MENU

18/10/2021 às 19h56min - Atualizada em 18/10/2021 às 19h56min

Governo realiza oficina para planejamento de ações de saúde na Macrorregião Sul do Maranhão

Marcos Atahualpa - SECOM
Secom/MA
Reunião de planejamento de ações de saúde na Macrorregião Sul - Foto: Rogério Sousa
 
O Governo do Estado realiza, nos dias 18 e 19 de outubro, a primeira edição da “Oficina Macrorregional de Parametrização do Planejamento Regional Integrado (PRI)”. Executado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o evento tem como público-alvo gestores municipais da Macrorregião Sul, que compreende as regionais de saúde de Açailândia, Balsas, Barra do Corda e Imperatriz. O objetivo é realizar o planejamento das ações de saúde na região. 

“Neste momento, iremos definir como se dará o percentual de alcance de cada um dos procedimentos que são ofertados no SUS para as 18 Regionais de Saúde do estado, incluindo a Metropolitana. Com isso, saberemos quais serviços cada município poderá oferecer e como funcionarão as demandas de referência e regulação”, afirmou o assessor especial e coordenador do PRI para o Maranhão, Allan Patrício. 

O PRI funciona como forma de atualização das ações de saúde, envolvendo os três entes de gestão pública, ou seja, Ministério da Saúde, Secretaria de Estado da Saúde e Secretarias Municipais de Saúde. Durante as oficinas com cada macrorregião, são remodeladas as instâncias de execução dos serviços disponíveis, compreendendo desde o tipo, bem como de quem é a responsabilidade. 

“Dessa maneira, as ações se tornam regionalizadas, uma vez que se leva em consideração a situação local de cada região, suas principais demandas, necessidades e especificidades. O principal ganho é que cada município poderá expor o que tem ou não condições de ofertar, com quem quer pactuar o fluxo assistencial de forma a executar da maneira mais resolutiva e completa as especialidades médicas a população”, explicou Allan Patrício. 

Os serviços abrangem desde a Atenção Primária, à Média e Alta Complexidades, incluindo consultas cardiológicas, geriátricas, ginecológicas, partos normal e cesáreo, cirurgias, hemodiálise, ultrassom, entre outras especialidades. 

De acordo com o coordenador das Unidades Regionais de Saúde, Aristeu Marques, quem ganha são os pacientes. “Vamos poder evitar deslocamento de pacientes para São Luís e o possível agravamento do quadro de saúde deles. Com isso, evitaremos que o paciente faça grandes deslocamentos e tenha mais perto de onde mora o atendimento de que precisa”, disse. 

Para Fernando Pereira, secretário de Saúde do município de Loreto, trata-se de um momento ímpar e bastante proveitoso. “É uma oportunidade para que possamos, juntos, melhorar cada vez mais a oferta de serviços. Com isso iremos garantir mais resolutividade, de forma a dar melhor condição assistencial às pessoas”, contou.  

Ao final de cada oficina, os gestores sairão com a incumbência de definir uma ata de trabalho que posteriormente deverá ser apresentada aos municípios onde passará por homologação. Após esse momento, que deverá acontecer dentro de uma Comissão Intergestores Regional (CIR), o documento precisará ser encaminhado à SES e apresentado na próxima Comissão Intergestores Bipartite (CIB), prevista para acontecer até o final do mês de novembro.

Outras duas edições deverão ser realizadas nas próximas semanas. Nos dias 25 e 26 de outubro será a vez das Regionais do Leste Maranhense, compreendendo Caxias, Codó, Pedreiras, Presidente Dutra, São João dos Patos e Timon. A terceira oficina é voltada às regionais da à Macrorregião Sul, subdividida em dois momentos: o primeiro nos dias 4 e 5 de novembro, englobando Bacabal, Chapadinha, Itapecuru-Mirim e Viana; e o segundo em 8 e 9 de novembro, para as Regiões de Pinheiro, Rosário, Santa Inês, São Luís e Zé Doca. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...