MENU

01/10/2020 às 00h00min - Atualizada em 01/10/2020 às 00h00min

Por compra de votos, Justiça Eleitoral cassa mandato do prefeito e vice de Cachoeirinha

A tentativa de compra de voto foi gravada pela própria eleitora com o celular

PSD
Araguatins (TO) - O juiz da 10ª Zona Eleitoral de Araguatins cassou os diplomas do prefeito e vice-prefeito do município de Cachoeirinha, Paulo Macedo e Chico Fuboca, ambos do partido Democratas (DEM), por compra de votos nas eleições de 2016. A decisão foi proferida nesta segunda-feira (28) pelo juiz José Carlos Tajra Reis Júnior.

A ação de investigação judicial eleitoral por abuso de poder econômico foi proposta pela coligação do então candidato Erisvaldo Resplandes de Araújo.

Além da cassação dos diplomas, o magistrado ainda aplicou multa ao prefeito no valor de R$ 8 mil e declarou sua inelegibilidade por 8 anos a contar das eleições daquele ano, que ocorreram no dia 2 de outubro de 2016.

O juiz também mandou comunicar o Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE/TO) a fim de que seja designada data para novas eleições no município.

Conforme a ação, o prefeito Paulo Macedo tentou comprar o voto da eleitora Ana Kelly Ferreira Lima, prometendo-lhe o montante de R$ 2 mil. A conversa acabou sendo gravada pela própria eleitora que na época ainda era menor de idade.

“Ficou evidenciado no diálogo que PAULO MACEDO DAMACENA, então candidato ao cargo de prefeito do município de Cachoeirinha, ofereceu à eleitora ANA KELLY FERREIRA LIMA o montante de R$ 500,00 (quinhentos reais), prometendo-lhe ainda valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais)”, diz a decisão.

Para o magistrado, o atual prefeito tentou influenciar a vontade da eleitora com a prática de compra de votos, tolhendo-lhe o direito ao voto livre, consciente e soberano.

Paulo Macedo e Chico Fuboca solicitaram o registro de candidatura à reeleição. A candidata de oposição é a Professora Leninha.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...