MENU

23/04/2022 às 00h00min - Atualizada em 23/04/2022 às 00h00min

Bastidores

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO Miranda Rocha FILHO, passou a comandar a Redação depois de ter passado por praticamente todos os setores do jornal.

Recorde

No Brasil, o voto é facultativo para os adolescentes de 16 e 17 anos, mas o interesse do jovem brasileiro pela política tem crescido nos últimos meses. Ao menos, é isso o que mostram os números de alistamentos eleitorais realizados nos três primeiros meses do ano. Entre janeiro e março de 2022, o Brasil ganhou 1.144.481 novos eleitores na faixa etária de 15 a 18 anos. A procura pelo documento é a maior registrada quando comparada às últimas Eleições Gerais, de 2018 e 2014, quando foram emitidos 877.082 e 854.838 novos títulos, respectivamente. Para o cientista político e analista do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Diogo Cruvinel, o interesse recorde dos jovens pelo primeiro título se justifica por alguns fatores. “A Justiça Eleitoral sempre realiza campanhas de conscientização e incentivo ao eleitorado como um todo, em especial aos jovens, por meio da mídia e nas escolas. Neste ano, pela primeira vez, a campanha contou com a adesão espontânea de artistas e influenciadores, que dialogam diretamente com esse eleitorado, o que ajudou a impulsionar esses números”, avalia. Segundo ele, além disso, vivemos no Brasil um momento de acirramento dos discursos políticos, com uma maior polarização. “Esse cenário tende a incentivar os jovens a terem um maior engajamento e, por consequência, procuram participar mais ativamente do processo eleitoral. E, para tanto, é necessário ter o título de eleitor. A população tem se conscientizado cada vez mais sobre isso”, analisa. Em 2022, o cadastro eleitoral seguirá aberto até o próximo dia 4 de maio, data-limite que o eleitor tem para solicitar o título, transferir o domicílio eleitoral e regularizar eventuais pendências com a Justiça Eleitoral.
 

Inquérito

Presidente, corregedora e diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão receberam nesta sexta, 22, profissionais de imprensa durante coletiva realizada na sede do órgão. Os desembargadores Joaquim Figueiredo e Angela Salazar anunciaram o pedido de abertura de inquérito por parte da Polícia Federal para apurar possível crime cometido por um eleitor ludovicense que acusou a Justiça Eleitoral de tê-lo banido como eleitor. Eles agradeceram a disponibilidade da imprensa em colaborar com a Justiça Eleitoral divulgando informações verdadeiras e úteis, sempre levando à sociedade dados conferidos, desta forma combatendo diretamente as notícias falsas.
 

Em campo

O ex-secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto (PSB), intensifica na região a sua pré-campanha rumo à Câmara Federal. Ontem, ele esteve reunido nas residências de três lideranças fortes de Montes Altos: o prefeito Domingos França, a ex-vice-prefeita Kelly Rocha e o ex-candidato a prefeito Edilson Brito. No dia 5 de maio Clayton fará em Imperatriz um ato de lançamento da sua pré-candidatura a deputado federal. Será no Vitória Eventos, a partir das 19h.  
 

Opinião

Sobre a polêmica decisão do presidente Bolsonaro em favor do deputado federal Daniel Silveira (PTB), condenado pelo STF, o ex-governador e ex-juiz federal Flávio Dino deu a seguinte opinião: - “Ato de Bolsonaro, além de uma inaceitável afronta a 10 ministros do Supremo, é absurdamente nulo. Desvio de finalidade e teoria dos motivos determinantes. Não há comoção alguma, há apenas o interesse pessoal do presidente da República de proteger seu aliado político. Lembro que a condenação desse criminoso decorreu de ameaças à integridade física de ministros do Supremo. Se prevalecer esse escandaloso decreto, o ato funcionará como estímulo a novas agressões. Ou seja, o decreto presidencial é um meio que conduzirá a novas ameaças ao STF”.
 

Austeridade

O governador do Maranhão, Carlos Brandão (PSB), assinou decreto suspendendo, até o dia 31 de dezembro, as concessões de diárias e emissões de passagens aéreas a todos os servidores, civis e militares. Os casos excepcionais serão tratados pela Casa Civil, cujo chefe é o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira.
 

Mudanças

Por enquanto, só houve duas mudanças de comando em órgãos do estado em Imperatriz, após Carlos Brandão assumir o Palácio dos Leões. Na AGEMSUL, o professor Davisson Nascimento foi substituído por Jonas Alves, presidente municipal do PT. No início do mês, o Pastor Porto deixou a Secretaria Extraordinária da Região Tocatina, mas a sua exoneração foi a pedido, porque pretende concorrer ao mandato de deputado estadual pelo Cidadania. No seu lugar assumiu o Pastor Paulo Sérgio. 
Link
Tags »
Leia Também »
Comentários »