Polêmica
 
A implantação da “faixa azul” em várias ruas da cidade está sendo o assunto predominante nas sessões da Câmara. Alguns vereadores se posicionam contrários e outros a favor, mas apontando o que consideram exagero na abrangência da medida. O vereador João Silva, por exemplo, se posicionou favorável mas com restrição, e destacou que “a câmara não pode nem chiar, porque aprovou o projeto. O prefeito está respaldado como padre para celebrar a missa”. Silva também criticou os colegas, afirmando que alguns “não leem e nem discutem as matérias”. Ele solicitou que o secretário de Trânsito seja convocado para explicar a medida. Pelo que foi divulgado, na rua Coronel Manoel Bandeira seria da Santa Teresa à Benedito Leite. Os moradores do trecho teriam que pagar para estacionar na sua porta. O vereador Adhemar Junior quer saber se a faixa seria contínua ou não. Vale lembrar que o ex-prefeito Ildon Marques implantou o estacionamento rotativo, mas apenas no centro comercial, não gerando tanta polêmica como agora. “A cidade toda não pode ficar azul”, afirmou Adhemar.
 
Omissão?
 
“Uma câmara funciona ou tem que fechar as portas”. Palavras do vereador João Silva, ao reclamar que a Casa está omissa em relação a certos problemas. Silva era defensor ferrenho do Poder Executivo, mas depois que se tornou aliado do governo estadual passou a ser crítico da administração Assis Ramos. Inclusive sugerindo criação de CPI.
 
Olha aí!
 
O vereador Chiquim da Diferro denunciou da tribuna, ontem, que uma mulher com a “bacia” quebrada, em função de acidente em Buriticupu, não conseguiu atendimento no Hospital Macrorregional de Imperatriz. Conseguiu no Hospital Municipal, o Socorrão, apesar da grande demanda, já que recebe pacientes não só da região, mas do Tocantins e Pará.
 
Correção
 
No tópico “Entenda”, da coluna de ontem, leia-se vereadora Terezinha Soares, e não Terezinha Fernandes.
 
Apoio
 
O deputado federal Junior Marreca (PEN) terá um significativo apoio em Imperatriz na busca da reeleição. Já são vários os apoiadores, dos quais cinco vereadores – Bebé Taxista, Zé Carlos, Ditola Castro, Fábio Hernandez e Paulinho Lobão. Marreca tem direcionado emendas parlamentares para Imperatriz.
 
Insistência
 
O PT maranhense ainda não desistiu. Quer fechar aliança com o PCdoB do governador Flávio Dino, mas exige uma vaga na chapa majoritária – vice ou Senado. Uma nota nesse sentido foi divulgada pelo PT, com assinaturas dos presidentes das Executivas nacional, estadual e municipal (São Luís). Ocorre que Flávio Dino já bateu o martelo: manteve Carlos Brandão como vice e escolheu os deputados Weverton Rocha e Eliziane Gama para o Senado.
- Vai mesmo como um mero figurante?
 
Protesto
 
O deputado estadual César Pires (PV) criticou o governo do estado por “impor prejuízos salariais aos professores estaduais na votação da Medida Provisória 272, que desrespeita o Estatuto do Magistério”. Ele chegou a apresentar uma emenda à MP para manter a data-base e reajuste salarial linear para a categoria, mas teve sua proposta rejeitada pelos parlamentares governistas. Pires destacou que o governo impôs reajustes diferenciados para a categoria, de forma parcelada e sem respeitar a data-base, não retroagindo a janeiro. Para o deputado estadual Eduardo Braide (PMN), a MP cria classes diferentes de professores ao conceder reajustes diferenciados, dependendo do nível, e isso é ilegal. Os professores lotaram as galerias da Assembleia e protestaram. Um ato está marcado para esta sexta-feira, em frente ao Palácio dos Leões.