MENU

15/01/2022 às 00h00min - Atualizada em 15/01/2022 às 00h00min

O HOMEM E A NATUREZA

 
Contextualizando a percepção com o sentimento de algo, atribuindo, vagamente… ou seja, sobre essa compatibilidade do gênero exteriorizado do “O Homem e a Natureza”...

- É uma relação face a face no cenário conflituoso do ecologismo que são denominadas pelos contratempos ambientais, tais como:

- disponibilidade de água potável;

- geração de resíduos;

- mudanças climáticas;

- degradação biodiversidade;

- e tantos outros complicadores...

Observando o fim de 2021 e o começo de 2022, quanto à situação climática e hídrica, que está causando um desarrancho danado para regiões ribeirinhas e cidades sem planejamento com o sistema de escoamento, resultante de chuvas e transbordamento abundantes.

- como o passado está sempre presente...

Nos faz lembrar quando o mestre Fiquene foi prefeito, no período de 1983 a 1989, quando enfrentou vários invernos pesados, com grandes enchentes do Rio Tocantins.

Diante das inundações de bairros alagadiços e ribeirinhos, principalmente, mandou fazer o levantamento para obter dados desde povoado “Imbiral,” até aqui  de quantas casas estavam edificadas nestas áreas de riscos.

Encontrando uma margem pra menos de 50 casas.

Qual providência que tomou para sanar toda essa situação na época decorrente desses problemas de encharcamento?

Em consequência, o prefeito em exercício construiu cinquenta unidades residenciais e distribuiu para as famílias ribeirinhas, como “moradia” definitiva.

Com um ínterim, além desses benefícios aos desalojados, que continuassem seu trabalho de sobrevivência nas suas terras com o plantio e cultivo de legumes hortaliças e outros víveres produzidos às margens do Rio, sem qualquer inconveniente.

Por certo, que a essas moradias foi dado o nome de “Vila Fiquene”, agregando todos esses desabrigados com as eventualidades cheias e aluviões, sem que a prefeitura se preocupasse, subsequentemente, com esses problemas contumazes.

Até aqui tudo nas entrelinhas da solidariedade, respeitando a inquietação e a situação de cada família dos flagelados.

Garantindo à proteção social de seus munícipes...

“Resumo da Ópera”...

Esses infitéticos, chamados de “coitadinhos”, receberam os imóveis e sem ônus, mas venderam, sem nenhuma cerimônia, fazendo disso, como se fosse a indústria das enchentes, e, ainda, capitaneada pelos que não fazem nada...

Os políticos de plantão....  festejando com a devida orgiado dinheiro público alocado para essas intempéries do tempo!
Em nome da desgraça alheia!

O poder revela o homem… (Sófocles)...

Tudo depende de vontade política... pela qual finalizo esta matéria sintetizando o que disse Nelson Rodrigues...

“Nada mais cretino e mais cretinizante do que a paixão política. E a única paixão sem grandeza, a única que é capaz de imbecilizar o homem”.

Infelizmente!!!

O final de semana chegou! Seja abençoado!
Link
BANDEIRA NETO

BANDEIRA NETO

Nelson BANDEIRA NETO é cronista e funcionário do SESI-Serviço Social da Indústria

Tags »
Leia Também »
Comentários »
Loading...