MENU

20/09/2021 às 19h08min - Atualizada em 20/09/2021 às 19h08min

Investigado por mandar matar agricultor em Colinas do Tocantins, empresário é preso em Gurupi

Crime teria sido planejado por empresário.

Com Informações da PC-TO
Veículo apreendido e utilizado no crime - Foto: DICOM SSP TO
 
Um empresário de 21 anos, que é suspeito de ser o mandante do homicídio que vitimou um trabalhador rural, de 35 anos, em Colinas do Tocantins, no último dia 7 de setembro, foi preso pela Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), na cidade de Gurupi. A prisão foi efetuada ainda na quinta feira, mas só divulgada no final de semana.

A prisão do suspeito foi realizada por uma força-tarefa, que envolveu policiais civis da 41ª DP de Colinas, 38ª DP de Arapoema, 7ª Delegacia Regional de Gurupi, e também do Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE), sob o comando do delegado Marco Aurélio Barbosa Lima e ocorreu mediante cumprimento a mandado de prisão temporária, expedido pela Vara Criminal da Comarca de Colinas. 

Na ocasião, os policiais civis também deram cumprimento a um mandado de busca e apreensão na residência que era ocupada pelo suspeito e apreenderam um veículo, Fiat Toro, que foi utilizado na prática do crime. Segundo o delegado Marco Aurélio, após tomar conhecimento do homicídio, a Polícia Civil do Tocantins, por meio da 41ª DP de Colinas, deu início às investigações e, em menos de uma semana, desvendou o crime, bem como identificou o empresário, que é suspeito de ter planejado o assassinato que ocorreu em plena luz do dia.

O crime

Segundo apontaram as investigações da Polícia Civil, a vítima foi morta com um tiro de pistola na testa em plena via pública, no dia último dia 7 do corrente mês, por volta das 14h20 no município de Colinas, quando caminhava acompanhado de um amigo, e passava em frente a um mercado.

O crime trouxe sensação de insegurança à comunidade local, uma vez que foi cometido durante o dia no meio da rua.

Motivação

As investigações realizadas pela Polícia Civil, apontaram que o crime teria sido motivado por um desentendimento entre a vítima e o empresário, uma vez que o nome do agricultor está sendo utilizado para o registro do supermercado do empresário em Gurupi.

“Por meio das investigações apuramos que o principal motivo que resultou na execução do agricultor foi o fato de que ele estaria exigindo que seu nome fosse retirado do registro do supermercado, pois ele não era, de fato, o dono do estabelecimento”, disse a autoridade policial. No entanto, as cobranças da vítima desagradaram o empresário, que então, passou a ameaçar o agricultor de morte e teria iniciado os planos para a execução do mesmo.

Homicídio em Goiás

De acordo com as investigações da Polícia Civil do Tocantins, o empresário preso em Gurupi, nesta quinta-feira, também responde por outro crime de homicídio ocorrido no dia 26 de maio de 2019, em Goiânia, GO. Ele foi preso no dia 29 de outubro do mesmo ano, na cidade de Rio Verde, acusado de ser o mandante do assassinato de um feirante de 53 anos.

As investigações da Polícia Civil de Goiás apontaram que o empresário, juntamente com seu pai e um amigo se juntaram, planejaram e executaram o feirante, devido a um atrito existente entre a vítima, e o suspeito, motivado por disputa por espaço na feira da marreta, em Goiânia. O crime foi gravado por câmeras de segurança próximas à feira.

Preso, o homem foi trazido para Colinas, onde foi recolhido na Cadeia Pública Municipal.  Ele responderá pelo delito de homicídio qualificado, que é considerado crime hediondo e se for condenado, poderá pegar uma pena de 12 a 30 anos de reclusão. Para o delegado, Marco Aurélio Barbosa Lima, a prisão do suspeito é bastante significativa, visto que o crime de homicídio teve grande repercussão em Colinas, mas graças ao trabalho investigativo da PC-TO foi solucionado uma semana após o ocorrido.

“A forma como o homicídio foi praticado chamou bastante a atenção dos moradores de Colinas, uma vez, que havia indícios de crime encomendado, o que acabou trazendo insegurança para a população, assim, com a prisão do empresário, que é considerado o autor intelectual do crime, damos uma resposta rápida à sociedade e restabelecemos a paz e a tranquilidade”, disse o delegado.

As investigações terão continuidade, para que a Polícia Civil esclareça toda a dinâmica do crime.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...