MENU

09/01/2022 às 09h07min - Atualizada em 09/01/2022 às 09h07min

Azia, uma doença negligenciada!

Da Redação
GB Edições
Ilustração: Clínica Zupo
  
Não existe quem nunca tenha sentido “queimação no estômago”! Talvez seja uma das queixas mais comuns que existem. Quando isso acontece, recorremos a um antiácido que alivia o sintoma e pronto, nos sentimos bem de novo. Até o próximo episódio da maldita “queimação”.
O nome desse sintoma é azia e é superimportante entender por que ela acontece. Às vezes, o motivo é apenas algum alimento que não caiu bem, mas também pode ser gastrite.

A gastrite nada mais é que uma inflamação da mucosa do estômago e causada por alguns fatores, entre eles a bactéria Helicobacter Pylori, o aumento da secreção gástrica pelo estresse e ansiedade (gastrite nervosa), ou ainda pelo consumo e intolerância (individual) de alguns alimentos. Existe também o refluxo, aquela sensação de que o alimento fica o tempo todo “voltando” pelo esôfago. Suas causas são variadas, mas está relacionado a um problema causado pela válvula que separa o esôfago do estômago, permitindo que o conteúdo gástrico volte pelo esôfago.

Quando tais sintomas aparecem, o jeito certo de lidar com eles é procurar um médico especialista: o gastroenterologista. No entanto, especialistas em Nutrição explicam que mudar os hábitos alimentares pode ajudar muito no tratamento da azia ou refluxo.

Deve-se dar preferência aos alimentos que produzam efeitos calmantes e anti-inflamatórios, como a couve, gengibre, hortelã, alecrim e chás sem cafeína. Incluir na alimentação legumes cozidos e frutas, evitando sempre consumir os cítricos.

A comida deve ser preparada com temperos naturais, como cebola, alho, cheiro verde, coentro, erva-doce e manjericão. Evitar o leite e seus derivados, refrigerantes, temperos e molhos de salada industrializados. Importante também é ingerir bastante água, principalmente no intervalo das refeições.

A cafeína também ajuda a agravar os sintomas da gastrite e refluxo. É um componente presente não somente no café, mas também em alguns chás e outras bebidas. Substitua o café tradicional pelo descafeinado e os chás pelos de camomila, hortelã, erva-doce, erva-cidreira e melissa. Se você tem algum espaço ao sol, cultive as ervas em casa; tranquilamente dá para se ter à mão folhas frescas de hortelã, erva-cidreira, camomila ou alecrim. O gengibre e a cúrcuma também possuem propriedades anti-inflamatórias e auxiliam no tratamento.

E carne? Pode-se consumir carne? Sim, prefira sempre as carnes magras e grelhadas. Fuja dos molhos apimentados, frituras, alimentos embutidos, pimentão e molhos de tomate.

E mais, goma de mascar e balas aumentam a produção de ácido no estômago. O resultado será mais azia.

Até aqui parece que a vida de quem tem azia constante será um “tormento”, já que a alimentação parece bem restrita. No entanto, trata-se apenas de mudar alguns hábitos, de substituir os alimentos nocivos por opções mais naturais e saudáveis. Os efeitos positivos serão sentidos na sua saúde em geral.

Lembrando de novo, se você tem azia e problemas digestivos constantes, procure um médico para ter diagnostico preciso e fazer o tratamento com os medicamentos corretos.

A bactéria Helicobacter Pylori quando não tratada corretamente pode evoluir para problemas mais graves de saúde. Fique atento!

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »