MENU

09/09/2021 às 00h00min - Atualizada em 09/09/2021 às 00h00min

Bastidores

Mais lenha

As manifestações de 7 de Setembro jogaram mais lenha na fogueira, principalmente com o duro discurso feito pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), notadamente direcionado ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Bolsonaro afirmou: “… Dizer a vocês, que qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes, esse presidente não mais cumprirá. A paciência do nosso povo já se esgotou, ele tem tempo ainda de pedir o seu boné e ir cuidar da sua vida. Ele, para nós, não existe mais." E acrescentou: “Sai, Alexandre de Moraes. Deixa de ser canalha. Deixa de oprimir o povo brasileiro, deixe de censurar o seu povo. Mais do que isso, nós devemos, sim, porque eu falo em nome de vocês, determinar que todos os presos políticos sejam postos em liberdade". Encerrou o discurso dizendo mandando um recado: "Preso, morto ou com vitória. Dizer aos canalhas, que eu nunca serei preso". 

Repercussão

As palavras de Bolsonaro tiveram grande repercussão no meio político. A senadora maranhense Eliziane Gama (Cidadania) disse que “quando um presidente se recusa a obedecer a uma decisão judicial é porque não obedece mais a Constituição Federal, é porque já se transformou num ditador. E quem não cumpre a lei, deve ser exemplarmente punido”. Pela ela, Bolsonaro colocou o impeachment na ordem do dia, destacando que “só nas manifestações cometeu 5 crimes de responsabilidade e mostrou seu desrespeito total à Constituição”. 

Repercussão II

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), fez um pronunciamento ontem. Disse ele que “é hora de dar um basta a esta escalada, em um infinito looping negativo. Bravatas em redes sociais, vídeos e um eterno palanque deixaram de ser um elemento virtual e passaram a impactar o dia a dia do Brasil de verdade. O Brasil que vê a gasolina chegar a 7 reais, o dólar valorizado em excesso e a redução de expectativas. Uma crise que, infelizmente, é superdimensionada pelas redes sociais, que, apesar de amplificar a democracia, estimula incitações e excessos”. Para Lira, “o único compromisso inadiável e inquestionável que temos em nosso calendário está marcado para 3 de outubro de 2022. Com as urnas eletrônicas. São nas cabines eleitorais, com sigilo e segurança, que o povo expressa sua soberania”. 

Repercussão III

Nas redes sociais, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), pediu defesa do Estado Democrático de Direito. “Ao tempo em que se celebra o Dia da Independência, expressão forte da liberdade nacional, não deixemos de compreender a nossa mais evidente dependência de algo que deve unir o Brasil: a absoluta defesa do Estado Democrático de Direito” Disse ainda que 

Ranking

O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TCE-MA) alcançou 93,30% no ranking da transparência do Poder Judiciário relativo ao ano de 2021, ficando em 7º lugar no âmbito da Justiça Eleitoral. Em 2020, esse índice foi de 84,21%. O ranking é realizado anualmente e busca valorizar os tribunais e conselhos que mais se destacam no fornecimento de informação de forma clara e organizada.

Números da pandemia

Boletim da Secretaria de Estado da Saúde (SES-MA), divulgado no final da tarde desta quarta-feira, revela que foi registrado em Imperatriz 1 novo caso de Covid-19. Dos 42 leitos de UTI, 15 estão ocupados (35,71%) e 27 livres. Dos 54 leitos clínicos, estão ocupados 22 (40,74%) e 32 livres. Desde o início da pandemia, já foram registrados 18.245 casos de Covid em Imperatriz. Novos óbitos foram registrados nas seguintes cidades: Governador Edson Lobão (1), Imperatriz (1) e São Raimundo das Mangabeiras (1). Já são 10.076 mortes em todo o Maranhão.

 
Link
CORIOLANO FILHO

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO Miranda Rocha FILHO, passou a comandar a Redação depois de ter passado por praticamente todos os setores do jornal.

Relacionadas »
Comentários »
Loading...