Se perguntasse a um leigo no assunto por que Paris é uma das cidades mais visitadas do mundo, certamente não saberia responder. Com certeza a resposta correta seria porque Paris, capital da França, é uma cidade que respira cultura: a capital francesa lidera o ranking de galerias de arte (são mais de mil), museus e bibliotecas públicas.

A França continua sendo o País mais visitado do mundo, com cerca de 82 milhões de turistas estrangeiros por ano. A importância dessa atividade turística se deve, principalmente, à grande diversidade de sua natureza, à beleza das suas paisagens, à autenticidade de seus vilarejos – bem como à riqueza de seu patrimônio cultural (museus e monumentos históricos). A França é também o terceiro país, depois dos Estados Unidos e da Espanha, a tirar do turismo a maior parte da sua receita.

Resumindo, a palavra que bem caracteriza o motivo pelo qual turistas de todas as partes do mundo escolhem Paris para o laser chama-se: cultura!

E a nossa Imperatriz, carinhosamente chamada de “Princesinha do Tocantins”, com seus 164 anos de existência o que tem para oferecer ao turista em termos de cultura? Nada, quase nada!

Talvez a maioria da nossa população ainda não se deu conta de que a nossa cidade possui 8 instituições de ensino superior, sendo 3 públicas e 5 privadas com 15 mil estudantes matriculados, oriundos de vários municípios vizinhos incluindo dos Estados do Pará e Tocantins. Esse número por si só revela que, diferentemente do que muitos pensam, a nossa cidade possui sim uma grande vocação para se tornar um pólo de ensino superior. Isso, também, significa cultura!

Soma-se ainda a esse potencial, vários estabelecimentos de ensino fundamental e médio da rede pública e privada cuja qualidade de ensino pode ser comparada aos grandes centros do País.

Como prova disso, posso afirmar que meus 3 filhos (Juliana, Luciana e Daladier) estudaram em escolas de ensino fundamental e médio da nossa cidade, e ao cursarem estabelecimento de ensino superior em outro grande centro de ensino do nosso País não tiveram nenhuma dificuldade, o que demonstra a excelente qualidade e o compromisso com a excelência do ensino das escolas de Imperatriz.

Mesmo diante desses dados que nos enche de orgulho, podemos afirmar que em se tratando de cultura a nossa cidade é literalmente órfã, uma vez que não dispomos de uma biblioteca nem de um museu a altura das necessidades e do crescente desenvolvimento de Imperatriz.

Mas, qual a importância de uma Biblioteca e um Museu Público para o desenvolvimento da cultura de uma cidade? A resposta é muito simples e pode ser traduzida nas célebres palavras do autor do Jeca Tatu, do Saci, da Cuca, da boneca Emília, do Visconde de Sabugosa, da Narizinho, do Pedrinho, da Tia Nastácia, da Dona Benta, entre outros, ou seja, nas palavras do imortal MONTEIRO LOBATO (1882 - 1948): “Um país se faz com homens e livros”.

Uma Biblioteca Pública bem estruturada e em funcionamento é condição básica de sustentação de um ensino de qualidade, onde a repetência e a evasão escolar são predominantes nas escolas de baixa qualidade de ensino e  que não utilizam a biblioteca como suporte de ensino/aprendizagem. Essa é a triste realidade em nossa cidade!

O valor da biblioteca para a educação está na sua indissociabilidade. Enquanto a escola é o vínculo iniciador da instrução ou educação formal, a biblioteca a complementa. Ensino e biblioteca não se excluem, completam-se, e uma escola sem biblioteca é um instrumento imperfeito. A biblioteca sem ensino, sem a tentativa de estimular, coordenar e organizar a leitura será um instrumento vago e incerto.

Um dos serviços da Biblioteca Pública perante a sua comunidade é a introdução de projetos culturais, atendendo ao seu objetivo de disseminar a cultura e a leitura aos seus usuários. A realização de projetos culturais de leitura em bibliotecas já faz parte do leque de atividades destas e coincidem quanto ao objetivo principal, que é incentivar a leitura e a cultura na comunidade.

Os museus, por sua vez, a partir de suas características, apresentam-se como instrumento de preservação da memória cultural de uma sociedade, bem como são responsáveis pelo patrimônio natural e cultura, material ou imaterial.

Os museus são responsáveis por colecionar e preservar os objetos que possui grande valor histórico cultural que trazem consigo uma grande parte da memória coletiva de uma determinada comunidade.

Portanto, Biblioteca e Museu Público se complementam quando se fala em cultura.

Durante o período da propaganda eleitoral os candidatos ao cargo de Prefeito de Imperatriz pouco falaram sobre o incentivo a cultura e, muito menos, em construção de uma Biblioteca e um Museu Municipal que a nossa cidade já reclama há muito tempo.

O que se viu foram propostas genéricas, onde não se tratou como seriam angariados recursos para sua efetiva implementação, e algumas dessas propostas sem qualquer relação com a responsabilidade específica dos Municípios, como a equivocada criação da Guarda Municipal, fato este que revela a falta de preparo da maioria dos candidatos.

Por fim, diante da importância de uma Biblioteca e de um Museu Municipal como instrumentos que coincidem quanto ao objetivo principal de incentivar a leitura e a cultura na comunidade, e ainda, de preservar a memória coletiva de uma determinada comunidade, algumas perguntas devem ser feitas aos postulantes ao cargo de Prefeito de Imperatriz, dentre elas destaco as seguintes:

a) Você estaria disposto a falar com os Senadores, Deputados Federais e Estaduais de partidos políticos diferentes do seu, além do Governador do Estado, a fim de obter recursos das emendas parlamentares, com o objetivo de construir a Biblioteca e o Museu Municipal em nossa cidade, mesmo que essa atitude pudesse lhe causar desgaste político?

b) Você estaria disposto a reduzir a quantidade dos famigerados “cargos comissionados” – também conhecidos por “cargos de confiança”, que ferem mortalmente o princípio da moralidade pública, a fim de economizar esses preciosos recursos públicos com o objetivo de aplicá-los na construção da Biblioteca e do Museu Municipal em nossa cidade, mesmo que essa atitude pudesse lhe causar desgaste político?

c) Você, candidato(a) a Prefeito(a) de Imperatriz, além da construção da Biblioteca e do Museu Municipal em nossa cidade, estaria disposto a dotar todas as escolas do Município de uma biblioteca básica com livros em quantidade e qualidade necessários, a fim de incentivar a leitura e a cultura na comunidade, reduzindo a repetência e a evasão escolar?

d) Por fim, Sr(a) candidato(a) a Prefeito(a), estaria disposto a excluir de sua reforma administrativa o cargo de “Secretário Adjunto”, a fim de economizar esses preciosos recurso público, e durante o seu mandado, construir com recursos próprios a tão sonhada Biblioteca e Museu Municipal dentro dos padrões modernos de qualidade, estimulando assim a cultura e o gosto pela leitura na população bem como a preservação da memória coletiva de nossa comunidade, mesmo que essa atitude pudesse lhe causar desgaste político, principalmente na Câmara Municipal, onde geralmente os Srs. Vereadores são ávidos por cargos na Administração Municipal?

Com a palavra, os(as) candidatos(as) ao cargo de Prefeito(a) de Imperatriz!

P. S.: Dedico esse artigo ao cidadão-eleitor de nosso querido Município de Imperatriz, na certeza de que saberá honrar o seu maior e mais precioso instrumento de construção de uma sociedade onde os valores de igualdade, fraternidade, justiça social e solidariedade possam verdadeiramente existir – o VOTO!