MENU

17/11/2021 às 00h00min - Atualizada em 17/11/2021 às 00h00min

Coluna do Lima Rodrigues

 

18º Expo Dom Eliseu

Com o apoio da prefeitura municipal, o Sindicato Rural de Dom Eliseu (PA) realizou de 7 a 14 de novembro a 18º Exposição Agropecuária, que contou também com a colaboração de empresas e entidades locais, como a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

A história

No início da década de 1960, com a chegada de famílias do Maranhão, Piauí, Bahia, Goiás e Minas Gerais, a vila que se formou no entroncamento das rodovias BR-010 e PA-70 (hoje BR 222), foi denominada inicialmente de km 0 (quilômetro zero), ou vila do zero, por se encontrar no exato km 0 da PA-70. Devido ao trágico acidente que vitimou em julho de 1973, o então presidente do senado Filinto Müller,  os colonos decidem renomear a vila em homenagem ao político. A vila passou a se chamar Filinto Müller. Em 14 de setembro de 1983, a vila Filinto Müller foi elevado à categoria de distrito do município de Paragominas. Por sugestão do então deputado federal  Fausto Fernandes, a vila foi novamente renomeada, dando-lhe o nome de Dom Eliseu, em homenagem ao bispo Dom Eliseu Corolli, da diocese de Bragança.  
Dom Eliseu foi emancipado do município de Paragominas em10 de maio de 1988 (há 33 anos) e conta hoje com uma população de pouco mais de 60 mil habitantes.  (Fonte: Wikipédia).

Prefeito

Em entrevista ao programa Conexão Rural, o prefeito Silon Gama destacou a importância da Expo Dom Eliseu. “Esta feira é muito importante, porque demonstra a força da agropecuária do município e contribui com o desenvolvimento e a geração de emprego e renda, ou seja, movimenta a economia da cidade. A Feira acaba atraindo também grandes empresas e investidores para o nosso município, que tem terras férteis e localização privilegiada em se tratando de localização, cortado por duas BR 010 (Belém-Brasília) e BR 222. Hoje, Dom Eliseu se destaca na produção de grãos, pecuária, reflorestamento e tem um comércio bastante forte”, afirmou o prefeito Silon.

Sindicato Rural

O presidente do Sindicato Rural, Tarcísio Burin, é de Mato Grosso do Sul e está há 21 anos em Dom Eliseu. Ele disse que passou por cidades do Mato Grosso, estado vizinho ao seu, e do Goiás, mas foi no Pará que encontrou terras férteis e escolheu Dom Eliseu por sua localização estratégica, a 400 km de um porto. “O município é muito forte na produção de grãos e trabalho com soja há 50 anos. Aqui temos terras férteis, chuva abundante, e está bem localizado, o que favorece bastante o escoamento da produção.

Expo Dom Eliseu

“Resolvemos fazer a Feira Agropecuária porque estava tudo parado há quase dois anos por causa da pandemia e precisávamos movimentar a economia do município e fortalecer ainda mais o agronegócio. E os resultados da 18º Expo Dom Eliseu foram excelentes. Agradecemos o poio da prefeitura municipal e do comércio local”, destacou Tarcísio Burin.

Expositores

Dezenas de empresas ligadas ao agronegócio marcaram presença na Expo Dom Eliseu. Entre as empresas participantes estava a Agrícola Ferrari, que tem sede em Passo Fundo (RS) e filiais em Mato Grosso, Goiás e em Paragominas, no Pará. “Trabalhamos com culturas alternativas, com destaque para o gergelim, e acreditamos no potencial agrícola do Pará. Inclusive, dias 26 e 27 de novembro vamos promover em Dom Eliseu um Dia de Campo sobre Gergelim, com a participação de produtores rurais da região e palestrantes especializados no assunto”, afirmou Ernandes Santos, diretor da Agrícola Ferrari.

Leilão

No domingo, dia 14 de novembro, foi realizado um grande leilão de animais comerciais. Produtores rurais de Dom Eliseu e de municípios da região participaram do leilão, comandado pela equipe da experiente JC Leilões, de Marabá, no Pará.

Homenagem

Com a presença do prefeito do município, Silon Gama, e da primeira dama Antônia Resende; do presidente do Sindicato Rural, Tarcísio Burin, de dirigentes e  ex-dirigentes do sindicato e lideranças políticas da região, o tesoureiro do Sindicato Rural, José Antônio, convidou o pecuarista Genilson Freitas, irmão do ex-diretor Gilberto Freitas Cavalcanti, que morreu há dois anos, e anunciou que a partir daquela data o tatersal do SPRDE passaria a ter o nome dele. Foi um momento bastante emocionante. “O Gilberto dava a vida dele por este sindicato. Chegava inclusive a dormir aqui quando estava desenvolvendo algum trabalho em prol do nosso sindicato. Por isso, esta homenagem é mais do que justa”, afirmou José Antônio.

Rodeio

O rodeio da 18ª Expo Dom Eliseu foi realizado pela Companhia Ítalo Todde de quinta-feira a domingo (14) e o campeão foi o peão Fabrício Moraes, de 20 anos, da cidade de Orizona (GO).

Destaques do Conexão Rural

O Conexão Rural do próximo fim de semana trará todos os bastidores da Expo Dom Eliseu e uma entrevista com o cantor Mano Walter, destaque da programação de shows da Feira Agropecuária.
A cobertura da Expo Dom Eliseu teve o patrocínio da Agrícola Ferrari, da Campo Nutrição Animal, de Goiânia, com forte atuação no Pará, com o apoio da prefeitura municipal.

Novembro: mês de vacinação contra aftosa
é o momento certo para pesagem do rebanho

Cerca de 78 milhões de bovinos e bubalinos, com até 24 meses de idade, devem ser vacinados em novembro. Esta é a segunda etapa de imunização obrigatória contra a febre aftosa, doença altamente transmissível que causa febre, tremores e ferimentos nos animais e, mais do que isso, compromete a produtividade e a exportação de carne bovina. A vacinação ocorre em 19 estados que não são reconhecidos como zona livre da doença. “Como os animais precisam estar contidos para receber a vacina, está aí uma excelente oportunidade para o pecuarista fazer a pesagem do seu rebanho”, propõe José Dias Rossafa, gerente nacional de vendas da Coimma.
 “Este é o momento ideal para a pesagem dos animais, uma vez que o mais difícil, o manejo, já foi feito. E esse processo é rápido, prático e com respeito ao conforto e bem-estar dos bovinos. Basta utilizar troncos de contenção modernos com balanças eletrônicas acopladas. Assim, os produtores aproveitam a contenção do gado, cumprem sua obrigação de vacinação e ganham um bônus, pois pode pesar os animais no equipamento”, assinala Zezinho, como é mais conhecido.

Pesagem periódica

A pesagem periódica é essencial para o pecuarista avaliar o desempenho do rebanho para a correta tomada de decisão em cada situação. “O acompanhamento no ganho de peso diário dos animais é ideal para manter a boa produtividade. A pesagem periódica ajuda a identificar os animais com rendimento abaixo do esperado. São aqueles que comem muito e pesam pouco, e que assim corroem o lucro da pecuária”, comenta o especialista da Coimma.
 A Coimma é líder no mercado de troncos e balanças para pecuária e oferece dois modelos de balanças portáteis para pesagem de animais, que podem ser acopladas em troncos de contenção: KM3-N com Barras de 1.150 mm e KM3 Plus com Barras de 1.150 mm.
 “Estas balanças proporcionam tranquilidade para os pecuaristas. Elas foram desenvolvidas pelo departamento de engenharia da Coimma com o objetivo principal de cooperar com o aumento de produtividade na pecuária. Sabemos a importância das pesagens e oferecemos troncos confortáveis e práticos para trabalho nas fazendas. Dessa forma, juntamos os dois equipamentos, tendo balanças tecnológicas que trabalham associadas aos troncos”, destaca Zezinho.
 Além das balanças acopláveis, a empresa desenvolveu a BalPass, balança extremamente moderna, com painéis solares para geração de energia própria. A BalPass possui a versatilidade como sua principal característica, podendo ser utilizada tanto no sistema a pasto quanto em confinamento.
 “Assim como a pesagem, a vacinação contra a febre aftosa é essencial para a produtividade no Brasil. Os pecuaristas devem entender que rebanho pesado e vacinado proporciona uma pecuária com mais qualidade e maior segurança alimentar”, completa o gerente. (Texto Comunicação – SP).
Link
Relacionadas »
Comentários »
Loading...