MENU

15/10/2020 às 00h00min - Atualizada em 15/10/2020 às 00h00min

Bastidores


Sumiu!
O ex-deputado federal Davi Alves Silva Jr. está ausente da eleição municipal em Imperatriz. Não se  vê em campanha por nenhum dos candidatos a prefeito, embora na pré-campanha tenha conversado com alguns deles. Mas isso não é surpresa. Até mesmo na sua campanha para deputado federal ele pouco aparece para pedir votos. Somente no “apagar das luzes” é que mostra a cara, e olhe lá. Entretanto, sempre consegue uma votação expressiva em Imperatriz. São os votos dos eleitores que não esquecem o seu pai, o ex-prefeito e ex-deputado Davi Alves Silva, assassinado no dia 23 de setembro de 1998 pelo ex-cunhado Abraão Ribeiro. Tinha 47 anos de idade.

Em campo
De pré-candidato a prefeito a cabo eleitoral fortemente engajado na campanha do ex-prefeito Ildon Marques de Souza (PP). O vereador José Carlos Barros (Patriota), presidente da Câmara, está acompanhando o candidato em suas caminhadas pelos bairros e fazendo discursos, um empenho como se estivesse na própria campanha. Zé Carlos foi apontado com provável vice de Ildon, mas a vaga na chapa acabou ficando com Rodrigo Brasmar (PSD).

Olha aí!
A divisão do bolo do Fundo Eleitoral está causando insatisfações entre candidatos a vereador. Consta que em um partido a quantia para cada candidato era de apenas mil reais. Isso mesmo. Um dos candidatos se recusou a receber o dinheiro.

E…
O total de recursos distribuídos do Fundo Eleitoral entre as 33 agremiações para o pleito deste ano, definido pela Lei Orçamentária Anual (LOA), foi de R$ 2.034.954.823,96. O Partido dos Trabalhadores (PT) receberá o maior montante, com mais de R$ 201 milhões, seguido pelo Partido Social Liberal (PSL), com cerca de R$ 199 milhões, e pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), com aproximadamente R$ 148 milhões. Dois partidos comunicaram à Justiça Eleitoral a decisão de abrir mão dos recursos para financiar as campanhas  de seus candidatos a prefeito e a vereador nas Eleições 2020: o Partido Novo e o Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB).

Mudança
Foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira a Lei que faz alterações no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Entre as principais mudanças, que passam a valer em 180 dias, a nova versão do CTB determina que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) será válida por 10 anos para condutores até 50 anos de idade. Para aqueles entre 50 e 70 anos, renovação terá que ser feita a cada cinco anos. E no caso dos acima de 70 anos de idade, a carteira de motorista vai ter validade de três anos.  

Mudança II
Outra alteração é sobre o limite de pontos na habilitação para suspensão do direito de dirigir. Conforme proposto pelo deputado maranhense Juscelino Filho, relator do projeto, foi criada uma escala de tolerância: 40 pontos de teto para quem não tiver infração gravíssima no período de 12 meses, 30 pontos para quem possuir uma infração dessa natureza, e 20 pontos para quem tiver duas ou mais gravíssimas. Motoristas que exercem atividade profissional terão 40 pontos de limite. Em relação ao uso das cadeirinhas, a obrigatoriedade foi ampliada para crianças de até 10 anos ou 1,45 m de altura, e fica mantida a multa para quem transportá-las sem o dispositivo adequado.
Link
CORIOLANO FILHO

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO Miranda Rocha FILHO, passou a comandar a Redação depois de ter passado por praticamente todos os setores do jornal.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...