MENU

02/12/2020 às 00h00min - Atualizada em 02/12/2020 às 00h00min

Coluna do Lima Rodrigues

 
Governador Helder Barbalho e este colunista em Curionópolis - Foto: João Filho
Vale se compromete a asfaltar estrada de acesso à Serra Pelada
O garimpo está longe de ser reaberto, mas o distrito de Serra Pelada só cresce e cada vez mais recebe mais infraestrutura como saneamento básico, escola, praças, asfalto nas ruas, entre outros benefícios. Mas o principal benefício há muito tempo reivindicado pelos moradores de lá é o asfalto da estrada que liga a vila de Serra pelada à PA-275, entre Curionópolis e Eldorado do Carajás, no sudeste do Pará. Hoje, são 35 km de chão. Em tempo de chuva, atoleiro. No verão, muita poeira e sofrimento.
A boa notícia veio com a chegada de outra notícia importante. O grande espaço da Assembleia de Deus no centro de Curionópolis ficou pequeno para receber tanta gente na sexta-feira, 27 de novembro. O dia era especial. A cidade estava recebendo a visita do governador do Pará, Helder Barbalho. Ele foi assinar a licença de instalação do Projeto Serra Leste, da Vale, naquele município. A ação representa cerca de 1,3 mil novos empregos na obra e, aproximadamente, 1,1 mil quando o projeto estiver em funcionamento. Em junho deste ano, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) emitiu a licença prévia do empreendimento, autorizando a ampliação do projeto
De acordo com o previsto no Relatório de Impacto Ambiental (Rima), o Projeto Serra Leste 10 Mtpa poderá ser instalado no município de Curionópolis, a 550 km de Belém, no estado do Pará, representando uma ampliação do projeto já existente, denominado Mina Serra Leste, já licenciado junto a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).
O Projeto Serra Leste prevê a extração e o beneficiamento de 107 milhões de toneladas de minério de ferro, totalizando um tempo de vida útil de aproximadamente 11 anos. O projeto consistirá na extração e beneficiamento de minério de ferro a umidade natural, o que descarta a necessidade de uso expressivo de água e a implantação de barragens. O escoamento da produção será realizado pela Estrada de Ferro Carajás (EFC).
Ainda de acordo com o relatório apresentado pela empresa, para a implantação do Projeto, estão previstas uma série de ampliações das estruturas existentes e a abertura de novas cavas para extração de minério, novas pilhas de disposição de estéril e nova usina de beneficiamento, bem como adequação e ampliação das estruturas de apoio existentes.
Emprego e renda – A produção mudará o volume de arrecadação municipal, de empregos, bem como serão ampliadas as ações ambientais para diminuir os possíveis impactos sociais e ambientais na região. De acordo com o Rima, apresentado pela empresa responsável pelo projeto, a ampliação demandará a contratação de aproximadamente 1.363 trabalhadores, entre mão de obra própria (1.089 trabalhadores) e terceirizada (274 trabalhadores). Desta mão de obra, estima-se que 85% fará parte do quadro de operários da construção civil e da montagem eletromecânica.
A cerimônia de assinatura da licença de instalação do Projeto Serra Leste em Curionópolis, além do governador Helder Barbalho, contou com a presença da prefeita eleita do município, Mariana Chamon, MDB, do deputado estadual Chamonzinho, também do MDB; de secretários estaduais e municipais, vereadores, outras autoridades e de representantes da Vale:
O governador Helder Barbalho falou sobre a importância do Projeto Serra Leste e destacou o compromisso da Vale para a pavimentação asfáltica da entra que a liga a PA 275 ao Distrito de Serra Pelada.
 
Regularização fundiária
Estabelecer critérios técnicos e procedimentos para regularização fundiária em áreas urbanas e rurais e, consequentemente, combater o desmatamento e a ocupação irregular de terras. Com esse objetivo, o governador Helder Barbalho assinou, dia 25 de novembro, em solenidade no Palácio dos Despachos, em Belém, os decretos 1.190 e 1.191, que regulamentam a Lei Estadual nº 8.878, aprovada pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) em 2019.
Os novos decretos permitem ao Estado avançar na regularização de terras já ocupadas por pequenos, médios e grandes produtores, desde que estes estejam dentro do perfil e atendam aos critérios estabelecidos. A medida não vale para processamento e análise dos pedidos de regularização fundiária de áreas rurais compostas integralmente com cobertura florestal primária, que deverão ser submetidos a outros procedimentos para concessão do uso sustentável.
As competências para coordenar, normatizar e supervisionar o processo de regularização fundiária de áreas rurais em terras do território paraense, e para expedir os instrumentos de titulação, serão de responsabilidade técnica do Instituto de Terras do Pará (Iterpa). A regularização em Assentamentos Sustentáveis (AS), Assentamentos Extrativistas (AE) e remanescentes das comunidades quilombolas (TEQ) serão previstas em decretos próprios.
Ao visitar Curionópolis, dia 27 de novembro, o governador Helder Barbalho disse que a regularização fundiária beneficiará muita gente e dará garantias jurídicas aos produtores rurais do Estado e estas garantias facilitarão, entre outros benefícios, a obtenção de financiamento bancário para incrementar seus negócios. (Com informações da Agência Pará).
 
Vale divulga nota oficial sobre Serra Leste
Rio de Janeiro, 27 de novembro de 2020 - A Vale S.A. (“Vale” ou “Companhia”) informa que recebeu, nesta data, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS) a Licença de Instalação (LI) para retorno e ampliação das operações em Serra Leste, em Curionópolis (PA), paralisada desde janeiro de 2019, depois de ter atingido o limite da área até então licenciada para a extração do minério de ferro.
Nas próximas semanas serão realizadas manutenções para a retomada segura das operações em dezembro. Serra Leste, com capacidade de produção de 6 Mpta, tem expectativa de produção de cerca de 4-5 Mtpa em 2021, atingindo sua plena capacidade em 2022, seguindo o ramp-up programado das atividades de retomada. O projeto de expansão, que consiste na adaptação e repotencialização da usina existente, permitirá a ampliação da capacidade para 10 Mpta, com startup previsto para o 1º semestre de 2023.
O retorno de Serra Leste é mais um passo na estabilização de produção de minério de ferro e no caminho para o retorno da capacidade produtiva de 400 Mtpa.
 
Lima Rodrigues e o pecuarista Júnior da Serrinha, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Sapucaia (PA) - Foto: Ana Cláudia Aragão
Leilão de gado movimenta a economia de Sapucaia
A aconchegante cidade de Sapucaia está localizada às margens da BR 155, entre os municípios de Xinguara e Eldorado do Carajás, no sudeste do Pará. Com 24 anos de fundação, de acordo com o IBGE, o município tem cerca de 6 mil habitantes. O comércio é bem diversificado, mas o forte mesmo é a pecuária, com inúmeras propriedades rurais, com destaque para a criação de gado, especialmente da raça Nelore.
Uma prova disso são os leilões comerciais de gado promovidos em média duas vezes por mês pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Sapucaia, que movimentam entre R$ 2,5 milhões e R$ e 4 milhões. O mais recente ocorreu no sábado, dia 28 de novembro, e ofereceu mais de 4 mil animais para os pecuaristas do município e de outros municípios vizinhos como Xinguara, Rio Maria, Canaã dos Carajás e Parauapebas.
Os leilões movimentam a economia do município e geram emprego e renda para o pessoal que trabalha com o manejo do gado e para os vaqueiros, como é o caso do baiano Itamar Camilo dos Santos, que já mora no Pará há mais de 20 anos e há 15 anos trabalha como vaqueiro, e até incentiva o filho Lucas, de 8 anos, a ter amor pelos bovinos. Itamar disse que os leilões dão oportunidade de trabalho para rapaziada mais nova da região.
Os motoristas de caminhões gaiolas que transportam o gado na região também faturam um dinheiro a mais com os leilões. O motorista Cláudio Pereira do Nascimento há mais de cinco anos transporta gado para leilões de Sapucaia, Rio Maria e Xinguara, no sul do Pará. “Esses leilões ajudam muito, porque a gente está sendo transportando gado na região e faturando um pouco mais”, disse ele.
O presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Sapucaia, Júnior da Serrinha, reafirmou o que disse o motorista Cláudio. Realmente os leilões movimentam a economia do município e permitem a realização de grandes negócios entre os produtores rurais do município e do sul do Pará.
 
André Teodoro, diretor-presidente da André Teodoro Leilões Rurais, de Xinguara (PA) - Foto: Ana Cláudia Aragão
Os leilões promovidos em Sapucaia são comandados pelo o André Teodoro, da André Teodoro Leilões Rurais, de Xinguara, no Pará. André é goiano de Taquaral e veio para o Pará há 30 anos com os pais Walter e Maria das Graças e irmãos. Trabalhou em Xinguara com manejo de gado durante 10 anos na empresa Janaína Leilões e há dois anos resolver criar sua própria empresa de leilões.
O André está atento a tudo. Conversa com caminhoneiros e vendedores de animais, checa todos os detalhes, comemora uma venda em destaque com entusiasmo e está sempre em movimento durante os leilões. Durante a pandemia ele promoveu também leilões virtuais e já definiu a data do próximo leilão presencial: dia 19 de dezembro.
Segundo ele, os produtores rurais saem satisfeitos dos leilões. “O negócio é bom é quando vendedores e compradores de gado ficam satisfeitos. O negócio tem que ser bom para os dois lados”, destacou André.
O pecuarista Fernando Silveira estava no leilão com um amigo e a família e disse que sempre participa dos leilões comerciais de gado em Sapucaia “porque eles são os melhores leilões do sul do Pará”.
O representante comercial da Cargil-Nutron, Felipe Morais, participa há muitos anos de leilões no Pará e destacou que eles movimentam a economia e mostram a força da pecuária no estado.
 
A retomada do projeto Serra Leste pela Vale, a visita do governador do Pará, Helder Barbalho, à Curionópolis e o Leilão Comercial de Sapucaia, são destaques do Conexão Rural do próximo fim de semana. Confira:
Governador do Pará, Helder Barbalho, regulamenta lei 8.878 que trata da regularização fundiária no estado;
Vale recebe autorização para retomar o Projeto Serra Leste no município paraense de Curionópolis;
Estrada que dá acesso ao distrito de Serra Pelada será asfaltada ano que vem, é o compromisso assumido pela mineradora Vale;
Município de Sapucaia realiza leilões comerciais que movimentam a economia da região;
Na parte musical, teremos a música de Almir Sater e Renato Teixeira.
Conexão Rural, a voz do campo na TV, quase nove anos no ar, levando até vocês as notícias de interesse do homem do campo e o melhor da moda de viola, da música sertaneja e da música regional.
A gente se vê no Conexão Rural na TV Progresso Web domingo às 9h30. Também disponível no YouTube. Até lá.
Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...