MENU

12/11/2021 às 17h38min - Atualizada em 13/11/2021 às 00h00min

A Rockwell Automation expande as soluções de cibersegurança com abordagem integral

O tema foi destaque na 30ª edição do Automation Fair

SALA DA NOTÍCIA Marcela Gasperini
À medida que as tecnologias digitais e da informação se integram mais profundamente aos ativos industriais, a cibersegurança se torna um dos pilares das operadoras. Especialmente porque as estratégias de segurança dos ativos físicos para proteger a operação já não são mais suficientes.

No âmbito da 30ª edição da Automation Fair, realizado nesta semana, os executivos deram uma coletiva de imprensa na qual examinaram a fundo as perspectivas da empresa em termos de cibersegurança e como o portfólio de soluções da empresa se fortalece para oferecer níveis máximos de eficiência.

A importância da cibersegurança em qualquer ativo industrial foi o primeiro destaque, especialmente em relação aos transtornos causados nos setores de manufatura e de petróleo e gás por conta dos ataques cibernéticos durante 2021. Talvez o ataque mais perturbador de todos tenha sido o que sofreu a Colonial Pipeline em maio deste ano, que causou uma grave crise energética na costa leste dos Estados Unidos.

No entanto, e apesar do papel preponderante que a cibersegurança tem desempenhado, a adoção de sistemas robustos e eficientes em todos os tipos de indústrias e, especificamente, na manufatura continua sendo pouca. “Muitas vezes, tudo isso pode deixar um cliente sobrecarregado, sem saber por onde começar. Existem muitas normas e muito a ser feito, durante e depois de um incidente, então por onde começar?”, disse Angela Rapko, vice-presidente de LifecycleIQ Services da Rockwell Automation.

Em primeiro lugar, frisou a executiva, é preciso ter um conhecimento básico de quais são os riscos e um nível mínimo de controle sobre isso. Com base nisso, é possível estabelecer uma estratégia informada sobre os riscos e implementar um programa de “assepsia cibernética”. E é aí que as soluções da Rockwell Automation entram em jogo. Os executivos destacaram o progresso da companhia no fortalecimento do portfólio de cibersegurança e as sinergias e certificações que eles alcançaram para oferecer uma solução holística, capaz de enfrentar ameaças desde a Tecnologia da Informação (TI) até a Tecnologia Operacional (TO).

Nesse sentido, a Rockwell Automation adquiriu em janeiro de 2020 a empresa Avnet, com sede em Israel, cuja experiência em serviços de segurança de TI/TO tem mais de vinte anos. Além disso, em outubro de 2020, ela adquiriu também, a empresa Oylo, com sede em Barcelona, especializada em cibersegurança de sistemas de controle industrial (ICS), implementações chave-na-mão, serviços gerenciados e resposta a incidentes.

A partir desse portfólio, a Rockwell Automation estabeleceu uma base para oferecer soluções completas. No entanto, o portfólio completo inclui mais três partes: fortalecimento das sinergias com parceiros-chave como a Microsoft, a Cisco e a Oracle, que permitem acelerar a inovação e a integração digital; expansão das certificações internacionais IEC e ISO da Rockwell Automation, que garantem o mais alto padrão de segurança; e, por último, o lançamento dos serviços do LifecycleIQ Services da Rockwell, que oferecem análises preditivas, simulações digitais e design de redes de automação integradas.

A partir dessa abordagem integrada, a Rockwell Automation consegue fundar uma verdadeira solução de cibersegurança sistêmica, integrando todas as instâncias dos ativos industriais em uma única plataforma. Isso também reduz o investimento necessário para a implementação. É nesse sentido que a Rockwell anunciou a inauguração de um novo Centro de Operações de Cibersegurança em Israel, em parceria com a Dragos Inc. e a CrowdStrike.

Com essa plataforma, “usuários industriais do mundo inteiro conseguirão avaliar e reduzir riscos, controlar, gerenciar e monitorar a higiene cibernética dos ativos, responder a tempo a uma ameaça e proteger seu pessoal”, destacou Rapko.

Neste sentido, Ted Haschke, gerente de Desenvolvimento de Negócios e Cibersegurança da TUV Rheinland, empresa que certificou a Rockwell Automation para a norma de cibersegurança IEC 62443-3-3, explica. “Especificamente para o setor de petróleo e gás, uma ameaça à cibersegurança leva a uma redução no tempo de produção, o que implica uma perda de milhões de dólares. Portanto, o risco não está apenas nos ransomwares, mas em como uma queda na produção pode afetar uma empresa’.

Para encerrar, Shoshana Wodzisz, gerente de Produtos e Segurança da Rockwell Automation, comentou: “Também é preciso considerar o impacto que um ataque à cibersegurança tem sobre os produtos. Se o sistema não for seguro, os produtos também não serão. Assim, vimos que existe uma ponte cada vez mais curta entre a segurança dos ativos, a qualidade dos produtos e a proteção de toda a linha de produção”.

Sobre a Rockwell Automation
Rockwell Automation, Inc. (NYSE: ROK) é líder global em automação industrial e transformação digital. Conectamos a imaginação das pessoas com o potencial da tecnologia para expandir o que é humanamente possível, tornando o mundo mais produtivo e sustentável. Com sede em Milwaukee, Wisconsin, a Rockwell Automation emprega cerca de 24 mil solucionadores de problemas dedicados a clientes em mais de 100 países. Para saber mais sobre como estamos dando vida à Connected Enterprise no setor industrial, acesse: https://bit.ly/3FehxN8.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...