MENU

10/03/2021 às 00h00min - Atualizada em 10/03/2021 às 00h00min

Coluna do Lima Rodrigues

Agronegócio

Seminário sobre agroecologia e agricultura promoverá troca de experiências entre países da América Latina
Termina hoje (10) o Seminário Internacional Agroecologia, agricultura familiar e ODS: políticas públicas na América Latina. O evento começou ontem (9). A iniciativa visa promover, entre países latino-americanos, a socialização e a troca de experiências sobre políticas públicas para a agroecologia, identificando as principais ações e desafios para a região.
O seminário é realizado de forma virtual, na plataforma de videoconferência Zoom, com tradução simultânea para o português e o espanhol. Ao final, será emitido certificado de participação para os inscritos que acompanharem toda a programação.
O seminário é voltado para técnicos e gestores dos governos de países da América Latina e membros de organizações e redes de agroecologia, universidades, centros de pesquisa, organizações não governamentais (ONGs) e de instituições internacionais.

Painéis

Durante o evento, serão apresentadas experiências da Argentina, do Brasil, da Colômbia, do Paraguai, do Uruguai e da Nicarágua. A programação conta com três painéis, nos quais serão abordados os seguintes eixos temáticos: sociedades rurais prósperas e inclusivas; sistemas alimentares e dietas sustentáveis; e gestão sustentável dos recursos naturais e resiliência dos meios de subsistência.
No dia 9, às 10h40, o primeiro painel do seminário aborou os instrumentos de política que favorecem os efeitos da agroecologia na redução da pobreza e no fortalecimento de territórios inclusivos. Participam o diretor de Sistemas Produtivos Alternativos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca da Argentina, Patricio Dowbley; a oficial de Agricultura da FAO Roma, Emma Siliprandi; e o diretor da Confederação das Organizações de Produtores Familiares do Mercosul Ampliado (Coprofam), Fernando López.
O segundo painel será realizado hoje, a partir das 10h10, e contará com a participação da coordenadora de Agroecologia e Produção Orgânica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Virgínia Cipriano; e do diretor de Políticas Agropecuárias do Ministério da Agricultura de Nicarágua, Omar Aguilar. Na pauta, as diferentes maneiras de como as políticas públicas de agroecologia podem contribuir para dietas saudáveis e sustentáveis.

Mudanças climáticas

Na sequência, às 11h05, ocorrerá o último painel, focado nas formas como as políticas públicas de agroecologia podem favorecer a resiliência dos meios de vida para as sociedades rurais frente aos efeitos decorrentes das mudanças climáticas. Participam a diretora executiva do programa de agroecologia da organização Alter Vida, do Paraguai, Hebe González; e o presidente da comissão de agroecologia do Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai, Eduardo Blasina.
O evento faz parte do projeto Semeando Capacidades, uma iniciativa de cooperação sul-sul trilateral, que busca o fortalecimento de instrumentos e políticas para a Agricultura Campesina, Familiar e Comunitária (ACFC) na Colômbia, por meio da troca de experiências com governo e organizações brasileiras.
O projeto é executado em conjunto pela Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil (Mapa), a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural da Colômbia (MADR). O evento também conta com o apoio da Reunião Especializada em Agricultura Familiar (REAF Mercosul) e está articulado com a iniciativa da FAO de ampliar a escala da agroecologia.
O seminário internacional sobre agroecologia e agricultura familiar é transmitido, ao vivo, no canal do Youtube da Organização das Nações Unidas da Colômbia. 

Febre aftosa: 2ª etapa da campanha de vacinação alcança mais de 98% do rebanho nacional

Durante a segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa de 2020, 98,36% do rebanho brasileiro foram imunizados, o equivalente a 76 milhões de bovinos e bubalinos vacinados com até 2 anos de idade.
De acordo com os dados parciais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), das 22 unidades da Federação que adotam a vacinação, foram contabilizados os dados de 21, faltando apenas a Paraíba, que ainda não enviou o relatório com os dados finais. Em razão da pandemia da Covid-19, o prazo da vacinação e envio da declaração pelo produtor ao órgão de defesa sanitária animal do seu estado foi prorrogado em 13 estados.
“A porcentagem alcançada na etapa é satisfatória, atinge os índices estabelecidos no Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (Pnefa) e mostra o comprometimento do setor em manter o status de área livre com vacinação”, destaca o diretor do Departamento de Saúde Animal, Geraldo Moraes. 

Retirada da vacinação

Conforme o Plano Estratégico do Pnefa 2017-2026, o Brasil segue executando as ações para garantir o status de país livre da febre aftosa e ampliar as zonas livres de febre aftosa sem vacinação.
Em 2020, o Mapa reconheceu seis estados brasileiros - Acre, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, regiões do sul do Amazonas e do noroeste do Mato Grosso - como livres de febre aftosa sem vacinação.
O reconhecimento nacional pelo Mapa é um dos passos para alcançar o reconhecimento internacional junto à Organização Mundial da Saúde Animal (OIE). O pleito brasileiro segue em avaliação e a expectativa é a OIE conceder esse reconhecimento para esses estados em maio deste ano.
Atualmente, no Brasil, apenas Santa Catarina é considerada, internacionalmente, como zona livre de febre aftosa sem vacinação.

Startup traz para o Brasil tecnologia inédita de análise genética do solo

A comunidade microbiana do solo é de fundamental importância para o desenvolvimento vegetal. Na produção agrícola, além de contribuir na estruturação do solo, os micro-organismos interagem diretamente com o sistema radicular da planta, auxiliando no fornecimento de nutrientes, proteção contra doenças, incremento na resiliência e modulação do crescimento vegetal. Dessa forma, quanto mais se conhece esses micro-organismos, mais eficiente é a gestão do uso de insumos e o resultado na produtividade das lavouras. Uma nova tecnologia promete fazer uma varredura nesses organismos para auxiliar na tomada de decisão dos agricultores brasileiros, a startup Biome4All está comercializando no Brasil a Agri-Analysis, plataforma que analisa o DNA de bactérias e fungos presentes no solo e a partir desta informação é possível estabelecer parâmetros de qualidade do solo e inferir produtividade agrícola e riscos à biossegurança.
Trata-se de uma ferramenta inovadora para a análise de dados de sequenciamento de DNA de microbiomas e, por meio da correlação dessa informação com parâmetros de produtividade e qualidade ambiental, feitas pelas empresas parceiras Andrios e DSMA, podem auxiliar o produtor ou empresas na tomada de decisão no campo.
Segundo a Dra. Cristiane Andreote, diretora da Andrios estas informações compõem um conjunto de dados que dão suporte à análise técnica de amostras de solos, tanto para projetos de desenvolvimento, como para auxiliar as empresas e produtores nas validações dos manejos e de aplicação de produtos, confirmando as melhorias causadas na microbiologia dos solos. (Flávia Romanelli - SP).

Os destaques do Conexão Rural para 13 e 14 de março de 2021

Em homenagem às mulheres, vamos apresentar a música e uma entrevista com a dupla de Canaã dos Carajás, no Pará, Deyse e Leandra.
E mulheres do agronegócio comentam sobre o trabalho que desenvolvem em suas cidades, sob o comando da jornalista paulista Lilian Munhoz;
E vamos rever trechos de histórias de mulheres paraenses que atuam no agro.


 

O Conexão Rural é veiculado todo sábado às 9h30, com reprise no domingo no mesmo horário, pela Rede TV de Parauapebas (PA), pode ser visto pelo You Tube e pelos sites parceiros: TV Web O Progresso, de Imperatriz (MA); O Nortão, de Porto Velho (RO); Minuto Rural, de Piraí do Sul (PR); Norte Agropecuário, de Palmas, e Folha do Bico, de Araguatins, também no Tocantins e agora também pela TV Milagro Brasil, de São Paulo, canal focado ao mundo do agro que fez sua estreia em fevereiro em rede nacional via parabólica, frequência 3.665 Megarretz, além das redes sociais do jornalista Lima Rodrigues, produtor e apresentador do programa. 

Fique em casa. Use máscara. Previna-se.
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...