MENU

07/04/2021 às 00h00min - Atualizada em 07/04/2021 às 00h00min

Coluna do Lima Rodrigues

Manejo biológico personalizado do solo aumenta a produtividade e a qualidade da produção agrícola

O microbioma (conjunto de micro-organismos) do solo pode melhorar a produtividade agrícola, pois os fungos, bactérias e outros elementos que o compõem participam da ciclagem de nutrientes, produzem substância que promovem o crescimento vegetal e protegem as plantas contra o ataque de pragas, doenças e estresse ambiental. Dessa forma, o manejo biológico do solo pode elevar a produtividade tanto em plantas de ciclo anual, como em áreas de cultivos perenes, como por exemplo o café e eucalipto. Este aumento de produtividade pode variar de acordo com a cultura, e é resultado da melhoria da produção e da qualidade final do produto, segundo dados da Andrios Consultoria.
 Outro benefício do equilíbrio do bioma do solo para o agricultor é a redução dos custos de produção em relação à menor necessidade de aplicação de insumos como fertilizantes e defensivos. Embora este microbioma seja único para cada espécie vegetal, variando de acordo com a cultivar e fase de crescimento da planta, a abundância de um conjunto de espécies microbianas está associada à melhoria do desempenho vegetal.

Metagenoma

De acordo com Marília Bixilia Sanchez, diretora científica da DSMA Biotecnologia, o manejo do solo se inicia com uma boa análise de seus componentes. “É essencial entendermos a estrutura da comunidade microbiana e seu metagenoma, e como ele é influenciado por diferentes tipos de solo, práticas agrícolas e variedades de plantas. Dessa forma, se conhecermos quais espécies são benéficas e quais não trazem vantagens para a produtividade vegetal, poderemos, por meio de práticas agrícolas adequadas, alterar sua composição e utilizar melhor o potencial desta microbiota para promover o crescimento e aumentar o rendimento dos cultivos.”(Flávia Romanelli – SP).

Leilão Outono Simental
Casa Branca vende touros por R$ 18 mil de média e atrai 28 compradores de 9 estados, incluindo o Tocantins

Vinte e oito criadores de nove estados (RS, PR, SP, MG, TO, GO, MS, PB e AL) fizeram negócios no Leilão Outono Simental Casa Branca, de Silvianópolis (MG), nos dias 29 e 30 de março. Destaque para a valorização dos reprodutores, com média de R$ 18.000,00. No total, foram vendidos 83 animais, entre fêmeas e reprodutores Simental de alta qualidade genética. O faturamento total foi de R$ 986.360,00.
 Os investidores arremataram 18 reprodutores por R$ 314.280,00, com média geral de R$ 18.000,00; 65 vacas, novilhas e bezerras por R$ 657.080,00 (média geral de R$ 10,4 mil). Também foram comercializados pacotes de embriões congelados.
A matriz mais valorizada foi PWM VACILAÇÃO AS, vendida por R$ 30.600,00. O reprodutor mais valorizado foi LGPM ZEUS, arrematado por R$ 36.000,00. Ambos foram adquiridos pelo Haras Caparaó (Avaré, SP). O maior comprador foi José Bauer Atayde, da Fazenda Cristo Redentor (Araçatuba, SP), que adquiriu 21 fêmeas Simental.

Cinco regiões

“O resultado do leilão comprovou a valorização da genética Simental Casa Branca por criadores de todo o país, já que tivemos compradores das cinco regiões. Esse resultado também mostra que a raça tem forte presença nacional e é reconhecida por suas qualidades em termos de ganho de peso, musculosidade e adaptabilidade”, destaca Paulo de Castro Marques, proprietário da Casa Branca Agropastoril.
“Todos os animais ofertados no Leilão Outono Simental Casa Branca são produtos do Programa de Melhoramento Genético da Casa Branca, com padrão de qualidade superior, selecionados para produção no clima tropical, que contribuem para a melhoria da produtividade da pecuária brasileira”, complementa Fabiana Marques, diretora da Casa Branca Agropastoril. (Mais informações sobre Simental Casa Branca nosite www.casabrancaagropastoril.com.br ou pelos telefones (35) 3452-0828 e (11) 2362-5350 – Texto Comunicação Corporativa - SP).

Abag recebe CropLife para avaliação sobre o cenário legislativo dos defensivos agrícolas no Brasil  

O Brasil é um país continental, com biomas e condições climáticas diversas, capaz de produzir diferentes alimentos para quase um bilhão de pessoas, utilizando menos de um terço de seu território para a produção agrícola. Para garantir o sucesso de suas colheitas, os produtores rurais necessitam de diferentes insumos em seu trabalho, como fertilizantes, pesticidas, herbicidas, entre outros produtos químicos e biológicos, utilizados de acordo com a necessidade de cada cultura e região, em quantidades necessárias e dentro de limites estabelecidos.
Em reunião do Comitê de Assuntos Jurídicos da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), foi lembrado que todos os produtos utilizados devem ser aprovados por órgãos reguladores, que passam por rigorosos testes de eficácia e segurança antes de serem registrados e permitidos para comercialização. Dada a diversidade de cadeias agroindustriais, o país, por sua condição tropical, exerce demanda por uma grande quantidade de aprovações de novos produtos, além de genéricos e outras tecnologias sujeitas à aprovação fiscal.(Mecânica Comunicação – São Paulo).

Tecnologias na produção de soja ajudam Brasil a ser líder mundial, afirma Presidente da BRANDT

Há dez anos, o Brasil produzia 75 milhões de toneladas de soja; em 2021, a safra deve superar 134 milhões de toneladas: aumento de quase 80% em apenas uma década. Com esse resultado excepcional, o Brasil superou os Estados Unidos, tornando-se o maior produtor global da oleaginosa. Para Wladimir Chaga, Presidente da BRANDT do Brasil, essa conquista não ocorreu por caso. “Temos capacidade técnica, variedades de sementes, excelentes condições de trato cultural, insumos e nutrição melhor ou igual ao que existe em qualquer lugar do mundo e competência”, afirma Chaga.
 “As modernas tecnologias são responsáveis pelo fantástico avanço da soja e de outras culturas agrícolas no Brasil”, complementa o presidente da BRANDT do Brasil. Ele se apoia em fatos para esta afirmação. Entre 2011 e 2011, a produtividade da soja no país saltou 12,8%, passando de 3.115 kg/ha para 3.513 kg/ha. A área plantada cresceu 59%, atingindo 38,46 milhões de hectares.

Tecnologia avançada

O Brasil utiliza o que há de mais avançado em tecnologia em nutrição. “A BRANDT coloca à disposição dos agricultores brasileiros quase 70 anos de experiência, testemunhando a dinâmica da agricultura em mais de 60 países, projetando, validando e evoluindo suas inovações, que fazem parte do manejo do campeão mundial de produtividade em soja o norte-americano RandyDowdy, com 213,2 sacas/ha. Com essas tecnologias, oferecemos aos agricultores brasileiros soluções certeiras que garantem a absorção e a translocação de cada componente dos nossos produtos pelas plantas, atuando diretamente na fisiologia das culturas e sendo indispensáveis na agricultura que busca alto rendimento”, afirma Chaga.(Texto Comunicação Corporativa – SP).

Com foco em biosseguridade, SANPHAR Saúde Animal participa do 21° Simpósio Brasil-Sul de Avicultura on-line

A SANPHAR Saúde Animal participa da 21ª edição do Simpósio Brasil-Sul de Avicultura (SBSA), no formato on-line em virtude da pandemia da Covid-19 e estará com estande virtual, equipe em pronto-atendimento para sanar dúvidas e apresentar as novidades aos produtores. 
O foco da Empresa será a linha de biosseguridade com produtos para controle ambiental e também com vacinas autógenas, temas cada vez mais relevantes em termos de produtividade, bem-estar, segurança e saúde animal. “A SANPHAR é parceira da avicultura, contribuindo com soluções que ajudam a atividade a produzir mais e melhor. Além disso, o evento já consolidado reúne diversos profissionais e produtores, e é um importante palco para avanços, novas tecnologias e inovações no setor avícola”, diz Everton Gardezan, coordenador de marketing da SANPHAR. 
O 21° Simpósio Brasil-Sul de Avicultura foi aberto ontem e prossegue até amanhã, 8 de abril, e, além dos estandes, conta com a transmissão de palestras com tradução simultânea para português e espanhol. (Giovanna Borielo – Sta Press – Grupo Texto – SP). 
Cuide-se. Use máscara. Se puder, fique em casa. Vacina Sim.
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...