MENU

16/01/2021 às 00h00min - Atualizada em 16/01/2021 às 00h00min

Bastidores


Desafios
A Frente Nacional de Prefeitos (FNP) promoverá no dia 22 de janeiro (sexta-feira), a primeira reunião do ano com prefeitos que governam cidades do G110, um grupo identificado pela entidade com população superior a 80 mil habitantes, baixa receita per capita e alta vulnerabilidade socioeconômica. Virtual e com programação ainda preliminar, o encontro tem como objetivo apresentar a metodologia de cálculo utilizada no estudo e discutir parcerias para enfrentar os principais desafios conhecidos dessas localidades. Em 2020, 112 municípios foram identificados nesse perfil, que abrange mais de 23,8 milhões de brasileiros, ou seja, 11,3% da população. Os números foram divulgados pela FNP em dezembro, em uma nota técnica que analisou, ainda, os impactos das medidas adotadas para o enfrentamento da pandemia ocasionada pela COVID-19 nesses municípios. De acordo com a publicação, a ausência de critério para os repasses proporcionou uma divisão de recursos desigual, especialmente no caso dos municípios. Sobre o G100, a avaliação é de que o grupo recebeu recursos abaixo da média dos demais municípios.

Reeleito
O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), Erlânio Xavier (PDT), reelegeu-se para comandar a entidade por mais dois anos. Prefeito de Igarapé Grande, ele derrotou a chapa encabeçada pelo prefeito de Caxias, Fábio Gentil (Republicanos), por 112 votos contra 96. O vice-presidente eleito é o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio (PP). Da região tocantina, não há nenhum prefeito na chapa com cargo de destaque. 

E...
O resultado  da eleição da FAMEM é visto como uma vitória do senador Weverton Rocha (PDT) e uma derrota do vice-governador Carlos Brandão (Republicanos) e do deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL). Houve uma queda-de-braço entre os três pelo controle da entidade visando as eleições de 2022, em que Brandão e Weverton pretendem disputar a sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB). Na verdade, a FAMEM não influencia em muita coisa na eleição estadual, porque os prefeitos seguem rumo próprio, e não o desejado pela entidade. Mas a eleição mostrou qual dos dois tem mais prestígio junto aos 217 prefeitos.

Fora
E nessa queda-de-braço de dois grupos aliados pelo comando da FAMEM, o governador Flávio Dino manteve-se distante. Não se movimentou a favor de nenhuma chapa. Poucos dias antes da eleição, o deputado federal e agora Secretário das Cidades, Márcio Jerry, revelou que o governo não iria se interferir na eleição. “Em respeito a entidade e soberania do voto não iremos interferir. Nosso desejo é que haja um pleito democrático e a entidade termine fortalecida e unificada em condições de implementar a pauta municipalista”, disse Jerry.

Estoque
O ministro Ricardo Lewandowski deu cinco dias para o Distrito Federal e os 26 estados informarem ao Supremo Tribunal Federal (STF) a real situação dos estoques de seringas e agulhas para a vacinação contra a covid-19. As informações servirão de subsídio para o ministro tomar uma decisão sobre uma ação apresentada pelo partido Rede Sustentabilidade. Caso falte insumos, o partido pede que o STF obrigue o governo a apresentar, em 48 horas, o planejamento de novas compras de seringas e agulhas.

Vacinação na Ilha
Ontem, o prefeito de São Luís, Eduardo Braide, anunciou o plano de imunização na capital. O primeiro momento será dividido em três fases, com intervalos de sete semanas entre cada um, prevendo uma vacinação de 148.301 ludovicenses em um prazo de 21 semanas. A vacinação no dia 20 de janeiro começará de forma exclusiva a 143 idosos residentes em instituições de longa permanência e 36.917 profissionais da saúde de São Luís. Essa primeira fase tem uma estimativa de duração de sete semanas.
Link
CORIOLANO FILHO

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO Miranda Rocha FILHO, passou a comandar a Redação depois de ter passado por praticamente todos os setores do jornal.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...