MENU

06/02/2021 às 00h00min - Atualizada em 06/02/2021 às 00h00min

Coluna do Illya


A covid-19 e o erro das festas para 150 pessoas
Nesses tempos em que tudo sobe, principalmente os números de infectados pelo novo coronavírus, estão liberadas as festas para até 150 pessoas. Se 10 pessoas juntas a depender do espaço ocupado pode ser uma aglomeração, imagina 150? Lhe faço um convite: tomemos como exemplo a Avenida Pedro Neiva de Santana onde se concentra um grande número de bares, restaurantes e afins. O espaço divisor entre um e outro é mínimo, coisa de centímetros ou vá lá, metros. Em frente a estes, um amplo espaço - já que estamos próximo do carnaval, vamos usar o termo – área concentração, cheio de mesas e cadeiras. Festivamente, 150 pessoas em um estabelecimento, 150 pessoas em outro e assim, assim, lado a lado, ao longo da avenida, quantas pessoas teremos mesmo? Haja festa e gente. 
- Solta, a Covid nem fica à espreita. Se espalha.

Perdeu, Ceará
A história ou melhor, a falcatrua todos conhecem. Em Açailândia, a Câmara de Vereadores se dividiu em duas bandas. Uma com nove vereadores se reuniu no início da madrugada do dia 1º e elegeu o vereador Feliberg Melo Souza, presidente. Pois bem, horas depois, o vereador Ceará juntou a outra banda, de sete vereadores, fez uma sessão onde Judas perdeu as botas, inverteu a ordem matemática (entendeu que oito é maior que o resto que sobra dos dezessete), cassou o mandato dos nove e, da nova mesa diretora. Como prepotência não lhe falta, se apropriou da presidência e deu posse aos suplentes. Como sempre tem um dia atrás do outro, anteontem (04) o presidente do STJ, ministro Humberto Martins deu uma canetada e enfiou a viola no saco do vereador Josibeliano Chagas Farias.

Borracha nele, Açailândia
O ato do STJ além de colocar um ponto final no episódio que paralisou o Legislativo de Açailândia  restabelece, sobretudo, a vontade popular que deu mandato aos nove eleitos, inclusive, o da vereadora mais votada. Tudo indica que depois de escrever um triste capítulo na história política da cidade, Ceará descubra que sua assinatura para o vergonhoso ato, valeu tanto como se fosse assinada a lápis. Quiçá, o eleitorado ou a Justiça lhe passe uma borracha.

O dia em que Tarzan... 
Quem é da velha guarda assistiu muito e se lembra de Tarzan, O Rei das Selvas. Johnny Weissmuller e Lex Barker foram suas melhores “encarnações” no cinema.  Esta semana, os aficionados pelo homem-macaco que enfrentava crocodilos e leões, foram surpreendidos com a notícia da morte de Mike Henry. Praticamente desconhecido, o ex-jogador de futebol americano por três vezes encarnou o papel: “Tarzan e o Vale do Ouro” (1966), “Tarzan e O Menino da Selva” (1968) e com gravações no Brasil (1967), “Tarzan e o Grande Rio”.    

… correu da vaca
Aqui, durante as filmagens e enquanto interagia com alguns fãs na Quinta da Boa Vista (RJ), decepcionou a galera quando se deparou com uma vaca que corria a solta. Surpreendido quando o animal partiu em sua direção, nem precisou de cipó para sair em desabalada carreira.

Inaugurou
É de Cidelândia a Portaria de 01/2021 instaurada pela Procuradoria Geral de Justiça em investigação criminal contra o prefeito de Cidelândia, Fernando Teixeira (PP). A abertura do procedimento foi motivada pela contratação precária de servidores públicos sem a realização de concurso. Os autos estão sob a responsabilidade do assessor da Procuradoria, promotor de Justiça, Pedro Lino Silva Curvelo.

O que, a maranhense tem
Um adolescente de 17 anos foi encontrado pela PRF em Cumari (GO) depois de desaparecer em Uberaba (MG) de onde saiu, de bicicleta, para encontrar uma garota no Maranhão (2.587 km de distância) a quem conheceu pela internet. 

Será que ele é?
Morador de Caçador (SC) se assustou ao descobrir que um galo de sua propriedade botou ovo. Se não for culpa da pandemia, o galináceo é hermafrodita. 

Só o filé
A empresa VLI quer devolver a União 1.751 km de trilhos, que é parte do contrato de concessão e arrendamento firmado em 1996. 565 destes estão no ramal ferroviário entre Vitória (ES) e Itaboraí (RJ). Para tanto se propõe a compensar o Governo Federal em R$ 418,48 milhões sob o argumento de que, no momento, não há demanda do mercado por operação de transporte ferroviário de cargas no local. Quando se trata de concessões é natural que os ossos venham junto com a carne. Alguns, porém, querem só o filé.
Link
ILLYA NATHASJE

ILLYA NATHASJE

ILLYA Ulianov Buby NATHASJE é publicitário e Diretor Comercial de O PROGRESSO.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...