MENU

10/02/2022 às 15h47min - Atualizada em 11/02/2022 às 00h00min

RD3 Digital desenvolve metaverso com Realidade Aumentada para a Neoenergia

Projeto trouxe cidade virtual criada para a primeira semana de Inovação do grupo, realizada 100% on-line

SALA DA NOTÍCIA André Coutinho
WGO Comunicação
Divulgação
Você já se imaginou em uma cidade construída exclusivamente para um evento e participar dele sem sair de casa? Essa experiência foi criada pela RD3 Digital, uma das pioneiras do Brasil em Realidade Aumentada (RA), cuja sede fica em São Paulo (SP). A empresa desenvolveu uma plataforma on-line, em parceria com a Omega House, e um app para o Inovamos Expo, a primeira semana de inovação da Neoenergia, maior grupo privado do setor elétrico brasileiro em número de clientes, que construiu um ambiente metaverso 100% virtual, com experiências em RA.

Utilizando o aplicativo oficial para ler os QR Codes espalhados pela cidade virtual, os participantes conseguiam, pela tela do celular ou tablet, reproduzir elementos 3D no ambiente real, com interação por parte do usuário e explicação em áudio, tudo com recursos visuais.

“As pessoas ainda têm um entendimento simples sobre o metaverso, como a ideia de um ambiente virtual onde pode-se comprar uma série de coisas, mas podemos usá-lo para o ambiente corporativo, desenvolvendo um metaverso de uma empresa de qualquer segmento, transformá-la em 3D e trabalhar por lá, por exemplo. É um novo conceito que chega com força ao mercado, e esperamos um aumento significativo nesta demanda a partir deste ano”, afirma Raphael Magri, um dos sócios da RD3 Digital.
 
Durante os dias de evento, os colaboradores da empresa foram convidados a entrar no ambiente virtual e “passear” pela cidade, desenhada com um aspecto futurista, de acordo com a visão da Neoenergia.

Nesse passeio, ao entrar nos ambientes, o colaborador conheceu novas tecnologias, projetos e soluções inovadoras em busca de um futuro mais sustentável. Além disso, ao clicar no ambiente de auditório, pôde assistir a palestras com lideranças do grupo e convidados externos.

“Esse projeto trouxe algo inédito, juntando o metaverso, algo totalmente novo e ainda em construção, inovador, com a Realidade Aumentada. Mas o uso da Realidade Virtual também surge como opção nessa mistura. Os caminhos são diversos para serem explorados ainda”, revela Magri.

“O Inovamos Expo foi um marco para o Grupo Neoenergia. Ao experimentar a imersão em um metaverso, com conteúdos em Realidade Aumentada, nossos colaboradores puderam vivenciar na prática a Inovação”, adiciona Luiza Zaide, Analista Sênior de Inovação da Neoenergia.

Em um mercado que pode movimentar R$ 370 milhões anualmente no mundo, segundo projeção da IHS Markit publicada pela Agência Brasileira do Desenvolvimento Industrial (ABDI), o investimento em Realidade Aumentada, somada às inteligências virtual e robótica, foi o “tiro certeiro” durante a pandemia. De acordo com a pesquisa da Confederação Nacional da Indústria, divulgada no final do ano passado, 54% das empresas que usam uma das três tecnologias em seus processos internos passaram a lucrar mais ou igualmente ao período anterior à pandemia da Covid-19.

Realidade Aumentada ganha força
 
A RA possibilitou que diversas empresas, como Snapchat e Instagram, criassem ferramentas para “viralizar” nas mãos dos usuários. Nos games, o Pokémon GO se tornou um case de sucesso ao levar milhares de pessoas às ruas para caçar os “monstrinhos”. No varejo, sites de móveis usam a tecnologia para criar ambientes, utilizando a estrutura física onde o usuário se encontra e projetando objetos virtuais realistas, como um sofá ou cadeira, em tamanho verdadeiro e com cores e detalhes idênticos ao produto real, o que tira a obrigação da visita física à loja. 

Segundo Magri, a maior prova do sucesso da RA é o interesse de empresas gigantes. “Tendo nomes do mundo tecnológico, como Apple, Google e Facebook, desenvolvendo sistemas próprios de RA, nos mostra o tamanho dessa tendência no mundo. Sem dúvidas, o investimento em tecnologia no geral aumentou no planeta, principalmente em RA”, explica. 

Com 15 projetos simultâneos em andamento, a RD3 Digital fechou o ano de 2021 com mais de 50% de crescimento com relação a 2020, abrindo portas para o processo de spin off da mesma e, consequentemente, estruturando o crescimento em mercados específicos. “O metaverso, junto com a tecnologia de RA, tem a capacidade de integração entre elementos físicos e virtuais. Cada vez mais, as pessoas buscam informações, interações e experiências com seu smartphone, e a Realidade Aumentada, assim como a Realidade Virtual, possibilita que as marcas impactem, interajam, materializem produtos a distância, ”gamifiquem” ações, encantem pessoas e muitas outras estratégias de marketing”, conclui.

Sobre a RD3 Digital
A RD3 Digital é uma das empresas pioneiras em realidade aumentada e virtual no Brasil. Fundada em 2013 pelo Game Designer José Roberto Tostes e pelo publicitário Raphael Magri, conta atualmente com uma equipe de 20 programadores criativos que trabalham em sua sede na cidade de São Paulo. 
Prezando sempre pela segurança e resultados, e comprometida com prazos e entrega de excelência, a empresa trabalha com portfólio com diferentes aplicações e possibilidades (eventos, ativação em produtos, jogos interativos, RA em catálogos impressos, endomarketing e treinamentos e tour virtual 360º) e desenvolve, para cada projeto, um app exclusivo, com a guideline da respectiva marca. A RD3 ainda foi responsável pelo desenvolvimento do primeiro aplicativo mobile de realidade aumentada para o consumidor final do mercado imobiliário nacional e conta com uma vasta carteira de clientes, como Coca-Cola, Sanofi, Gerdal, Natura, BMW, Unilever, Bayer, Ipiranga, Pepsico, Samsung SDS, Panasonic, O Boticário e Galderma. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »