MENU

08/09/2021 às 23h23min - Atualizada em 08/09/2021 às 23h23min

“Não podemos falar em independência com pessoas sem emprego e passando fome”

Sidney Rodrigues
Ascom/CMI
O presidente Alberto Sousa falou da forma que está vendo este momento em que o país está passando - Foto: Fábio Barbosa
  
No uso da Tribuna nesta quarta-feira (08), de forma sucinta, o presidente da Câmara, Alberto Sousa (PDT), teceu comentários sobre o dia 07 de setembro, feriado nacional, que foi marcado por manifestações por todo o país. Uma data importante, semana da pátria, mas que para ele tem tomado um sentido, onde até a independência do Brasil foi politizada e campos políticos opostos se manifestam da forma que dizem ser a certa.

“É impossível falar de independência sem geração de emprego e renda, sem o pão na mesa, com 15 milhões de desempregados e muitos querendo fazer politicagem com esse momento. Existe a boa política e a politicagem, mas está ficando tão estranho o rumo das coisas que alguns chegam ao extremo de perceber e deixarem bem claro, que não passa de politicagem. Não defendo campo A ou B, esquerda ou direita. Nesse contexto, quero observar que existe uma má fé, não existe preocupação com a independência do povo. Muitos pais de família não sabem o que irão dar para seus filhos hoje meio dia. As crianças sem aula e os pais preocupados, querendo que eles voltem, não por questão do ensino, mas para receberem da escola ou da creche o alimento para encher a barriga do filho, que está vazia. É impossível independência sem o pão na mesa, passando fome”, afirmou.

O presidente destacou que para isso acontecer os políticos precisam sair deste campo nocivo e correrem atrás da geração e emprego e renda, se incluindo na responsabilidade de buscar essa mudança, pensando na dignidade da pessoa humana, no trabalho, na moradia digna e na educação de qualidade para todos, não pensando só com a cabeça e o coração, mas também com a alma.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...