MENU

17/06/2021 às 00h00min - Atualizada em 17/06/2021 às 00h00min

IMGUINORAPULIS

Capítulo XIV

*Republicado a pedidos
**Publicado originalmente em 18 de novembro de 2012

O dia seguinte. Uma nova surpresa

Apesar de ter chegado na pensão já bem tarde da noite e, consequentemente, ter dormido relativamente mal, no dia seguinte acordei bem cedo, me aprontei, tomei um café com dois ovos de galinha caipira que me foi oferecido pelo VIADINO, e segui em direção ao prédio da Prefeitura Municipal, pois realmente seria aquele o meu primeiro dia como Secretário Municipal da Educação. Mas, para a minha surpresa, encontrei o PALASSO UOSTO LUIZ totalmente fechado e cheguei a imaginar que tinha chegado bem antes do horário determinado para o início do expediente. Perguntei ao guarda o porquê do não funcionamento da prefeitura municipal em um dia que não era Dia Santo de Guarda, nem tampouco feriado nacional, estadual ou municipal.

- OJE, O INCELENTISSIMO SIO PREIFEITO MUNICIPAL NÃO SE ENCONTRA NA CIDADE, POR ISTO FOI DECRETADO PONTO FACULTATIVO. SÓ VEM TRABAIA QUEM QUISER!, me respondeu o guarda, fazendo questão de ressaltar que esta viagem do prefeito DOTO LADRONESIO FURTADO acontece quase todas as semanas, e neste dia a prefeitura para. Na minha curiosidade, pedi informações para onde o prefeito tinha viajado, se para a capital do estado ou para Brasília, em busca de recursos para a LADROLANDIA. "Cidade de ladrão?", exclamei estupefato ao ouvir tal informação, e o guarda, ainda muito mais solícito e prestativo, me explicou: - NÃO! É UMA DAS SUAS FAZENDAS!

Sem nada ter o que fazer, achei por bem visitar o vereador farmacêutico DOTO MATOUZINHO em sua farmácia, a quem pedi maiores detalhes a respeito da tal viagem do prefeito e do ponto facultativo, tendo o vereador me informado que todas as semanas o DOTO LADRONESIO FURTADO tira um dia de folga e vai para uma das suas fazendas manter encontros íntimos com as "musas" EVA GINA DO REGO BRILHANTE e JACINTA PENA DO PINTO. Achei aquilo o cúmulo do absurdo, uma verdadeira falta de respeito para com o povo, e já me preparava para protestar de forma veemente quando o farmacêutico vereador me fez voltar à realidade, lembrando que NA POLÍTICA É ASSIM! QUEM BOTA TIRA! Então, ficamos a conversar amistosamente sobre outros assuntos, com o edil me fazendo perguntas que me deixaram de cabelo em pé. Perguntou-me se Ecologia era o estudo do eco; se o médico pediatra era o que cuidava do pé; e assim por diante. Com uma "paciência de Jó", explicava tudo direitinho e cheguei a dar uma verdadeira aula sobre o "Meio Ambiente", protestando contra o fato de estar sendo jogado lixo doméstico nas margens do Córrego Estandarte, que cortava a cidade de norte a sul. "O fato de ser jogado o lixo nas margens do córrego é uma agressão ao meio ambiente!", afirmei ao vereador, que na sessão seguinte da Câmara Municipal denunciou o fato, pronunciando esta "baboseira" digna de figurar nas páginas do FEBEAPA - Festival de Besteira que Assola o País. Afirmou o vereador na tribuna daquela casa de leis: COMPANHEIRO VEREADOR, O LIXO JOGADO PELAS CARROÇAS DA PREFEITURA NA MARGEM DO CÓRREGO ESTANDARTE ESTÁ POLUINDO O CÓRREGO, ESTÁ AGREDINDO O MEIO AMBIENTE. Após uma breve pausa, complementou de forma vibrante: O LIXO TEM QUE SER JOGADO É NO MEIO DO CÓRREGO.

Link
JAURO GURGEL

JAURO GURGEL

JAURO José Studart GURGEL, durante muitos anos Editor Regional de O PROGRESSO, em Araguaína (TO),

Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...