MENU

26/10/2022 às 00h00min - Atualizada em 26/10/2022 às 00h00min

Bastidores

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO Miranda Rocha FILHO, passou a comandar a Redação depois de ter passado por praticamente todos os setores do jornal.

Palma da mão 

Faltam 4 dias para a votação no segundo turno das eleições 2022. Baixe os apps da Justiça Eleitoral e tenha informação na palma da mão. Sistemas permitem obter orientação sobre onde votar, como justificar o voto, fazer denúncias e acompanhar o resultado das votações pelo país. O “Tira-Dúvidas do TSE”, ou chatbot como é conhecido, é um assistente virtual que permite que eleitoras e eleitores interajam, em tempo real, com a Corte Eleitoral para receber serviços e informações relevantes sobre o processo eleitoral por meio do WhatsApp. Tem tudo lá, desde consulta ao local de votação ou da situação do título, checagem de notícias falsas, encaminhamento para os canais de denúncias, entre outras opções. E tudo tão fácil, rápido, que até surpreende quem nunca usou. Para conversar com o assistente virtual, acesse a câmera do seu celular e aponte para o código QR na imagem acima, ou adicione o telefone +55 61 9637-1078 à sua lista de contatos do WhatsApp. Isso também pode ser feito por meio do link: wa.me/556196371078. Aí é só mandar uma mensagem para o assistente virtual e começar o diálogo. Conheça o bot do TSE no WhatsApp e compartilhe a novidade com familiares e amigos. 
 

Sistema de Alerta 

Por meio do sistema, criado pelo TSE em junho deste ano para combater a disseminação de notícias falsas, qualquer cidadão pode enviar denúncias. O canal possibilita o envio de notificações de violações de termos de uso de plataformas digitais, especificamente relacionadas com a desinformação ou disparo em massa sobre o processo eleitoral. Para fazer a denúncia é só ir na página do Sistema de Alerta, no Portal do TSE e preencher os dados solicitados. As denúncias coletadas são encaminhadas às plataformas digitais. Dependendo da gravidade, as denúncias também podem ser encaminhadas ao Ministério Público Eleitoral (MPE) e demais autoridades para a adoção das medidas legais cabíveis. O sistema não é apropriado para o apontamento de infrações eleitorais, como ilícitos na propaganda e mensagens envolvendo desinformação contra candidatos e partidos políticos. Para isso tem o Pardal.
 

Fake news

Circulam pelas redes sociais áudio e fotos com a falsa informação de que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes se encontrou, em Roma, com o filho de candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva. Trata-se de mentira, fake news. Na verdade, o ministro estava com juristas que participaram com ele de um congresso na capital italiana. Em áudio que circula no Whatsapp, um homem afirma que viu Gilmar Mendes em um restaurante e que identificou que o filho do Lula estava junto. Várias fotos foram tiradas e circulam em diferentes redes sociais com a mensagem de que o ministro estava com o filho do candidato. O ministro comentou sobre o tema em seu Twitter e informou que estava com um desembargador e um professor. “Estive em Roma no início de outubro, participando de congresso na Universidade. Foto do jantar, com o Des. Ney Bello e o Prof. Sérgio Victor. Este último, segundo fake news desesperada, seria o filho de uma personalidade política brasileira.” Como parte do Programa de Combate à Desinformação, a equipe de Comunicação do STF denunciou três posts como notícias falsas e elaborou esta nota de desmentido.
 

CPI

O deputado estadual Wellington do Curso (PSC) anunciou ontem, 25, que está avançando com a coleta de assinaturas ao requerimento para abertura da CPI da Telefonia no Maranhão. “Nós já coletamos bastante assinaturas, não posso revelar o número ainda. Mas recebo muito apoio dos deputados e acredito que nós teremos o número suficiente, até a mais, do necessário. São 14 para a abertura da CPI”, destacou o deputado, explicando que o objetivo é apurar a qualidade do serviço prestado pelas empresas.
 

 Ele disse

- “...O deputado contra o governo não consegue levar uma ponte, um poço artesiano, apesar de ter emenda impositiva. Eles querem indicar cargos nas diretorias dos hospitais, participar de órgãos do governo no município. A questão do partido é mais para disputar a eleição, não tem essa ideologia, se é esquerda, direita. A sigla não pesa muito, não”. A afirmação foi feita pelo governador Carlos Brandão (PSB), ao comentar que o PL não será oposição ao governo. O partido é comandado pelo deputado federal Josimar de Maranhãozinho, que apoiou Weverton Rocha (PDT). 
Leia Também »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90