MENU

29/10/2021 às 11h10min - Atualizada em 01/11/2021 às 00h00min

Chegada de Country Manager anuncia nova fase da Digibee marcada por crescimento, consolidação da operação local e internacionalização

Com uma base de mais de 220 clientes, entre eles empresas como Assaí, B3, Carrefour, DASA, Fleury, VTEX, além de alguns clientes nos EUA, a Digibee consolida sua operação no Brasil e caminha para expansão internacional

João Pedro Voltarelli
SALA DA NOTÍCIA

Fundada em 2017 com o objetivo de auxiliar grandes empresas na integração de sistemas, a Digibee vive um momento de crescimento exponencial com a entrada de grandes clientes. Por conta dessa expansão, aliada à estruturação da operação nos EUA e a necessidade de uma alta liderança dedicada ao mercado brasileiro, foi anunciado o novo Country Manager no Brasil: Marcelo Silva.

Marcelo possui mais de 30 anos de experiência no mercado brasileiro e latino-americano, tendo ocupado diversas posições executivas em grandes empresas como Logicalis, Brasil e Cisco, CA, VMWare, Symantec AMD, Hitachi e J.D. Edwards. Atualmente, na Digibee, é responsável pela Organização de Receitas da operação brasileira, supervisionando vendas, pré-vendas, marketing, GTM e estratégia de negócios, reportando-se ao CRO Global da empresa.  

"Integrar marketing, vendas e pré-vendas, bem como ter uma liderança unificada são fundamentais na definição e execução da estratégia de negócios e assim intensificar nosso relacionamento com o mercado, em especial nossos clientes e parceiros", explica Marcelo Silva. 

“Termos agora uma posição de Country Manager é um sinal claro que damos aos nossos colaboradores e ao mercado que a operação brasileira segue sendo crucial para o crescimento da Digibee”, complementa o executivo. Ele conta que a mudança é parte de uma sofisticada reestruturação, marcada pela internacionalização, globalização funcional e consolidação da operação brasileira.  

“Marcelo é um executivo experiente da indústria e vem com a missão de me substituir nas operações do Brasil, enquanto executo nossa estratégia global. Estou confiante que suas habilidades em criar times de alta performance e manter relacionamentos duradouros com clientes, levarão nossa operação brasileira para outro patamar”, comenta Rodrigo Bernardinelli, CEO e cofundador da Digibee. 

Aporte e mercado financeiro

O novo momento é de scale up, estágio de vendas aceleradas que um negócio atinge depois de ter conquistado sucesso em processos com o desenvolvimento de MVP e market fit. Ou seja, a segmentação de clientes foi encontrada e o trabalho agora é com os diferenciais, a ponto de gerar lucros em escala. 

Um dos fatores que tem impulsionado essa internacionalização foi o aporte recém conquistado de R$ 13,5 milhões pela Brasil Venture Debt, uma das primeiras a fazer esse tipo de financiamento no Brasil.  

A modalidade foi escolhida por permitir que a Digibee captasse recursos importantes sem provocar uma diluição acionária de empreendedores e investidores recentes. O venture debt é um modelo de investimento baseado em captação de dívida, com juros mais baixos e o retorno de capital ao fundo quando ocorrem investimentos ou eventos de liquidez. 

O tipo de operação foi criada para auxiliar o ecossistema de startups, para aqueles que necessitam de capital e possuem problemas em acessar crédito no mercado financeiro tradicional. 

Os desafios continuam

Com o avanço da digitalização, a Digibee viu o faturamento aumentar de R$ 860 mil a R$ 2 milhões mensais, no último ano. A meta é triplicar de tamanho em 2021 e em 2022, fechando três anos de receitas triplicadas. Com o incremento esperado para a operação nos EUA, que deve responder por metade do negócio em 2022, e superar o Brasil em 2023, a Digibee espera ser mais bem vista por investidores em sua próxima captação. 

Manter a estrutura operacional é um ponto importante a ser seguido, além de buscar cada vez mais melhorias na comunicação. A satisfação dos clientes, assim como a satisfação dos funcionários, são alicerces importantes para o crescimento e atração de novos talentos. 

“Nós, melhor do que ninguém, sabemos do potencial e alcance da nossa plataforma. Temos, por exemplo, trazido segurança, agilidade e simplicidade a projetos complexos de Cloud Migration, Hybrid Cloud, migração de barramentos, entre outros. É nossa missão levar ao conhecimento do mercado que somos muito mais do que uma plataforma que integra o sistema A com o sistema B”, conta Marcelo. “Estamos no epicentro da transformação digital e nos conectamos diretamente ao sistema nervoso central dos nossos clientes", finaliza o executivo. 

Sobre a Digibee
A Digibee, scale-up brasileira de tecnologia, é criadora da Digibee HIP, plataforma disruptiva de integração de sistemas (Hybrid Integration Platform) que tem o objetivo de simplificar, reduzir custos e agilizar a jornada de transformação digital dos clientes por meio da conexão de sistemas digitais.  
A empresa foi fundada em 2017 por Rodrigo Bernardinelli (CEO), Vitor Sousa (CRO) e Peter Kreslins (CTO), profissionais do mercado de tecnologia da informação. Já  recebeu cerca de R$40 milhões em dois aportes de investimentos e tem como investidores a GAA Investimentos e os executivos Paulo Veras (fundador da 99Taxi) e Laércio Albuquerque. Está sediada no Cubo Itaú, em São Paulo, e foi acelerada pela Endeavor e pelo iDEXO, da TOTVS.  
A Digibee hoje tem mais de 170 clientes, entre eles Porto Seguro, CCR, Fleury, Duratex, Dasa, Bauducco, Assaí Atacadista, Canon, Rede D’Or, Makro e Accenture. Deu início à estratégia de expansão internacional no segundo trimestre de 2020, com a abertura da operação em Nova Iorque, Estados Unidos.

Contatos para imprensa
João Pedro Voltarelli: [email protected] 
Laiza Piassali: [email protected]
Manuel Quilarque: [email protected]
Telefone: (11) 99686-9618
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...