Yuri Martins orgulha o país há décadas com suas conquistas - Photo by Yuri Martins Dzivielevski Official Facebook Page/Divulgação

O poker já pode ser considerado uma das maiores paixões dos brasileiros. O esporte das cartas envolve muita técnica, capacidade de adaptação e força de vontade, características que os brasileiros têm de sobra e tornam os competidores tupiniquins motivo de orgulho nacional com suas conquistas.

Décadas de desenvolvimento

O boom do poker no país começou em 2003, ano em que o então competidor amador Chris Moneymaker conseguiu a proeza de vencer a World Series of Poker (WSOP), competição equivalente a Copa do Mundo da modalidade. Chris entrou no certame como zebra e só após vencer um torneio qualificatório online.

A vitória de Moneymaker lhe rendeu US$ 2,5 milhões, uma carreira de sucesso no esporte e uma legião de fãs em todos os cantos do mundo, que começaram suas respectivas jornadas no poker em busca da mesma glória alcançada pelo agora lendário atleta norte-americano.

No Brasil, não foi diferente. O país precisou de apenas cinco anos após esse crescimento gigantesco de popularidade do esporte para começar a brilhar no WSOP e produzir o seu primeiro campeão mundial.

O primeiro brasileiro a vencer o tão sonhado bracelete foi Alexandre Gomes, profissional experiente venceu em 2008 e não parou de acumular grandes títulos desde então. Em 2011, meros três anos após a primeira conquista, foi a vez de André Akkari cravar o pódio em nome de todos os brasileiros.

A conquista de Akkari representou um dos ápices da carreira do competidor paulistano, mas está longe de ser sua única conquista. Além do bracelete de campeão do WSOP, Akkari é um dos atletas mais ativos do país na modalidade e conta com inúmeros empreendimentos voltados para ensinar cada vez mais brasileiros a se destacarem nas competições do esporte.

Em 2015 foi a vez do paulista Thiago Decano subir ao topo e em 2018 foi o goiano Roberly Felicio. A vitória de Decano foi consequência direta dos seus anos de experiência em grandes eventos ao vivo e sedimentou seu lugar na história do país, mas a de Felicio, até então um competidor recreativo, surpreendeu o mundo do poker e mostrou ainda mais o alto nível do esporte nacional.

Diversos brasileiros já conseguiram conciliar carreiras de sucesso com o esporte, mas para se ter uma ideia de como Felicio se encontra na prateleira de cima da modalidade, basta mencionar que para conquistar o topo na competição e embolsar o prêmio impressionante de US$ 1 milhão ele teve que superar mais de 13 mil oponentes – todos representantes do mais alto nível de poker.

Se até 2018 os brasileiros conquistavam uma média de um bracelete a cada três anos, 2019 foi o ano em que os competidores nacionais mostraram que não estão limitados a estatísticas. Nesse ano, na histórica edição 50 do WSOP, os brasileiros Yuri Martins e Murilo Figueiredo conquistaram seus respectivos braceletes, elevando o total de campeões mundiais do Brasil para seis e garantindo que o futuro promete ainda mais conquistas.

Alexandre Gomes foi o primeiro brasileiro a se tornar campeão mundial de poker - Photo by flipchip/CC BY-SA 3.0

Brasileiros também se destacam na modalidade disputada através da internet

Não é apenas na modalidade disputada ao vivo que os competidores brasileiros brilham. O poker online cresceu muito na última década e o Brasil conta com alguns dos maiores profissionais do mundo.

Uma das melhores formas de identificar os melhores dessa modalidade disputada através da internet é a tríplice coroa online. Para conquistar uma delas, uma conquista que é amplamente considerada como uma das maiores façanhas do esporte, o jogador precisa conseguir ficar no primeiro lugar em três torneios de três sites diferentes no período de uma semana.

Vencer três torneios online em apenas sete dias já seria difícil, mas para a tríplice coroa as competições ainda precisam seguir alguns critérios. Todas precisam ser pagas (o que exclui torneios sem taxa de inscrição), ter ao menos 100 competidores e prêmio de no mínimo cinco dígitos (acima de US$ 10 mil).

Para completar, todas as informações sobre as vitórias dos competidores são checadas pela equipe do renomado site norte-americano PocketFives, principal portal responsável por checar os resultados de torneios online e uma das maiores e mais respeitadas fontes de informação do poker mundial.

Nos últimos anos, o Brasil tem sido um dos maiores vencedores de tríplices coroas. Em 2018, o país fez história ao conquistar impressionantes 16 honrarias, mais que o dobro do Reino Unido (segundo colocado) e o quádruplo da Rússia (terceiro colocado).

O feito foi alcançado por diversos craques nacionais de alto renome que já são conhecidos pelos fãs do esporte, como Ariel “ArielBahia” Bahia, Thiago “tgrigoletti” Grigoletti, Leocir “leocir25” Carneiro e muitos outros.

Em 2019, não foi diferente e novamente o país alcançou o mesmo número de tríplices coroas, mantendo a boa fase e demonstrando que os brasileiros já se consagraram no cenário internacional do poker online.

Para o cenário futuro, tudo indica que em 2020 o número de tríplices coroas pode até mesmo superar os recordes alcançados nos anos anteriores.

Até fevereiro, o país já havia conquistado três desses prêmios e em março o número chegou a cinco. Flávio Lima, competidor profissional com mais de US$ 400 mil em premiações ao longo da carreira, conquistou a primeira em janeiro.

No mesmo mês, foi a vez dos atletas Ramon Kropmanns e Matheus Abrantes alcançarem a honraria. Chama atenção o fato de que Abrantes venceu os três torneios necessários para conquistá-la em um único dia.

Não ocorreram conquistas em fevereiro, mas na primeira semana de março tivemos Caio Mayrinck e Gabriel Moura com apenas quatro dias cada para cravar a mesma honraria.

Vale mencionar que, até o momento, o PocketFives distribuiu apenas nove tríplices coroas, o que significa que os competidores brasileiros são responsáveis por garantir mais da metade desses importantes prêmios. Considerando os resultados dos anos anteriores, tudo indica que os atletas tupiniquins devem conquistar ainda mais prêmios no online.

Futuro do país no poker sugere ainda mais conquistas

Com poucas décadas de tradição no poker o Brasil já se encontra completamente instalado no topo dos países que praticam o esporte. O nível de excelência, tanto na modalidade ao vivo quanto na online, do país não para de aumentar e o futuro deve guardar ainda mais conquistas para orgulhar a nação.