MENU

14/09/2021 às 22h28min - Atualizada em 14/09/2021 às 22h28min

Empresário com negócios no Tocantins morre em queda de avião juntamente com a esposa e os três filhos

Piloto e copiloto também morreram; prováveis causas do acidente ainda eram desconhecidas

Da Redação
Com informações diversas: CENIPA, FAB, Corpo de Bombeiros – Batalhão Piracicaba-SP
Celso Silveira de Mello Filho, 73 anos - Foto: Divulgação
  
Piracicaba/SP - 
Proprietário da fazenda Malaska, no município de Muricilândia, o empresário Celso Silveira de Mello Filho (73 anos) a esposa, Maria Luiza Meneghel (71), os filhos, Celso Meneghel Silveira Mello e Fernando Meneghel Silveira Mello (46) e a filha Camila Meneghel Silveira Mello Zanforlin (48) morreram na queda de um bimotor em Piracicaba, interior de São Paulo, na manhã desta terça-feira (14/9). 

Além da família, também estavam no avião o piloto Celso Elias Carloni e o copiloto Giovani Gulo. Todos morreram na hora. A aeronave, um King Air 360 saiu do Aeroporto de Piracicaba com destino ao Pará, mas caiu logo em seguida por volta das 10h. Ontem, durante o fechamento da reportagem ainda não havia informações sobre as prováveis causas do acidente. 

Fundada por Rubens Ometto Silveira Mello a empresa COSAN S/A, gigante do setor (45 mil funcionários) por sua atuação nas mais diversas áreas de distribuição de combustíveis (açúcar, álcool, energia, lubrificantes e logística),  divulgou a seguinte nota: “É com enorme pesar, que a COSAN S/A, informa que o empresário Celso Silveira Mello Filho estava com a família na aeronave King Air 360 que caiu hoje, às 10h, em Piracicaba, causando a morte de todos os ocupantes. Celso era acionista e irmão do presidente do Conselho de Administração da companhia, Rubens Ometto Silveira Mello. Também estavam no avião, a esposa de Celso, Maria Luiza Meneghel, seus três filhos, Celso, Fernando e Camila, o piloto Celso Elias Carloni e o copiloto Giovani Gulo”. 

O acidente 

Imagens de uma câmara de segurança mostraram o momento em que o avião cai na mata. Logo após a queda, a aeronave explodiu. O Corpo de Bombeiros mobilizou uma equipe para fazer o  resgate, mas não houve sobreviventes. 

A área permaneceu isolada para perícia e o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira (FAB), foi acionado para ajudar nas investigações. 

Repercussão no Tocantins

O meio rural tocantinense lamentou a morte de Celsinho, como Celso Filho era carinhosamente conhecido. Em Araguaína, principal cidade da região que envolve Muricilândia, município onde está localizada a fazenda Malaska de propriedade  do empresário, foram várias as manifestações. Em postagens nas redes sociais, produtores rurais, amigos e pessoas próximas lamentaram o fato.  

O Sindicato Rural de Araguaína-SRA, através do presidente Wagner Martins Borges divulgou nota: “É com muito pesar que lamentamos o terrível e trágico acidente ocorrido com a família do Celso Filho, Celsinho, pecuarista e empresário de nossa região. Em nome de toda família SRA nos solidarizamos com todos familiares e amigos nesse momento de tanta dor”.

Ao lembrar que “foi quem primeiro me deu serviço em 1997”, o produtor rural, José Wilson clamou  “Que Deus o tenha entre os seus e conforte os parentes e amigos”.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...