MENU

23/09/2022 às 18h56min - Atualizada em 23/09/2022 às 18h56min

Bastidores

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO Miranda Rocha FILHO, passou a comandar a Redação depois de ter passado por praticamente todos os setores do jornal.

Irregularidades

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu nesta quinta-feira (22) o resultado do cruzamento de informações entre as prestações de contas parciais apresentadas pelos candidatos das Eleições Gerais de 2022 e os dados de órgãos de fiscalização da Administração Pública, como o TCU, a Receita Federal, o Coaf, o Ministério Público Eleitoral e a Polícia Federal. Nesta primeira rodada de análises, foram detectados 59.072 casos de doações ou gastos potencialmente irregulares, que perfazem um total de mais de R$ 605 milhões de transferências questionáveis, que precisam ser apuradas com o levantamento de provas materiais e de informações mais aprofundadas. No caso dos fornecedores de campanhas, são indícios de pagamentos irregulares quando o fornecedor é uma empresa com número reduzido de empregados ou tem pelo menos um dos sócios inscrito em programas sociais do governo, como o Auxílio Brasil. Também chama a atenção dos órgãos fiscalizadores situações em que a empresa fornecedora foi constituída em 2022 e tem um dos sócios filiado a partido político, ou com algum parentesco com candidato ou vice. Já doações eleitorais realizadas por pessoas beneficiárias de programas sociais do governo ou com renda incompatível com o valor doado foram igualmente identificadas pelo cruzamento de dados. Foram detectados, por exemplo, 190 casos de doadores desempregados e seis que constam como falecidos. Ainda despertou o interesse dos analistas 10.296 situações em que um mesmo candidato recebeu numerosas contribuições feitas por diferentes empregados de uma mesma empresa. Os casos de doações ou gastos questionáveis são encaminhados ao MP Eleitoral para serem investigados e, se forem constatadas irregularidades após o levantamento de provas materiais e de informações mais aprofundadas, poderão virar processos a serem analisados pela Justiça Eleitoral. 

Paz nas eleições 

É hora da contagem regressiva: faltam apenas oito dias para as Eleições 2022. Está no ar a Campanha Paz nas Eleições pede que a violência fique de fora da disputa eleitoral. A campanha compara o futebol com as eleições, duas festas populares e que devem ser pacíficas. Os vídeos e spots começaram a ser exibidos nesta quinta-feira (22) nas emissoras de rádio e de televisão de todo país e serão veiculados até o primeiro turno: 2 de outubro. A mensagem afirma que futebol e eleições envolvem rivalidades em que a violência não pode entrar. “O jogo tem que ser limpo!”, afirma a narradora, ao lembrar que, tanto no futebol quanto na política,“adversário não é inimigo” e que “eleição em clima amistoso é vitória da democracia”. 

Denuncie 

Combater a violência política de gênero é uma das prioridades da Justiça Eleitoral. Para isso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) possui um importante canal para receber denúncias, na página principal do Portal do Tribunal. Qualquer pessoa que tenha conhecimento da existência da prática contra a mulher pode, verbalmente ou por escrito, comunicar a ocorrência ao Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral), ao juiz ou a juíza eleitoral e/ou à autoridade policial por meio da página. É considerado crime eleitoral “assediar, constranger, humilhar, perseguir ou ameaçar, por qualquer meio, candidata a cargo eletivo ou detentora de mandato eletivo, utilizando-se de menosprezo ou discriminação à condição de mulher ou à sua cor, raça ou etnia, com a finalidade de impedir ou de dificultar a sua campanha eleitoral ou o desempenho de seu mandato eletivo”.

De volta a Timon 

Ausente de Imperatriz e região, neste sábado a ex-governadora Roseana Sarney volta a fazer campanha em Timon. Novamente acompanhada do candidato a deputado estadual Schnneyder, a candidata a deputada federal participa de uma “motocada”, a partir das 16h. Coronel Schnneyder é do MDB, com domicílio eleitoral em Timon, terceiro colégio eleitoral do Maranhão. 

Vazou!

Dia 2 de outubro se aproxima e a vaca já começa a desconhecer bezerro. Em Davinópolis, o prefeito Raimundo Coquinho (Avante) abandonou a candidatura de Weverton Rocha PDT) para apoiar o governador Carlos Brandão (PSB). O vice-prefeito, Lucas Paiva (Avante), também fez o mesmo. Aguarde que vem mais, porque são poucos os que não pulam quando sentem que o barco corre risco de naufragar…
Leia Também »
Comentários »