MENU

15/09/2020 às 00h00min - Atualizada em 15/09/2020 às 00h00min

Mulher é assassinada a facadas e autor do crime morre ao reagir à prisão

Rosa Silva Lopes, 39 anos, foi morta com vários golpes de faca pelo companheiro Flávio Gomes da Silva, de 44 anos, morto em confronto com a PM

Dema de Oliveira
Rosa Silva Lopes foi assassinada com várias facadas - Fotos: Divulgação/Whatsapp
Na madrugada de sábado (13), uma mulher identificada como Rosa Silva Lopes, de 39 anos, foi morta a golpes de faca dentro casa, no bairro Vila Nova, em Imperatriz.

O autor do crime, segundo a polícia, foi o companheiro de Rosa, identificado como Flávio Gomes da Silva, de 44 anos. Quando a polícia invadiu a casa em que a vítima estava com o agressor, Flávio reagiu e acabou sendo morto pelos policiais.

Flávio, que que já tinha uma condenação por feminicídio, manteve  Rosa Silva em cárcere privado e a matou a facadas.

A polícia foi chamada pelos vizinhos, os quais informaram que estava havendo um caso de violência doméstica.

A Polícia Militar foi ao local e não conseguiu ter rápido acesso ao interior da casa, pois o homem estava trancado com a mulher.

Policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE) do 14º BPM tentaram negociar com Flávio Gomes para libertar a vítima, porém  ele não se rendeu. A PM teve que invadir a casa, porque havia a suspeita de que a mulher já havia sido assassinada.

“O homem trancou a mulher na casa já esfaqueada. A Polícia Militar foi chamada, tentou, a princípio, negociar com o rapaz para que liberasse essa senhora, sem sucesso. Foi acionado o GOE, que também não teve sucesso nas negociações”, explicou o delegado Praxísteles Martins, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Imperatriz.

Quando a polícia invadiu a casa, encontrou o homem em cima da mulher desferindo vários golpes de faca. Ao ver a polícia, Flávio reagiu e acabou sendo morto a tiros.

“Após ele não ceder, a polícia promoveu uma incursão no imóvel, ocasião em que encontrou o rapaz em cima da vítima esfaqueando-a, e nesse momento conteve a ação do agressor diante do uso da força, que veio a óbito no local”, afirmou Praxísteles Martins.

Rosa Silva foi encontrada ainda com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na ambulância, a caminho do hospital.

Flávio Gomes já tinha uma condenação pelo crime de feminicídio, que aconteceu em 2011 na cidade de Montes Altos, a 60 km de Imperatriz. Ele foi condenado a 21 anos de prisão mas, em 2018, conseguiu a progressão de pena e estava em regime semi-aberto, como albergado, indo apenas dormir no presídio.

Casos de violência contra a mulher têm crescido durante a pandemia em Imperatriz. A morte de Rosa Silva é o primeiro caso de feminicídio no mês de setembro em Imperatriz. Mas, neste ano, já foram registrados quatro casos na cidade. Três deles no mês de agosto.

Duas vítimas em agosto foram as irmãs Gleyciane da Mota Bandeira e Dayane da Mota Bandeira Oliveira. Elas foram assassinadas a tiros pelo ex-marido de Gleyciane, que não aceitava a separação.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...