MENU

24/09/2021 às 10h39min - Atualizada em 27/09/2021 às 00h00min

Relatório aponta aumento de ataques ransomware com perdas estimadas em US $20 bilhões

Pesquisa da Infoblox apresenta casos completos e soluções de inteligência contra ameaças cibernéticas

Henderson Arsênio
SALA DA NOTÍCIA
Regularmente, a Infoblox, empresa multinacional de soluções de segurança para redes de computadores, divulga seu relatório de inteligência contra ameaças cibernéticas. Os resultados desta edição são baseados nos mais recentes estudos elaborados pela companhia norte-americana, entre os meses de abril e junho de 2021. “Nosso relatório avalia as novas variações e tendências em ataques cibernéticos e como se diferem de outras ameaças já conhecidas, além de apresentar boas práticas e táticas defensivas”, afirmou o country manager da Infoblox no Brasil, Sandro Tonholo.

O destaque do levantamento são as ameaças cibernéticas em modelo ransomware, em que as informações da rede de computadores são sequestradas e se cobra um valor em dinheiro pelo resgate, geralmente em criptomoedas - o que torna praticamente impossível de identificar os criminosos.

O impacto e as despesas com esses ataques podem ser vitais para a saúde de uma empresa. Segundo o relatório da Infoblox, cerca de US $370 milhões em criptomoedas foram perdidos, somente em 2020, para crimes dessa espécie. “Se considerarmos todo o ônus que a empresa precisa dispor para se reerguer após este ataque, o débito é muito maior. Estima-se que o dano total associado ao ransomware esteja em US $20 bilhões”, destaca Tonholo. A pesquisa aponta a visão geral do fluxo no processo de ransomware e seus principais canais de distribuição, além da cobertura profunda de casos reais em que a Infoblox pode atuar desde o início.

Outro fator importante do documento é que ele relata as mais recentes atualizações de segurança em DNS, segundo a agência de segurança nacional (NSA) e agência de segurança cibernética e infraestrutura (CISA) dos Estados Unidos, onde fica a sede da Infoblox. Tais orientações são fundamentais para o mundo atual em que praticamente todos os segmentos do mercado exigem uma solução de rede de computadores para armazenamento das informações, sejam elas em ambiente físico, virtual ou em nuvem.

Neste contexto, inclui-se DNS (Domain Name System) e DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol), além do crescimento explosivo de dispositivos que consultam frequentemente tais dados, como notebooks, tablets e celulares, e o aumento de endereços IP, o que torna as redes mais complexas. “As tradicionais soluções de gerenciamento local são frágeis, vulneráveis  e não conseguem acompanhar essa transformação”, comentou o gestor. As soluções da Infoblox são líderes neste mercado, com participação de 50% nos principais serviços de rede, como IPAM (IP Address Management), DNS e DHCP, trazendo mais segurança e eficiência operacional a diversas infraestruturas.
 
Cenário brasileiro. O Brasil está entre os cinco países do mundo que mais sofre com ataques cibernéticos, especialmente ransomware, atrás de potências como Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e África do Sul.
As ações deste tipo aumentaram em 92% desde o início de 2021 no país. Os setores econômicos que mais sofreram foram a educação (alta de 615%), saúde (594%) e varejo, com aumento de 264% nas violações de segurança.

O mais emblemático e recente dos casos ocorreu a subsidiárias da JBS, empresa brasileira e uma das maiores processadoras de carne do mundo. O ataque ao frigorífico resultou em um resgate no valor correspondente a US $11 milhões. A JBS identificou ataques aos servidores da empresa nos Estados Unidos e na Austrália. No último dia 20 de agosto, foi o caso da rede varejista Renner. O site de e-commerce de rede de lojas indicou “indisponibilidade sistêmica”. Segundo alguns sites especializados, a empresa sofreu ataque cibernético, que inviabilizou o acesso a parte dos sistemas e operação. Os criminosos teriam pedido resgate de cerca de US $1 bilhão.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...