MENU

11/01/2022 às 14h40min - Atualizada em 11/01/2022 às 14h40min

PCGO conclui inquérito e indicia sete pessoas pela morte de cartorário, em Rubiataba

Entre os envolvidos, a esposa da vítima, apontada como mandante do crime.

SSP/GO
Luizmar Francisco Neto, que está foragido, é acusado de ter contratado os executores. - Fotos: Divulgação SSP/GO

  
Rubiataba/\GO - A Polícia Civil de Goiás (PCGO) concluiu o inquérito que apurava o homicídio do cartorário Luiz Fernando Alves Chaves, de 40 anos. O crime aconteceu no dia 28 de dezembro de 2021, em Rubiataba e teria sido motivado por questões patrimoniais. Ao todo, sete pessoas foram indiciadas por homicídio qualificado mediante pagamento ou promessa de recompensa, motivo fútil, recurso que impossibilitou a defesa da vítima, roubo circunstanciado e associação criminosa.

Seis dos envolvidos estão em prisão cautelar e um deles segue foragido. Com a conclusão, na última sexta-feira (07/01), o inquérito foi remetido ao Poder Judiciário para viabilizar eventual ação penal. A apuração foi realizada pela da Delegacia de Polícia (DP) de Rubiataba e contou com apoio da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) e da Polícia Militar de Goiás (PMGO).

Relembre o caso
O crime aconteceu no final de dezembro de 2021, quando a vítima foi sequestrada e morta a tiros.  O corpo foi encontrado na madrugada do dia seguinte em um canavial na cidade de Uruana, a 18 quilômetros de Rubiataba. Entre os envolvidos, a esposa do cartorário, apontada como mandante. “Tudo indica que ela tinha como finalidade receber um seguro de vida que eles faziam há quatro anos e em 2021 foi renovado”, informou o delegado Marcos Adorno.

A irmã e a amante da mulher também foram denunciadas por envolvimento no crime. Além delas, três homens foram presos e indiciados, sendo dois apontados como sendo os executores e um terceiro, que teria fornecido a arma usada no homicídio. “Permanece sendo procurado Luiz Marco Francisco Neto, vulgo chefe, que foi contratado para praticar todas as condutas em desfavor do cartorário”, explicou Adorno.

O crime
No dia do fato, os executores entraram na residência da vítima, utilizando os controles dos portões. A esposa havia saído com os filhos – gêmeos de 3 anos e um menino de 5 – para a igreja. “Um entrou pela janela e o outro pela porta dos fundos. A vítima estava estudando para a segunda fase de um concurso. Eles colocaram um ‘enforca gato’ nas mãos dele e o amordaçaram”, relatou o delegado.

Ainda de acordo com a apuração, os suspeitos utilizaram o veículo da própria vítima para levá-la ao local da execução, um canavial a cerca de 20 quilômetros de Rubiataba. Ao todo, foram feitos 17 disparos de arma de fogo. Sete deles atingiram o dono de cartório, que morreu no local. Logo após o crime, uma força-tarefa foi montada, entre a PCGO e diversas unidades da PMGO. A camionete foi encontrada pelos policiais pouco tempo depois, assim como a dupla suspeita, que confessou o crime.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...