MENU

22/11/2021 às 10h59min - Atualizada em 22/11/2021 às 10h59min

Cuidado com as doenças cardíacas

Os números preocupam as autoridades brasileiras da área da Saúde

Da Redação
GB Edições
Ilustração: Divulgação/oprogressonet.com
   
Infelizmente as doenças cardíacas ainda são o motivo principal de morte no Brasil; cerca de quatrocentas mil pessoas perecem em decorrência de problemas fatais no coração. Em alguns casos, a morte acontece sem que a pessoa tenha tido conhecimento que portava doença cardíaca.

De acordo com estudos epidemiológicos dos órgãos de Saúde, os mais atingidos são os homens entre 40 e 60 anos de idade, embora o número de mulheres enfartadas cresça a cada década - em função da entrada do sexo feminino no mercado de trabalho, o que muitas vezes gera uma vida estressante, tendo em vista que a maioria se dedica também ao trabalho no lar e a educação dos filhos.

É certo também que a incidência de enfartos diminuiu um pouco e isso se deve, principalmente, as campanhas de controle do colesterol e outros fatores de risco tais como o fumo, o exagero no consumo de bebidas alcoólicas e café e ao incentivo à prática de esportes e outras atividades físicas. No entanto, os números ainda preocupam as autoridades da Saúde e estas têm procurado alertar cada vez mais as pessoas no sentido de que aprendam a entender os sinais que o coração manda.

Os pacientes enfartados manifestam sintomas dias ou semanas antes da crise que, se observados a tempo, poderão evitar ou diminuir a intensidade do ataque cardíaco.

O primeiro sintoma é dor torácica, considerado o mais evidente, muito embora a dor do enfarte varie de intensidade de pessoa para pessoa. É corrente dizer que a dor do enfarte é insuportável, mas isso não é verdade porque esta dor pode não passar de uma leve sensação de desconforto ou uma leve sensação de estrangulamento no peito. Por isso é muito importante observar bem as características deste sintoma: a dor propaga-se pelo meio do peito e pode irradiar-se através dos braços e mandíbulas; é provocada por esforço físico e tende a cessar durante o descanso; dura em média 5 minutos e vem sempre acompanhada de dificuldade respiratória.

Outro indicativo de problemas cardíacos raramente reconhecidos como tal é a tosse. Assim como a dor torácica só surge após algumas constantes: dias antes do seu aparecimento, a pessoa percebe uma elevação abrupta de peso, inchaço nas pernas e mãos e o aumento de capacidade urinária à noite.

E por que a tosse? É que o coração deve bombear sangue para o organismo de forma que a pressão interna de cada órgão não ultrapasse determinado nível. Quando algum problema impede o coração de exercer sua função, o corpo começa a acumular líquidos. A tosse significa que há líquido fora do normal retido nos pulmões. Daí este sintoma ser frequentemente confundido com problema pulmonar e quase nunca ligado aos problemas de coração.

Todos estes sintomas podem vir acompanhados de dores no estômago e vômitos antes do infarto.

Os médicos explicam que, a partir dos 50 anos principalmente, toda dor ou mal-estar no sentido da barriga para cima podem estar relacionados com problemas cardíacos e o seu rápido diagnóstico pode ser a diferença entre viver e morrer.

A hereditariedade é um fator que não pode ser desprezado. Filhos de pais portadores de lesões cardíacas ou já enfartados têm chances significativas de repetir a história familiar.

É muito importante (e isso serve para todos) procurar levar uma vida mais saudável quanto possível. A maioria das pessoas se submete a jornadas excessivas e estressantes de trabalho e não têm como escapar disso. É o preço da vida moderna, no entanto pode fazer de suas horas de lazer, por menores que sejam, um bom momento para relaxar e cuidar um pouquinho da saúde. A alimentação deve ser a mais saudável possível. Fuja das gorduras, das frituras, carnes condimentadas, enlatados e embutidos, procurando sempre dar mais atenção as frutas e verduras. O fumo deve ser abolido de vez. Aquele que fuma se fizer um esforço extra, acabará deixando o cigarro e vai valer a pena porque o que conta é viver bem, o melhor que se pode conseguir.

E mais, vale a dica de cuidar também da espiritualidade, cultivar pensamentos positivos e fazer o bem, sempre.  

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...