MENU

11/02/2022 às 18h02min - Atualizada em 13/02/2022 às 00h00min

Velha Guarda do samba é tema de roda de conversa no Teatro do Incêndio

SALA DA NOTÍCIA Eliane Verbena
http://verbenacomunicacao.blogspot.com/2022/02/velha-guarda-do-samba-e-tema-de-roda-de.html
Divualgação
O Teatro do Incêndio realiza, no dia 20 de fevereiro (domingo, a partir das 14h) a quinta Roda de Conversa com mestres da cultura popular, ligados ao carnaval e à construção da identidade cultural do bairro paulistano Bixiga. Aberto à comunidade, o evento acontece na sede do teatro com performance final ao ar livre, na Rua 13 de Maio, nº 48.

O encontro tem a “Velha Guarda” como tema, recebendo baluartes e bambas do samba tradicional paulistano. Os convidados são integrantes da Batucada de Nego Véio (atuante na Zona Leste) e Dartagnan Coutinho (virtuoso ritmista com 40 anos de história no samba). E Mestre Thiago (Thiago Praxedes) - ritmista e diretor de bateria com longa trajetória no carnaval de São Paulo e Rio de Janeiro - faz a mediação do bate-papo.

Esta atividade integra uma série de sete rodas de conversa (mensais) que fazem parte do projeto Sou Encruzilhada, Sou Porta de Entrada. Sou Correnteza da Vida, Esquina Cortada: Ave Bixiga! - contemplado pela 36ª Edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, da Secretaria Municipal de Cultura. O propósito final desta atual jornada do Teatro do Incêndio é a montagem de seu novo espetáculo.

Batucada de Nego Véio – A velha guarda de bambas, Batucada de Nego Véio, surgiu da necessidade da resistência e preservação dos valores culturais autênticos, expressos nos sambas e nas batucadas da Zona Leste de São Paulo.  O grupo é formado por tradicionais mestres e baluartes, que não se enquadram nas modernizações impostas ao movimento do samba e do carnaval paulistano. Figuram, desde 2018, nesse grupo que preserva com legitimidade sambas, melodias, ritmos, batucadas e costumes ancestrais.

Dartagnan Coutinho - Dartagnan chegou ao samba ainda menino, em 1979, para tocar tamborim no carnaval de 1980, na bateria da Mocidade Alegre, comandada por Mestre Gilberto Bonga. Um dia, ele viu a apresentação da E.S. Nenê de Vila Matilde e se encantou. Em 1983, sobre a regência do Mestre Lagrila, ele ingressou na Nenê, onde permaneceu até 2004. Durante 15 anos, foi o ritmista mais solicitado nas gravações dos LPs e CDs das Escolas de Samba.

Thiago Praxedes - Mestre Thiago iniciou sua trajetória no samba ainda garoto quando a Unidos do Peruche realizava na terça de carnaval o desfile na Rua Zilda onde aqueles que não conseguiam ir pra avenida brincavam o carnaval. Como ritmista, além da Barroca, desfilou pelo Peruche, Leandro, Mocidade Alegre e Vai-Vai. Participou dos blocos Flor de Liz, Me Engana que Eu Gosto, Caprichosos da Zona Sul e Torcida Jovem. No Rio de Janeiro, desfilou pelo Império Serrano, Portela e Mangueira, como ritmista, e Vila Isabel como folião. Foi fundador, presidente e mestre de bateria do GRES Quilombo, escola que desfila uma semana após os desfiles oficiais, e hoje cuida da parte cultural da entidade. Na Barroca, foi ritmista e diretor de bateria (o mais jovem da história a adentrar o sambódromo, aos 21 anos; na ocasião, elogiado por Leci Brandão pela postura e disciplina apesar da pouca idade). Foi diretor da Imperador do Ipiranga com Mestre Dentinho, em 2009 e 2010.

Iniciado em abril de 2021, o projeto Sou Encruzilhada, Sou Porta de Entrada. Sou Correnteza da Vida, Esquina Cortada: Ave Bixiga! engloba vivência artística para jovens, residência artística para coletivos teatrais, teatro para crianças e adolescentes (Sol-te) e rodas de conversa. Sua principal atividade é a montagem de um espetáculo sobre o Bixiga, que resultará de treinamento e pesquisa dramatúrgica, explorando a prática criativa do grupo, cuja estreia será em 2022. As Rodas de Conversa compreendem vidas que se manifestam no carnaval, artistas de tradição cujas histórias servem de estímulo em parte importante da dramaturgia e referencial para a atuação no novo espetáculo da companhia. A presença de mestres de velha guarda e de outros componentes de escolas de samba têm como valor agregador não somente histórias da cultura popular, mas principalmente a vida subterrânea que sustenta as manifestações. Os encontros funcionam como resistência cultural popular ao confrontar o ontem e o hoje, o Brasil, o bairro e a cidade. Busca debater e orientar o processo, como fluxo e refluxo, sobre a cultura e sabedoria popular, diante da transformação social e habitacional. 

Roda de conversa: Velha Guarda
Projeto: Sou Encruzilhada, Sou Porta de Entrada. Sou Correnteza da Vida, Esquina Cortada: Ave Bixiga!
Convidados: Batucada de Nego Véio e Dartagnan Coutinho
Mediação: Mestre Thiago
Data: 20 de fevereiro. Domingo, a partir das 14h.
Local: Teatro do Incêndio - @teatrodoincendio
Rua 13 de Maio, 48 - Bela Vista / Bixiga. São Paulo/SP.
Gratuito. Livre. Evento ao ar livre.
 

Notícias Relacionadas »
Comentários »