MENU

03/03/2021 às 00h00min - Atualizada em 03/03/2021 às 00h00min

Coluna do Lima Rodrigues

  

Pecuaristas destacam a importância da agropecuária do Pará

Xinguara é o município do sul do Pará que tem mais de 500 mil cabeças de bovinos e é considerada a capital do Boi do Gordo. O município conta também com importantes frigoríficos que contribuem para o aumento das exportações de carne do Brasil.
Além disso, devido ao grande número de propriedades rurais, algumas lojas de produtos agropecuários foram abertas em Xinguara nos últimos 30 anos, como é o caso da Casa da Roça, que acaba de inaugurar sua nova e ampla loja na Avenida Xingu, no centro da cidade.

A inauguração


Logo cedo houve queima de fogos e os convidados começaram a chegar para participar do evento. O empresário e pecuarista Wellington Rosa, mais conhecido por TA, recepcionava os clientes e amigos com muita simpatia. 

A loja é moderna é oferece todos os produtos necessários para o produtor rural produzir mais com tranquilidade. Arame farpado, produtos de saúde animal, nutrição animal, arreios, botas e botinas, chapéus e muito mais....

Com o empresário TA ao lado da esposa Shirlene e dos funcionários da empresa, a cerimônia foi aberta com uma oração feita pela Pasto José Elias, em seguida houve a execução do Hino Nacional; depois o TA agradeceu a presença de todos os clientes, fornecedores e colaboradores, o cantor gospel Júnior cantou duas músicas e o Pastor Adelson fez a oração final.

O pecuarista Beto Hernandes, da Fazenda Rio Vermelho, falou em nome dos produtores rurais da região que são clientes da Casa da Roça. Elogiou a iniciativa do empresário TA em acreditar no potencial de Xinguara e inaugurar uma ampla loja.
O pecuarista Onício Lauriano também falou em nomes dos antigos clientes  e também elogiou o empresário TA pelo investimento na loja de agropecuária, criando emprego e renda no município.

O evento contou também com a participação de empresas parceiras que fornecem os mais variados produtos agropecuários para a Casa da Roça, entre as quais a Biogenesis Bagó, da área de saúde animal.

E os pecuaristas que participam da cerimônia elogiaram a coragem do empresário e pecuarista TA em investir numa loja moderna em um momento de incertezas por causa da pandemia e destacaram a importância da agropecuária paraense.

O presidente do Sindicato Rural de Água Azul do Norte (PA), Diogo Pirelli, e vários pecuaristas que vieram de São Paulo, Goiás e Minas Gerais há mais de 30 anos, disseram que investiram no estado porque acreditaram e acreditam na agropecuária do Pará, “além do estado oferecer terras excelentes para o plantio e para a criação de gado”.

Também participaram da cerimônia, o sócio-gerente da Casa da Roça em Marabá, José Cláudio de Paula e o diretor da Casa da Roça em Curionópolis, Wesley Rosa, o “Alfinete”.
O empresário e pecuarista “TA” – disse que estava “muito feliz pelo novo empreendimento” e que “acredita no agronegócio e no potencial da agropecuária do Pará, especialmente com o governo do presidente Jair Bolsonaro”.

Hidroponia e avicultura


A vida de algumas famílias da comunidade Nova Esperança II, às margens da VS10, em Parauapebas, no sudeste do Pará (PA), começou a mudar para melhor desde do final do ano passado, quando eles começaram a participar do Projeto de Fortalecimento da Agricultura  Familiar, através da Implantação de Projeto de Horticultura e Avicultura, por intermédio da Associação dos Agricultores e Horticultores do Estado do Pará (Aspror), vinculada à Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar (Fetraf), em parceria com a prefeitura de Parauapebas. O projeto conta com o apoio da mineradora Vale, que disponibilizou o valor de R$ 278.663.08 para a implantação do projeto. Incialmente, dez famílias estão sendo beneficiadas com a implantação do sistema de hidroponia na produção de alface e coentro e três famílias com atividades na área de avicultura, com a construção de galinheiros, com 200 aves cada, fornecimento de insumos e assistência técnica da empresa Agroplantec.

“Com o projeto, cada família terá uma renda mensal de R$ 3 a R$ 4 mil”, conforme destacou o presidente da Aspror, Dill da Fretraf.

Como funciona o sistema


A empresa responsável pela a implantação do projeto (AGROPLANTEC), presta toda a assistência técnica aos agricultores. 

De acordo com o Coordenador do Projeto/Agroplantec, Luiz Rogério de Sousa, o sistema é simples: “as plantas ficam suspensas, as sementes são adquiridas em lojas especializadas e colocadas para germinar durante três dias. Depois elas vão para o perfil do berçário e lá ficam até 15 dias, a chamada fase de crescimento. Após esse período vão para o perfil das bancadas de fase final que estão aptas para a venda entre 45 dias a 55 dias. As alfaces são cultivadas sem o solo e a água fornece todos os nutrientes que elas precisam para se desenvolver”, disse ele.

Algumas vantagens:


Redução do tempo de cultivo e uso de agrotóxico;

Economia de agua de até 70% em comparação a agricultura tradicional e produção de alimentos de alta qualidade;
Uso eficiente de nutrientes;

Maior aceitação no mercado pois cresce limpas, bonitas e saudáveis. 

Semi-Hidroponia – Cultivo do coentro 


“Três bancadas produzem 1.050 pés de alface a cada 45 dias. O sistema também conta com caixa d’água, motor, e sistema de irrigação. 
 
Já os coentros são cultivados no sistema semi-hidropônico, ou seja, utilizando o substrato do caroços do açaí, cujo estado do Pará é o maior produtor do país. A água também fornece todos os nutrientes que precisam para se desenvolver. Uma bancada produz 700 marços de coentro a cada 30 dias. O sistema conta com caixa d’água, motor e adubação”, destacou Luiz Rogério.

Agricultores satisfeitos

O agricultor Domingos Lopes, que veio do Maranhão há dez anos, e há cinco anos mora na comunidade Nova Esperança Dois no município de Parauapebas, está tendo um bom resultado financeiro mensal com a utilização de duas linhas da chácara com a plantação de coentro e coelho. “Estou muito feliz com o projeto. Aumentei bastante minha renda mensal e já estou até expandindo a plantação de alface e de coentro”, afirmou.

Além da hidroponia, os agricultores também estão sendo beneficiados com atividades na área de avicultura. O agricultor goiano José Barbosa da Silva, o “Zezinho”, que também está na comunidade Nova Esperança há cinco anos, receberá em breve 200 aves e um galinheiro novinho, aves e insumos necessários até a primeira produção. “Com a implantação do galinheiro, vou poder vender galinhas para os moradores de Parauapebas e da região e aumentar a minha renda”, disse ele.

Vamos torcer para que este projeto de Hidroponia e Avicultura obtenha bastante sucesso em Parauapebas, e beneficia de fato muitas famílias paraenses.

Estas matérias sobre a inauguração da nova loja da Casa da Roça em Xinguara, comentários de produtores rurais sobre a agropecuária do Pará e o Projeto de Hidroponia e Avicultura são destaques do Conexão Rural do próximo fim de semana na TV WEB O Progresso, de Imperatriz, em sites parceiros de Rondônia, do Tocantins, Pará e Paraná, além da Rede TV de Parauapebas (PA).

O Conexão Rural também pode ser visto todo domingo às 13h30 na parabólica via TV Milagro Brasil (frequência 3.665 Megarretz) com repise às segundas, quartas, sextas e domingos às QUATRO da tarde. E às terças, quintas e sábados às SEIS E MEIA DA MANHÃ e às 16 de sábado também.
A parte musical do programa fica por contada dupla paulista Simões e Santana.
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...