MENU

26/10/2022 às 00h00min - Atualizada em 26/10/2022 às 00h00min

Coluna do Lima Rodrigues

 
25 de outubro - Dia Mundial do Macarrão! Mercado nacional
atinge R$ 12,6 bilhões e 1,34 milhão de toneladas consumidas

Ontem, foi 25 de outubro, foi comemorado o Dia Mundial do Macarrão! Pode ser espaguete, penne, fusilli, talharim, conchiglione, farfalle, entre tantos outros formatos, o macarrão está presente em 99,5% dos lares brasileiros.
De acordo com a Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (ABIMAPI) o setor de massas alimentícias registrou aumento de 11,5% em faturamento e retração de 1,7% em volume de vendas, quando comparados com os valores de 2020 (R$ R$ 11,3 bilhões e 1,37 milhão de toneladas), atingindo R$ 12,6 bilhões e 1,34 milhão de toneladas (em 2021), respectivamente.
“O hábito de cozinhar em casa passou a ser uma atividade mais frequente e as massas seguem conquistando os lares nas principais refeições pela praticidade e conveniência”, pontua Claudio Zanão, presidente-executivo da ABIMAPI.

Instantâneas e com ovos

Segundo dados da pesquisa Nielsen, encomendada pela ABIMAPI, entre os tipos de massas que se destacaram estão as instantâneas, frescas e com ovos.
Nas massas instantâneas, o aumento de volume chegou a 3% na comparação entre 2020 e 2021, totalizando 195 mil toneladas consumidas e R$ 3,7 bilhões. Entre os fatores do bom desempenho está o impacto direto do custo-benefício, com preço unitário médio de R$1,69. O que chama mais atenção é que no ano de 2020, com as restrições severas da pandemia, esse seguimento já tinha crescido 13,5% - e mesmo com flexibilizações, não perdeu o avanço.

Massas frescas

Já as massas frescas permaneceram praticamente estável, com um recuo de apenas 1%, menos do que o conjunto total da categoria, totalizando 170 mil toneladas consumidas e um faturamento de R$ 2,8 bilhões. O potencial desse tipo de produto, no entanto, é muito grande, já que o consumo ainda segue concentrado em alguns locais com mais opções comerciais e voltado para um público de renda maior. “A massa fresca ainda tem destaque nas grandes metrópoles, principalmente em São Paulo, como um sinônimo de preparo especial”, explica Zanão.

Avanço do grupo de massas com ovos

Para entender o desempenho da categoria de massas em 2021 ainda é preciso olhar para a economia brasileira. O ano fechou com a inflação calculada pelo IBGE em dois dígitos. As contas subiram 10,06% para as famílias brasileiras, muito embora a maior parte dos salários não tenha aumentado na mesma medida, fazendo com que o poder de compra diminuísse.
O fator ajuda a explicar o avanço do grupo de massas com ovos, que, diferentemente do número global da categoria, cresceu 1% em volume e avançou em valor. O seguimento representa 37% de tudo que é consumido entre as massas alimentícias no Brasil. O diferencial é justamente o preço. Dentro dos tipos de macarrão, a massa com ovos se destaca porque tem um preço 27% menor que a média da categoria, é por isso que é um segmento que sustenta um crescimento. “Alcançamos 983 mil toneladas consumidas e um faturamento de R$ 6 bilhões”, afirma Zanão.
Para este ano, a expectativa é alcançar um crescimento de 3% a 5% em faturamento e 1% a 2% em volume. “O macarrão é um alimento relativamente barato, pertencente à cesta básica de alimentação e a população está menos capitalizada, revisando as suas prioridades de consumo”, destaca Zanão. (Mariana Ortiz – assessoria de imprensa da Abimapi)

Tecnologia e produtividade andam juntas com
o uso de modelos matemáticos na suinocultura

 “O avanço dos custos de produção de suínos exige mais eficiência em todo o ciclo produtivo, desde a escolha das matérias-primas até a definição do peso de abate, por exemplo”, alerta Raquel Araujo, gerente de Produtos Monogástricos da Trouw Nutrition.
Com esse conceito, a Trouw Nutrition explora na PorkExpo o uso de tecnologias como forma de garantir produtividade e retorno econômico aos suinocultores. O evento acontece nos dias 26 e 27 de outubro em Foz do Iguaçu (PR).
“Em meio a um cenário de dificuldades, os suinocultores não podem tomar decisões com base em suposições ou especulações. São muitas as perguntas a serem respondidas como por exemplo, é rentável aumentar o desempenho produtivo dos animais? Quais seriam as consequências de diluir as rações? E ainda maiores são o número as variáveis que afetam as respostas: custos diversos, preços voláteis, cenário geopolítico, etc. A modelagem matemática é uma ferramenta que auxilia os produtores na tomada de decisões, pois além de facilitar o entendimento da biologia de crescimento dos animais permite equacionar e predizer o resultado financeiro do negócio”, explica Héctor Martínez, Ph.D. gerente de tecnologia e inovação da Trouw Nutrition.
Hector ressalta que essa é uma tecnologia acessível, que utiliza dados que a propriedade já possui. A diferença é que com o software da empresa o produtor pode fazer muito mais, porque ao reunir as informações em um só lugar ele tem a visão do todo e pode aplicar esse conhecimento no gerenciamento diário.
“Frente ao cenário turbulento enfrentado pela atividade, essa solução proporciona um diferencial competitivo quando colocamos os números no papel. Por exemplo, aqui o produtor consegue avaliar qual matéria-prima ou subproduto tem a melhor inclusão na formulação para atender o melhor custo x benefício, de acordo com aspectos regionais e sazonais, além de, claro, as necessidades dos animais”. (Raphaela Candido – Texto Comunicação – SP).

Academia de Liderança para Mulheres do
Agronegócio forma 80 mulheres em sua 4ª edição

A Academia de Liderança para Mulheres do Agronegócio (ALMA) finaliza nesta semana mais uma edição do programa de capacitação, formando 80 mulheres. A iniciativa é da Corteva Agriscience, em parceria com a Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG) e a FIA Business School, e contribui para estimular o desenvolvimento de futuras líderes do setor. Ao todo, mais de 350 mulheres já participaram da Academia, que foi lançada em 2019.
De volta ao formato presencial, nos dias 24 e 25 de outubro, em São Paulo/SP, serão realizadas as atividades de finalização do curso (turma de 2022), com a tradicional apresentação dos projetos desenvolvidos pelas alunas, que poderão ser colocados em prática em suas localidades, exercendo seus papéis de liderança.
Os temas são de interesse das próprias mulheres e envolvem indicadores econômicos dentro de propriedades rurais, sustentabilidade e preservação do meio ambiente, uso de defensivos agrícolas, alimentos orgânicos, sucessão familiar e origem dos alimentos. “Temos muito orgulho dos temas das aulas e projetos desenvolvidos durante a Academia, pois esses conteúdos são personalizados, de acordo com as necessidades reais vividas por essas mulheres, que estão no dia a dia do campo”, conta Rosemeire do Santos, Gerente de Relações Governamentais da Corteva Agriscience no Brasil.

Jornada ALMA

A programação também inclui um momento de confraternização entre todas as participantes da Academia desde a primeira edição em 2019 e a realização da Jornada ALMA (sigla para a Academia de Liderança para Mulheres do Agronegócio), com a mesa-redonda “Perspectivas, Tendências e Futuro do Agronegócio”, com Prof. Décio Zylbersztajn e Prof. Raquel Santos Soares Menezes, as palestras “Preparando para Superar Desafios”, com Hortência Marcari, ex-jogadora de basquete, e “Conectando nossas ações”, com a jornalista Renata Maron, além da entrega dos certificados.
Uma pesquisa realizada pela Agroligadas, em 2021, que contou com o apoio da Corteva, da ABAG e do Sicredi, entrevistou mais de 400 mulheres atuantes no agronegócio, e revelou que 95% delas se preocupam em melhorar a capacitação profissional. “Com este programa, a Corteva mantém seu compromisso em acelerar o desenvolvimento das mulheres rurais, impulsionando a presença feminina no setor e estimulando cada vez mais o protagonismo feminino”, finaliza Rosemeire.
Para a ABAG, é muito gratificante fazer parte desse projeto, que está completando quatro anos esse ano fortalecendo o protagonismo das mulheres. “A ideia é cada vez mais buscar o engajamento das mulheres do agro em um processo de tomada de decisão, colocando-as em posição de destaque e fazendo com que elas consigam se sentir cada vez mais incluídas no processo de liderança das propriedades onde atuam, bem como nas entidades das suas regiões”, destacou Gislaine Balbinot, diretora executiva da ABAG. (Mecânica de Comunicação –SP).

Conexão Rural – esclarecimento

O Conexão Rural do último fim de semana foi reprisado porque tive problemas de saúde, mas já estou recuperado e me cuidando. Neste fim de semana teremos um programa inédito com destaque para a 4ª Etapa do Campeonato Paraense de Três Tambores realizada em Paragominas, a ExpoCanaã, a música de Erasmo Dibell e a música e entrevista com o pernambucano Maciel Melo, autor de inúmeros sucessos, entre os quais, Caboclo Sonhador. Aguardo vocês. Até lá.

Ah, domingo, dia 30 de outubro, domingo, exerça sua plena cidadania e vote consciente. Que tenhamos uma eleição em paz e harmonia.
Leia Também »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90