MENU

02/02/2021 às 00h00min - Atualizada em 02/02/2021 às 00h00min

Coluna do Illya


​Qual é a dúvida?

1-Em 1989, no segundo turno da eleição presidencial, durante debate na TV, Fernando Collor de Melo acusou Lula de planejar o confisco da poupança dos brasileiros. Eleito, Collor foi além da poupança. Bloqueou também as contas bancárias e aplicações financeiras.

2-Candidato a prefeito de São Paulo em 2004, José Serra assinou em cartório um documento onde afirmava que não deixaria o cargo, dois anos depois para ser candidato a governador. Deixou!

3 – Em sua cruzada contra tudo e todos, o candidato Jair Bolsonaro denunciava “a forma perniciosa e corrupta de se fazer política nas últimas décadas, caracterizada pelo loteamento do Estado, o popular ‘toma lá-dá-cá’ (assim mesmo, como registrado em seu programa de Governo na Justiça Eleitoral).

Pois bem, ontem a Câmara dos Deputados e o Senado Federal elegeram seus presidentes, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG), respectivamente. Isto é, o presidente Jair Bolsonaro elegeu ontem o presidente da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Pode se afirmar diante da generosa distribuição de emendas que o capital político do presidente inexiste. Diante do toma lá, dá cá, prevaleceu a influência do poder com sua linha tênue da assinatura, ou seja, A caneta. Assim, nesse prisma que passa ano e entra ano, governo a governo, permanece exatamente as mesmas promessas e os mesmos métodos, resta ao eleitor esperar a próxima e se deixar, engabelar. As palavras o vento leva. Já as ações, nós estaremos sempre fadados a pagar por elas. 
 – Alguma dúvida?

Adeus…. 
Nada é para sempre. Quem já viveu o Maracanã palco de grandes disputas, assistir um Palmeiras e Santos, foi sofrível. Até o Sobrenatural de Almeida, o personagem criado pelo insubstituível Nélson Rodrigues para explicar o inexplicável se recusaria a subir a rampa da estátua de Bellini. 

… velho Maraca
Pior que o jogo, foi a mafiosa distribuição de convites. Um estádio que já teve uma geral entre tantos estádios como das mais confortáveis pela generosa visão que proporcionava, ver adentrar um grupelho de privilegiados, escolhidos sabe-se lá, sob quais interesses, foi triste. Resta o consolo de que a companhia fez jus ao espetáculo. O jogo foi uma merda.

Cavalo de Aço. Uma lição?
Se olhado pelos últimos 5 anos, o time do Palmeiras que se sagrou campeão da América no domingo representa uma lição e pode ser um belo modelo a ser copiado por dirigentes que buscam moldar suas agremiações. Do time em campo, exceto Rony, não havia grandes cifras envolvendo os jogadores contratados. A grande maioria foi formada na base. Se garimpar os inúmeros campos espalhados pelos bairros de Imperatriz, certamente haverá de se descobrir inúmeros talentos a serem lapidados. 

Investimento?
Um velho radialista, fez ontem para a Coluna, a indefensável observação: “O detalhe é que não comprar jogador, não dá dinheiro. Não vender, menos ainda”.

Escambo
Tem deputado (mais de um) e senador aplaudindo e noticiando aos quatro ventos a abertura de novas agências ou postos de serviços da Caixa Econômica Federal em diversos municípios. Entretanto, entre esses, não se viu nenhum, criticando o Governo por conta do fechamento de centenas de agências do Banco do Brasil.

Escrito nas estrelas
O presidente da Assembleia Legislativa Othelino Neto que deseja voar mais alto, disse ontem que se o governador Flávio Dino for o candidato ao Senado, ele abre mão de sua intenção de ser candidato e o apoia. Tá tudo muito bom, mas o que vai querer Othelino, hoje muito afinado com o senador e pré-candidatíssimo ao governo, Weverton Rocha, em troca? Ser o candidato a vice, ora bolas!  

Até tu, Brutus?
Depois de afirmar durante entrevista não ter plano B ou C para as eleições de 2022, o vice-governador Carlos Brandão que julga ser ele a opção A, foi “despejado” pelo secretário de Cidades, Márcio Jerry que tascou: “Dormir e acordar pensando só em eleições do próximo ano é misto de irresponsabilidade e descompromisso com nosso povo e seus graves problemas”.

QuiáQuiáQuiá
Segundo José Sarney enquanto discursava no Palácio Tiradentes (a então Câmara dos Deputados) no Rio de Janeiro, Carlos Lacerda teria sido apartado por uma deputada, que o criticou: - O senhor é um purgante…
Na bucha, Lacerda retrucou: - E a senhora, o efeito dele.
Link
ILLYA NATHASJE

ILLYA NATHASJE

ILLYA Ulianov Buby NATHASJE é publicitário e Diretor Comercial de O PROGRESSO.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...