Crônica da Cidade

Crônica da Cidade

Lembrando Marielle

Marielle Francisco da Silva, conhecida como Marielle Franco, foi socióloga, feminista, defensora dos direitos humanos, política brasileira, e, nesta condição, exerceu a função de assessora parlamentar por mais de uma década, além de ter sido a 5ª vereadora mais votada nas eleições municipais do Rio de Janeiro, de 2016. Em face da sua intransigente defesa desses valores humanos, Marielle, vereadora do PSOL, foi brutalmente executada por bandidos, até este momento não identificados pela nossa diligente Polícia Judiciária brasileira e pelo nosso combativo Ministério Público. Apenas lamenta-se. Assassinato ocorrido no dia 14 de março de 2018, numa noite de ...

leia mais +

Um discurso exaltado

Cansei das férias. Minto: não é bem isso. As férias me cansaram. Ou pode até ser que elas se cansaram de mim. Saí para bem longe de São Luís. Que grave heresia, diriam alguns incautos: deixar entregues aos turistas esse nosso mar que banha com dedicação amorosa as nossas belas praias e o vento que nos lambe com afetividade canina para amenizar o forte calor solar. Lembrei-me do nosso hiperbólico cronista Nelson Rodrigues, ultimamente esquecido, que afirmava: “O brasileiro é um feriado”. E ressaltava em O óbvio ululante: - Vi isso, anteontem, e de repente. Era uma terça-feira ...

leia mais +

Oligarquias

Não sei por que, todas as vezes que encontro a palavra oligarquia, me vem de imediato à mente, com reiteração obsessiva, a palavra confraria. Aí fico num zanzar mental: oligarquia, confraria; confraria, oligarquia. Dessa minha obsessão mais fonética que semântica, tento encontrar razões que justifiquem essa associação. Talvez a causa esteja deslocada no tempo. Pensei, em singela especulação, que confraria fosse alguma espécie de governo de amigos, como até mesmo me afirmara um velho conhecido, numa rápida troca de ideias. Mas, após algumas insistentes perquirições, cheguei a uma conclusão simplista, que me foi dada pelo Dicionário Escolar da Língua Portuguesa. ...

leia mais +

Em Tempo de Copa

Fui sempre um apreciador do ludopédio, palavra esta que sofre da vaidade de ser sofisticada, com jeitinho esnobe, usada avilsareiramente pelos dicionaristas, e que o vulgo, como nós outros, tem dela nenhuma ideia do que seja. Mas, estamos em pleno momento de euforia da prática do ludopédio. Bem, se não quiserem ludopédio, vale balípodo, ou mesmo o tradicionalíssimo futebol. O Brasil, denominado por muitos entendidos por pátria de chuteiras, clichê recorrente e adequado pela circunstância ora vivenciada por todos nós, está com 200 milhões de torcedores na Rússia, que já congregara a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, ou ...

leia mais +

Chico!, Dona Ivone eterna, como seu sonho!

Sonho meu, sonho meu / Vai buscar quem mora longe, sonho meu / Vai mostrar esta saudade, sonho meu / Com a sua liberdade, sonho meu (...) Traz a pureza de um samba / Um samba que mexe o corpo da gente / E o vento vadio embalando a flor. Com o lirismo desses versos e a melodia que os faz eternos, Dona Ivone Lara nunca passará, Chico. Tudo passará. Os céus e terra passarão. Mas o encantamento poético se eterniza na arte que nos embala e nos faz sonhar que o mundo é de todos os poetas: ...

leia mais +

O Estado foi feito para o homem

Nos tempos antigos, bem antigos, havia aqueles, e eram muitos, que guardavam o sábado. Nada faziam. Só respiravam, porquanto não havia como se livrarem desse ato biológico natural que lhes garantia viver. Sétimo dia: o Nosso Senhor resolveu descansar da labuta de ter criado o mundo, incluindo o homem e, de quebra, da costela, fez nascer a mulher. No poema O dia da criação, o poetinha Vinicius de Moraes, faz referência a esse momento glorioso do advento do ser humano ao mundo: Tudo isso porque o Senhor cismou em não descansar no Sexto Dia e sim no Sétimo ...

leia mais +

"Caminhoneiro é trabalhador. Não anarquista."

Sei, por deduções óbvias, que uma boa parte, senão a totalidade, da turma do "golpeachment" do recentíssimo ano de 2016, que integra a chamada elite do atraso, na coerente e atual acepção do sociólogo, filósofo e psicanalista Jessé Souza, está ruminando impropérios contra os caminhoneiros e, por extensão, aos seus empregadores. A frase em epígrafe muito apropriadamente é do presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos. Vejam bem: quem já andou pelas estradas desse imenso Brasil, sabe o quanto esses homens e mulheres sofrem transportando carga de um lugar para outro. Muitas vezes, carregando consigo a família, numa ...

leia mais +

O legado de Temer?!

Absorto, como sempre o faço, estava fazendo a leitura da revista CartaCapital, que tem à frente esse bravo e combativo jornalista Mino Carta, e inteirava-me dos fatos que as outras semanárias escondem. Fiquei sabendo que a nossa pátria amada se encontra em depressão econômica, embora o meu bolso já tivesse sentido o impacto cruel dessa situação que tem atingido milhões de brasileiros, ora desempregados, ora subempregados, ora na informalidade, e ora no ora, ora. Fiquei ainda sabendo que o ministro do STF, Alexandre de Moraes, determinou a baixa às instâncias judiciais, de Minas Gerais, o inquérito que envolve ...

leia mais +