MENU

12/06/2021 às 00h00min - Atualizada em 12/06/2021 às 00h00min

Bastidores

Dívida

O Tribunal de Contas da União (TCU) realizou, sob a relatoria do ministro Bruno Dantas, acompanhamento da evolução da Dívida Pública Federal no exercício de 2020. Na última semana, o TCU consolidou os números para informá-los à Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização do Congresso Nacional. A DPF variou de R$ 4,249 trilhões em 2019 para R$ 5,010 trilhões em 2020. A razão DPF/PIB aumentou de 57,4% para 67,3%, resultante da expansão do endividamento e do recuo da economia brasileira em 2020. “O maior motivo desse aumento foi a crise causada pela pandemia de Covid-19, que tanto diminuiu a receita arrecadada quanto aumentou as despesas executadas”, ponderou o ministro Bruno Dantas. No que concerne ao propósito do endividamento, R$ 1,4 trilhão das despesas públicas corresponderam ao pagamento de juros, encargos e amortização da dívida, e R$ 622,5 bilhões a despesas não-financeiras, tais como: benefícios previdenciários e auxílios emergenciais, auxílios financeiros aos Estados, Distrito Federal e Municípios no combate à Covid-19.

Acelerada

A vacinação contra Covid-19 em São Luís está em ritmo acelerado. Ontem, já começaram a vacinar as pessoas com 29 anos. Serão 41 horas de vacinação ininterrupta, no Shopping Pátio Norte. Isso estaria estimulando jovens a procurar a capital para se vacinar, porque nas suas cidades ainda estão longe de ser alcançados pela primeira dose. Em Imperatriz, por exemplo, ainda está sendo feito o pré-cadastro de pessoas entre 50 e 54 anos. Quando foi anunciada a possibilidade de uma variante indiana no Maranhão, o Ministério da Saúde enviou um lote extra de 300 mil doses de vacinas.

E…

Ontem o governador Flávio Dino anunciou que as medidas restritivas foram prorrogadas para até dia 21 de junho. Eventos com no máximo 100 pessoas são permitidos até às 23h; comércio e indústria podem funcionar das 9h às 21h; bares e restaurantes, até às 23h; supermercados, das 6h à 0 hora. Administração pública estadual, igrejas, supermercados, academias, salões, bares e restaurantes devem funcionar com 50% da capacidade. Eventos do Governo do Estado permanecem suspensos. Eventos privados e municipais são decididos pelos prefeitos.

Absurdo

Ontem o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a desobrigação do uso de máscaras para vacinados e recuperados da Covid.  Entretanto, observou que a decisão final é dos governadores e prefeitos. Especialistas criticaram a posição do presidente. Observam que mesmo quem já foi vacinado ou teve a doença pode transmitir o vírus e quem já teve Covid pode ter de novo.

Reação 

Para o governador Flávio Dino, a desobrigação de uso de máscara defendida por Bolsobaro “é um gesto ofensivo ao bom senso, tal qual tirar o colete salva-vidas enquanto se está no meio do oceano. Sublinho a irresponsabilidade que é, nesse momento, falar em retirar o uso de máscaras. O Brasil não chegou a esse patamar de condição sanitária. A máscara é, nesse momento, o nosso colete salva-vidas”. 

Se a moda pega

Na cidade maranhense de Coroatá, a juíza Anelise Nogueira Reginato suspendeu o pagamento de R$ 461,5 mil que seria realizado pela Prefeitura a músicos da cidade a título de auxílio emergencial. É que um grupo de artistas ingressou com uma ação pedindo o não pagamento do valor, alegando que o processo de rateio da verba tem irregularidades. A verba é federal. A reclamação quanto ao critério de escolha ocorreu em muitas cidades. Não poderia ser diferente. Sempre há polêmica em tudo.
Link
CORIOLANO FILHO

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO Miranda Rocha FILHO, passou a comandar a Redação depois de ter passado por praticamente todos os setores do jornal.

Relacionadas »
Comentários »
Loading...