, com altos custos, especialmente influenciados pelos preços dos grãos e câmbio: “As produções seguiram durante todo o ano com folga e o mercado, que sempre é soberano, não conseguiu remunerar o produtor de ovos em todas as regiões do Brasil”.

Esse contexto de desafios, por sua vez, não é de hoje e há tempos vem se arrastando no setor. Isso porque, de acordo com Edival, infelizmente a atividade tem colhido grandes prejuízos ao longo dos anos. O que se viu nesse período foi uma redução de alojamentos, com média de 10%, o que não foi suficiente para enxugar totalmente as ofertas.
Por outro lado, a atividade comemora alguns avanços, diz Edival. Nos últimos anos, o setor de postura assistiu a evoluções na área de genética, nos equipamentos e na ambiência – o que elevou a produtividade, porém “não conseguiu trazer margem positiva para o produtor”, contrapõe o presidente do IOB.

Ainda assim, apesar dos desafios dentro da porteira, o consumo da proteína teve avanço significativo no Brasil. Quando olhamos os números de 2007, ano que o IOB nasceu, há uma nítida subida dos gráficos. Na época, o País tinha uma média de 120 ovos por hab/ano e em 2021, segundo os dados da ABPA, o setor atingiu a marca de 262 ovos por hab/ano.

PROJEÇÃO DE OVOS
(FONTE: ABPA/SECEX)



Além do aumento do consumo, as exportações também foram beneficiadas. Essa ampliação em ambos pontos da cadeia é reflexo dos esforços vindo do IOB e ABPA que, juntos, se dedicam a criar campanhas para promover a imagem e o consumo da proteína animal no Brasil e lá fora. Especialmente sobre as iniciativas internacionais, o projeto setorial Brazilian Egg é mantido pela ABPA em parceria com a Apex-Brasil com o objetivo de divulgar, junto ao mercado internacional, os produtos brasileiros.

Por meio da participação em feiras, realização de workshops e outras ações especiais de promoção comercial, os projetos valorizam os atributos do setor produtivo, como a qualidade, status sanitário e a sustentabilidade, fomentando novos negócios para os exportadores brasileiros. Em 2021, o principal destino da proteína animal foi o Emirados Árabes, seguido do Japão e Catar.


EXPORTAÇÃO DE OVOS
PRINCIPAIS DESTINOS EM VOLUME EM JAN-NOV 2021














Engajando as campanhas internas, o IOB, que completa 15 anos de história em 2022, tem realizado diversas ações para fomentar o consumo doméstico. Conforme destaca Edival, os esforços do instituto refletiram na conscientização dos consumidores e profissionais de saúde sobre a importância da proteína animal no cardápio dos brasileiros: “São muitas campanhas nas redes sociais, em congressos médicos e nas reportagens em rádio, revistas, jornais e na televisão, mas sabemos que precisamos fazer muito mais”.

Para somar essas ações, o IOB conta com a participação de associados para fomentar as campanhas nacionais e, assim, ampliar o consumo e maior valorização do ovo. “Atingimos a média mundial, mas sabemos que pela própria orientação da OMS, podemos avançar para 365 ovos per capita/ano. E, portanto, para alcançar esse número, precisamos ampliar as campanhas com o apoio de mais associados. E mais, é importante que tenhamos responsabilidade com o mercado, ofertando o produto, sem excedentes e sem faltas, para que o ovo tenha preços mais justos, tanto para o consumidor quanto para o produtor”, realça Edival.

Essa máxima se torna ainda mais importante diante do atual contexto. Em 2021, os preços dos grãos foram impactados pelo câmbio e pela pandemia, o que elevou os custos de produção do setor, afetando o planejamento e os resultados de todos os avicultores. “Devido ao ciclo longo da atividade, infelizmente ainda não conseguimos a melhor adequação para a produção e o consumo equilibrado”, conta Edival, que completa: “Ainda temos o lado econômico, duramente afetado pela pandemia, o qual desencadeou em desemprego e dificuldades financeiras para as famílias do Brasil e do mundo inteiro”.

DAQUI PARA FRENTE.

Para Edival, as incertezas são muitas e os custos de produção não deverão baixar. Isso significa, diz o executivo, que esses são sinais claros do que está por vir: um 2022 desafiador. “De forma geral, precisamos de muita responsabilidade nas nossas ações. Temos aproximadamente 5 mil granjas no Brasil e o nosso empenho é que todas elas continuem produzindo, gerando emprego, renda, dignidade e alimentos para os lares brasileiros”, discorre.


Sendo assim, a expectativa é de uma melhora na economia e na renda dos consumidores, dois fatores que serão decisivos para alavancar a venda do produto. “Que a nossa curva de consumo continue melhorando a cada ano e tenhamos dias melhores. Isso tudo será essencial para darmos auto sustentação a esse setor tão importante para o Brasil”, destaca Edival.

E, portanto, como mensagem final o presidente declara: “Precisamos planejar melhor a produção, buscar mercados de exportação e continuar tendo o máximo de cuidados sanitários para manter o Brasil com alta credibilidade. Queremos elevar a união dos produtores para valorizar esse produto tão rico e completo”.

“Precisamos planejar melhor a produção, buscar mercados de exportação e continuar tendo o máximo de cuidado sanitários para manter o Brasil com alta credibilidade”
Edival Veras de Barros, presidente do IOB.


IOB NAS REDES

Com mais de 4 mil seguidores no Instagram, o IOB traz em seu perfil informações e receitas à base de ovo, com o intuito de promover a proteína animal e desmistificar assuntos que circulam sobre o produto. Procure o instituto nas redes sociais e faça parte dessa corrente. Afinal, “ovo é delicioso, prático e faz bem”.

Sobre o Instituto Ovos Brasil


O Instituto Ovos Brasil é uma entidade sem fins lucrativos, criada em 2007 com objetivo de esclarecer a população sobre as propriedades nutricionais do ovo e os benefícios que este alimento proporciona à saúde, além de desfazer mitos sobre seu consumo. O IOB tem atuação em todo o território nacional e hoje é referência em informação sobre ovos no Brasil.

Realiza a promoção do alimento ovo diariamente. Entre em contato e solicite materiais (formato impresso e digital), palestras e, para mais esclarecimento sobre o mundo do ovo, acesse o nosso site: www.ovosbrasil.com.br.

Mais informações e sugestões:
Eduardo Valença: +55 81 98256-9523 / [email protected]

 

Notícias Relacionadas »
Comentários »