MENU

26/05/2021 às 00h00min - Atualizada em 26/05/2021 às 00h00min

Coluna do Lima Rodrigues

 

Piscicultura pede isenção de PIS/COFINS na ração
para enfrentar aumento explosivo da soja e milho

A piscicultura brasileira enfrenta, como as demais atividades animais, um terrível desafio: o explosivo aumento dos custos de produção, especialmente pelo salto impressionante nos preços do farelo de soja e do milho – que, juntos, representam cerca de 70% do valor da ração.
Segundo o CEPEA/USP, em apenas um ano o milho dobrou de preços e a soja saltou 75%. Enquanto isso, os preços dos peixes de cultivo – puxados pela tilápia – mantêm-se praticamente estáveis.

Como resultado, o produtor não suporta mais o aumento significativo nos preços da ração de peixe.
O mercado é soberano e o aumento dos preços da soja e do milho decorrem de uma série de fatores. Porém, a piscicultura precisa de ajuda para superar este momento.
A PEIXE BR solicitou ao Governo Federal que suspenda imediatamente, por meio de decreto federal, a cobrança do PIS/COFINS incidente na ração.

Aves e suínos já contam com o benefício

“O governo federal tem se mostrado sensível em relação a outros tributos, como dos combustíveis. Esperamos que também tenha sensibilidade em relação à ração para peixes de cultivo e, assim, ajudar os piscicultores a enfrentarem esse momento de nossa economia. Importante dizer que aves e suínos já contam com esse benefício tributário. Nesse momento, a piscicultura está em desvantagem e espera que o bom senso das autoridades em benefício de mais de 230 mil produtores de peixe espalhados pelo país que geram renda, emprego e alimentos saudáveis para os brasileiros”, afirmou o presidente da Associação Brasileira da Piscicultura -  Peixe BR, Francisco Medeiros, que participou ontem em Parauapebas do Evento Meeting Aqua Parauapebas, cujo objetivo é o desenvolvimento socioeconômico e sustentável do Programa Municipal de Investimento (PMI), voltado para a área de piscicultura. Medeiros foi o principal palestrante do evento. (Com informações da Texto Comunicação – SP).
 

Associação Internacional de Criadores de Montana
auxilia produtores com seleção criteriosa do rebanho

O rebanho Montana soma 10 mil matrizes e a raça comercializa cerca de 800 touros com CEIP por ano. Entidade de fomento e valorização, a Associação Internacional de Criadores de Montana (AIC-MTN) oferece suporte aos associados para atingirem o máximo do potencial da raça, proporcionando ganhos indiscutíveis a cada safra em termos de produtividade. Atualmente, o banco de dados de bovinos cruzados e compostos Montana conta com mais de 350 mil animais avaliados à desmama, o que o torna o maior do mundo. “Hoje temos 10 criadores associados no Brasil e 1 no Uruguai com acesso a esse grande volume de informações. É essa a base da credibilidade que a AIC-MTN oferece para os criadores alcançarem o máximo potencial do rebanho. Convidamos todos os produtores a se juntarem à Associação. Trata-se de uma opção genética fantástica, com muita contribuição a dar à pecuária brasileira.”, explica Gabriela Giacomini, Superintendente Técnica da AIC-MTN.

Pedro Cândido, pecuarista de Goiás, utiliza genética Montana e se associou recentemente à AIC-MTN. Ele explica suas expectativas com a filiação. “Em 2020, tivemos média de 249,5 kg na desmama. Alguns animais pesaram 314 kg e outros 180 kg. Se conseguisse eliminar os bezerros mais leves, a média subiria. A Associação me ajudará a controlar o gado e, assim, identificar o melhor acasalamento para minhas vacas produzirem crias cada vez mais pesadas”.

Progresso genético

José Pavan Neto, presidente da AIC-MTN, destaca que a entidade ajuda os pecuaristas na tomada de decisão dos animais que devem permanecer no rebanho e dos que devem ser descartados. “Isso é essencial para o progresso genético. Oferecemos todo o suporte necessário, incluindo acompanhamento de geneticistas e avaliação técnica para o correto acasalamento e utilização das várias Diferenças Esperadas na Progênie (DEPs), como ultrassonografia de carcaça, desempenho e precocidade sexual”.
 
Os associados são classificados em dois grupos: Criador Junior - produtores de gado comercial, que desejam reunir informações sobre o valor genético de seus rebanhos - e Criador Pleno - produtores de touros e novilhas jovens com CEIP.

Os pecuaristas interessados em se filiar à Associação Internacional de Criadores de Montana devem entrar em contato pelo e-mail [email protected] A AIC-MTN oferece condições especiais para novos criadores até o fim do primeiro semestre de 2021, inclusive isenção da taxa de ingresso. (Texto Comunicação – SP.

Prefeitura de Parauapebas lança
Programa de Fomento à Produção Agrícola

Fomentar a produção rural de Parauapebas, no sudeste do Pará, é um dos objetivos estratégicos da gestão municipal. Na sexta-feira, dia 14 de maio, mais um programa da Secretaria Municipal de Produção Rural (Sempror) foi lançado. Trata-se do Ciclo Curto, que dá suporte para a produção de hortaliças, frutas e grãos, incentivando o uso eficiente da terra ao longo do ano.

O lançamento foi realizado com a presença de produtores na região do Cedere, na propriedade do Soli Borges, produtor rural há mais de 20 anos e que tem experiência com o cultivo de diversas produções e com o trato da terra, mas não abre mão da ajuda recebida pela Sempror.

 “Os técnicos me ajudam na regulação do solo, a como aplicar inseticidas, e muito mais. Sem eles eu não conseguiria alcançar o volume e a qualidade da minha produção”, destacou Soli. Além do apoio técnico, os produtores também contam com o serviço de mecanização agrícola no preparo da terra, disponibilizado pela Sempror.

O programa Ciclo Curto conta com uma equipe multidisciplinar composta por técnicos agrícolas, zootecnistas e engenheiros agrônomos que orientam os produtores sobre as melhores técnicas para produções que têm um tempo de duração curto entre o plantio e a colheita.

A engenheira agrônoma da Secretaria de Produção Rural de Parauapebas, Meireane Camargo, destaca quais as etapas trabalhadas pelo programa Ciclo Curto:

“O nosso programa trabalha em duas etapas, a primeira é essa, onde nós atendemos também a parte de hortaliças e o cultivo de melancia. A segunda etapa, ocorre no período das águas, quando a gente começa a orientação para o plantio de milho, mandioca, arroz e feijão”, explicou Meireane Camargo, engenheira agrônoma.

O secretário de Produção Rural de Parauapebas, Milton Zimmer, foi representado no lançamento do programa pela secretária adjunta da Sempror, Suely Guilherme, que destacou que o município tem terra bastante rica.

“Nesse mês que a gente comemora 33 anos de emancipação do nosso município (10 de maio), estamos mostrando que, além do minério, nós temos a riqueza da terra”, reforçou Suely Guilherme, secretária adjunta de produção rural, que representou o titular da pasta, Milton Zimmer, durante o lançamento. (Ascom-PMP).

Conexão Rural  

O lançamento do Programa de Fomento à Agricultura em Parauapebas é um dos destaques do Conexão Rural (TV Web O Progresso em Imperatriz) do próximo fim de semana. Os outros assuntos são:
- Assinada ordem de serviço para construção de ponte entre Canaã dos Carajás e Sapucaia, também no sudeste do Pará.
- Produtores rurais de Canaã destacam a importância da chegada da ponte à zona rural
- Na parte musical, o programa traz muita moda de viola.
- O Conexão Rural pode ser visto também domingo a partir das 13h30 na parabólica via TV Milagro Brasil, de São Paulo, com reprises durante a semana em vários dias e horários.
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...