Nelson Bandeira

Nelson Bandeira

FAMILIA E CONFRARIA AGRADECEM...

A família Bandeira, na pessoa de seu patrono cognominado de Olímpão, com sua Confraria – bem-agradecido - pela cumplicidade do notável Ildon Marques, em homenageá-lo com jantar para este imperatrizense de 93 anos idade e estendido aos demais convidados.

Tudo isso representa uma história e com reciprocidade provida destes dois cidadãos incomuns; que fizeram da virtude o objetivar de uma amizade sem interesses subalternos.

Todavia, como primogênito da linhagem familiar tradicional referendada, não deixaria de elevar nossos agradecimentos, não importando a distância, e sim a atenção e o respeito ora demonstrado pelo aliado amigo ...

leia mais +

SIMPLESMENTE FALTA DE RESPEITO...

Somente isso. É vergonhoso, decepcionante, ver a população brasileira pedindo clamor numa fila em portas dos hospitais públicos; enquanto a Câmara Federal gastou com um de seus deputados o valor de R$ 157.000,00, para tratar da boquinha dele, afetada por...

Gengivite, periodontite, afta, halitose, candidíase, endocardite bacteriana; isto está parecendo com “paiol” de bacilos e bactérias naquela casa de leis, exposta a saúde frágil dos 513 representantes, sem levar em consideração o escroto salário mensal de R$ 33.763,00, que lhes são pagos, religiosamente.

Em detrimento a população que fica mendigando nos corredores dos Socorrões ...

leia mais +

O VOO DO CABURÉ

O brasileiro, com toda sua ginga e malandragem, acha que estrangeiros, por exemplo, americano, que não manja a língua portuguesa, o singulariza como bobo da “corte”, usando suas peripécias e cambalachos para calotear.

O diabo que a mulher de origem Tupy faz mais caminho de que formiga “saúva”, ao ponto de encontrar lá pela América do Norte ou mesmo na Europa, o seu amado pé de pano... Como elas são bastante atiçadas, endoida qualquer gringo desorientado.

As sanguessugas são passadas no “mel de tiúba”, adocicada, conquistadora, afoita igual espírito de cigana, lê o presente ...

leia mais +

HÓSPEDE DE CALÇADA

O quadro fotogênico não é dos melhores. Nas ruas ou no “miolo” do centro da cidade, sempre tem um “hóspede de calçada”; é o retrato dilacerante do alcoolismo, transformando-se num farrapo humano...

Nenhuma autoridade governamental, secretarias, instituições de serviços, se sensibilizam, pelo menos, de entender que esta situação é caracterizada de saúde pública.

Segundo a Lei nº 8.080/1990, no seu Art. 2º - “A saúde é direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício”.

Não! O que mais se ouve no rádio e televisão ...

leia mais +

O MOÍDO DA CIDADE GRANDE...

Uma delas chama-se Imperatriz. Diante de sua grandeza, localizada como Região Metropolitana (Sudoeste) Maranhense e não no SUL... A geografia tem que ser revista para não cometerem erros elementares quando se tratar de sua descrição.

Quando usamos a expressão “moída” é para qualificar os problemas persistentes que levam ao estado sem semelhança com nenhum outro – sui generis – com exceção de sua potencialidade.

Vamos fazer alusão às coisas mais recentes: Cavalgada – queria entender o que tem carroça neste contexto, embora puxada por animais; no entanto, é uma marcha, galope de um ...

leia mais +

PESCADOR QUASE SE LASCA

Há pessoas muito ambiciosas, especialmente quando se trata de pescador amador. Foi o que aconteceu numa pescaria de JAÚ que fizermos no rio Araguari, no estado do Amapá (Macapá).

Este peixe é um vertebrado, também conhecido como jundiá-do-lago. Vive nas águas do rio Amazonas e do Paraná, principalmente, considerado os dos maiores da fauna brasileira.

Um amigo nos convidou para essa empreitada. Como aprecio a folia do vai-e-vem da pesca, fomos até lá. Roteiro pronto, local escolhido, cachoeira do paredão, habitat natural desse animal, deles pesam mais de 100 quilos.

Fomos levados ...

leia mais +

PIRANHAS!

A imagem é muito fotogênica – mas quando zangada saia de baixo, porque o estrago é feio. A Piranha é um peixe carnívoro e originário de águas doces.   

Olha só que o Mercadinho aludiu-se a fazer com esta contextualização; quando o epílogo fez (o desfecho da história), comparando a mulher com este vertebrado de rios riachos e lagos...

Qual a leitura que se faz disso? Os inditosos ou desafortunados de causas semelhantes, compartilharam com o declínio da vida de solteiro até o compromisso de casamento, que se obrigaria a vivenciar de três passagens ...

leia mais +

VAMOS À ESCOLA

Solidarizando-se com as evocações memórias ou recordações – fazer vir a si - Reminiscência - de um passado há mais de meio século.

Imperatriz crescente... À época não se tinha telefone, televisão, internet, celular, com exceção dos Correios, aonde as missivas chegavam ao lombo de animais para os seus respectivos destinos.

Talvez a sapiência humana não acreditasse que a modernidade e tecnologia chegassem com tanta rapidez, a tal ponto de achatar a subjetividade dos tempos do aprendizado educacional (tudo aquilo que é próprio do sujeito) individualmente.

Portanto, passados cinquenta anos, Imperatriz tinha ...

leia mais +