Imbróglio

O assunto do momento na política maranhense é a intervenção do comando nacional do PSDB no diretório do Maranhão, atendendo pedido do ex-prefeito e ex-deputado federal Sebastião Madeira. O vice-governador Carlos Brandão, atualmente presidente do partido, desafiou Madeira e o senador Roberto Rocha a disputarem no voto, em convenção marcada para o dia 11 de novembro, o comando estadual do PSDB. Madeira não aceita, alegando que Brandão aparelhou o partido “com empregados do governo Flávio Dino”. Para o tucano, o partido não pode ficar em um palanque onde é chamado de “golpista, de futi”. Carlos Brandão está se esperneando e o caso pode até parar na justiça, já que em nível de partido não tem mais jeito. A sua preocupação maior não é perder o PSDB, e sim a possibilidade de continuar na chapa de Flávio Dino. Sem o partido, se torna impossível, inclusive porque já há outros partidos do arco de aliança do PCdoB se movimentando pela vaga de vice. É aguardar os próximos capítulos da novela.

Revoada

Com a intervenção no PSDB, provavelmente vários tucanos já comprometidos com a reeleição de Flávio Dino deixarão o partido. Mas a sigla deve ganhar outros reforços. Aliás, começou com a filiação do senador Roberto Rocha, há um mês. E em breve terá a volta do ex-vereador Esmerahdson de Pinho. Em Imperatriz, seria pequena a baixa, pois tem-se visto os tucanos mantendo lealdade ao ex-prefeito Madeira. Para ele, o tucano que quiser apoiar Flávio Dino terá que ir para o PT, PCdoB ou PDT.

E...

Distante da polêmica, o ex-prefeito Ildon Marques de Souza vai se ajeitando para as disputas das eleições do próximo ano. Com a mudança radical, passando a apoiar Flávio Dino (PCdoB), fortalece a sua pretensão de chegar à Câmara dos Deputados e “ajeita” os seus companheiros no governo, com a criação da Agência Executiva Metropolitana do Sudoeste do Maranhão, sediada em Imperatriz.

Prazo

Os pretensos candidatos às eleições de 2018 ainda têm muito tempo para pensar sobre troca de partido. O prazo é até seis meses antes do pleito, portanto no início de abril. Daqui pra lá vão analisando os prós e contras para chegarem a uma saída que achar melhor.

Na disputa

“Apenas uma catástrofe seria capaz de me tirar da disputa... Não tenho medo de concorrer jamais, estou pronta e preparada para a eleição”. Palavras atribuídas à ex-governadora Roseana Sarney (PMDB).

Solidário

O deputado Waldir Maranhão, do PP de Paulo Maluf, foi recebido pela cúpula estadual do PT. Ele foi prestar solidariedade aos petistas devido à pichação da sede do partido, em São Luís, com símbolos e frases enaltecendo o deputado Jair Bolsonaro, pré-candidato à Presidência da República. O PT considerou uma “ação antidemocrática e criminosa”.

Violência

Conforme pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 61.619 mortes violentas foram registradas no Brasil em 2016. O resultado é recorde na história do país e representa um aumento de 3,8% em relação a 2015. O presidente da CCJ do Senado, Edison Lobão, classificou o número de “alarmante” e informou que a comissão está avaliando quais as propostas, entre 130 projetos na área de segurança pública, que podem ser votadas em breve.