Nelson Bandeira

Nelson Bandeira

AS LETRAS SE “INTICANDO”...

Hoje, 19 de outubro, próximo ao desfecho do ano de (2019); os CONFRADES estão realizando antecipadamente sua CONFRATERNIZAÇÃO, isto mesmo! Para evitar falta de data, viagens compromissos e outros afazeres dos congregados.

Houve muito lengalenga sobre este encontro fraternal, ao ponto de que seria um disse-me-disse nada disso é verdade; embora haja certas letras de nomes de confrades se INTICANDO amistosamente.

O que não falta são provocações de alguém visando uma reação da letra {A ao Z} dos nomes próprios; é irritação sobre política, animais, posição social, entre tantas outras implicações atiçamentos e emburramentos.

...

leia mais +

CARIMBAÇO...

Imperatriz tem uma moléstia bacteriana que provoca estrago na visão dos administradores e/ou autoridades públicas. Como exemplo: demarcação de estacionamento nas vias de acessos da cidade.

Como prova de uma delas, fica numa das esquinas da Rua Ceará com Aquiles Lisboa, como “área devoluta que faz esse desserviço todos os dias, inclusive nas barbas dos nossos guardas de trânsito do município.

Já edificaram um “Guarda Bicicleta” em cima do passadiço; como aqui, todo mundo faz o que quer; o ilegal – hipoteticamente, legal.  Cadê o Código de Posturas?...

Está no mausoléu como ...

leia mais +

SANTA TERESA D’ÁVILA

Em 06 de Outubro iniciam-se os festejos de “SANTA TERESA D’ÀVILA”, extensivos até o dia 15 corrente. Respeitosamente, em homenagem a Padroeira dos Imperatrizenses.

Gozando de determinados privilégios por ser fundadora da Igreja Matriz, da qual leva seu mais glorificado nome – como intercessora junta de Deus.

E contemplada de tantos bons adjetivos como protetora, defensora, que protege... clamemos de tua ajuda, para intervir junto aos nossos mandatários, representantes e ao povo, por mais consciência, educação, humanização e que faça desta terra, como real tutora,  como é a grandeza do teu nome.

leia mais +

CADÊ O PIJAMA?

No texto passado falou-se sobre “Chambres e Balandraus”, que se manifestou com intermitências nas tradições milenares, seculares e centenárias, dilapidadas pelo próprio homem; contradizendo das funções de garantia desses preceitos bastante cultuados pelos seus seguidores ao longo da história.

Agora vamos viajar com o povo da antiga “Pérsia”, lá pra bandas do Irã, a respeito do uso do PIJAMA; isso mais ou menos pelo século XVI, onde a nobreza fazia desta veste para o descanso à noite.

Aqui no Brasil, este modelo veio pelos idos de 1970, literalmente, com um porém: só depois dos ...

leia mais +

A IMPORTÂNCIA DA RITUALÍSTICA

Quanto ao conjunto de práticas cultuado por tradições costumes e normais para diferentes cerimonias – se o passado não fosse modificado – ainda, teríamos belas demonstrações de como exercitava a ritualística, principalmente, nas Igrejas Lojas Maçônicas e dentre outras organizações.

Esses hábitos vêm sofrendo modificações nas gestões direcionais, com um remendo aqui e outro acolá, enfeando toda a liturgia do ato, começando pelos próprios paramentos.

Loja Maçônica: quando iniciei não era permitido o uso de chambre e/ou balandrau. A vestimenta era terno preto, calça preta, camisa branca e gravata preta e tipo borboleta para ...

leia mais +

FEITIÇOS DOS EXUS...

Meu caro leitor, não tem jeito de escutar e não fazer a leitura do que se passa neste Mercadinho, de tantas versões, contradições, amarrações, martírios, alucinações até simpatia para o amor...

O termo isolado dentro da oração, não faz parte do sujeito e nem do predicado, só como destaque,... Significando dizer: um pote cheio de espíritos – que estes videntes, cartomantes, ciganos, fazem de seus trabalhos para atraiçoar os benditos vivos de pouca fé.

Nada é de graça! Tem a contra partida (dindim), e o consultado muitas das vezes sai de lá todo desorientado, ...

leia mais +

RANDEZ-VOUS...

Esta palavra é de origem francesa. Na língua portuguesa significa encontro - como naqueles idos era tudo rústico – ou seja, na jovialidade de nossos pais e avós... com a evolução dos tempos, diacronicamente RANDEZ-VOUS ficou-se chamando de cabaré, prostíbulo lupanar.

Ao começar pela roupa íntima da mulher, era apelidada de sunga, em vez de calcinha... trazia em cada lado doze botões de osso puro, para a devida segurança da perseguida, além da anágua,  vestido bem cumprido, resistente...

O seu autodomínio era inquestionável; a prova que naquela época não se via falar em ...

leia mais +

O LERO-LERO DA FEIRA LIVRE...

Tem-se o costume de ir olhar os modos subjetivos como se desenvolve e rola a Feira Livre do Mercadinho de muito papo-furado e conversa-fiada nos finais de semana.

Genericamente chamado de “retalho” com venda de produtos, ou seja, direta ao comprador final, como verduras e frutas, vários tipos, hortaliças, queijos, requeijões, cereais - arroz, feijão, fava e farinha, entre outros – CDs, DVDs e diversificados congêneres, que são expostos nas velhas bancas de madeiras.

Aos domingos, o movimento é geral – desencaixe carregado – as 7h da manhã o discotequeiro abre os trabalhos colocando ...

leia mais +