Esquentou

As articulações estão intensas em torno da eleição da Câmara Municipal de Imperatriz, que foi antecipada para o próximo dia 12, terça-feira. De um lado, o grupo apoiado pelo prefeito Assis Ramos (PMDB) e do outro, o liderado pelo presidente da Casa, José Carlos Barros (PV), candidato à reeleição. Consta que integrantes do Palácio dos Leões também iriam entrar em ação, favoráveis a Zé Carlos. Ontem pela manhã estiveram na Câmara secretários municipais, entre eles Marlon Moura (Governo) e Fidélis Uchoa (Urbanismo). Mas este argumentou que estava tratando do Plano Diretor. A verdade é que o jogo está duro. Uma vereadora disse que estava “sem saber o que dizer” para quem ela não votará. O grupo que enfrentará Zé Carlos ainda não definiu o nome do candidato a presidente. São especulados Fábio Hernandez, João Silva, Adhemar Jr. e Hamilton Miranda.

Repercussão

Causou repercussão em todo o estado o assassinato do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzin, de 79 anos e pai do deputado estadual Rigo Teles. Naquela cidade, o clima é de tristeza e revolta. A população quer uma resposta do governo estadual, com a elucidação do crime e a prisão dos envolvidos. Nenzin foi três vezes prefeito de Barra do Corda. Na última eleição, o seu filho, Junior do Nenzin (PV), perdeu para o prefeito Eric Costa (PCdoB).

Repercussão II

A ex-governadora Roseana Sarney lamentou a morte do ex-prefeito Nenzin, esperando que a polícia descubra os culpados e a justiça aja com rigor. “Foi uma tristeza muito grande saber do assassinato do meu sempre amigo Nenzin. Um homem que trabalhou pelo seu povo, se dedicou para melhorar a vida das pessoas, só fez o bem pela sua cidade e sua gente não merecia uma morte trágica e violenta”, afirmou Roseana, prometendo ir ao enterro do líder político. O prefeito Barra do Corda, Eric Costa, divulgou uma nota solidarizando-se com a família e destacando que Nenzin “construiu uma extensa história política no estado do Maranhão”. Foi decretado luto oficial de três dias em Barra do Corda. Deputados federais e estaduais repercutiram em Plenário o bárbaro crime.

Perplexos

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM) revelou que “os prefeitos e ex-prefeitos maranhenses estão perplexos com o violento episódio, que deixa uma mancha de sangue na política do Maranhão”. A entidade se solidarizou com a família e reivindicou à Secretaria da Segurança Pública “total empenho na elucidação do assassinato”.

Firme

A vereadora Terezinha Soares, embora do PSDB, não apoiará o ex-prefeito Sebastião Madeira para deputado federal. Ela reafirmou ontem que vai apoiar o deputado Cleber Verde (PRB).

Polícia

Na sessão de ontem, alguns vereadores abordaram o episódio que aconteceu em uma escola estadual, em que policiais militares foram obrigados a usar a força para retirar um estudante da sala de aula. Suspeito de ter pego a chave da moto de um colega, ele reagiu à abordagem, desacatando os policiais. O vereador Ricardo Seidel, que se posicionou favorável à atitude dos militares, apelou para que volte a Ronda Escolar, atividade policial ostensiva voltada à segurança de alunos e professores.

FPM

Por unanimidade, ontem o Plenário do Senado aprovou a PEC 29/2017, que eleva em 1% o repasse da União ao Fundo de Participação dos Municípios, relativo ao Imposto de Renda e ao IPI. Após acordo, a votação da PEC foi realizada em dois turnos, e segue agora para análise da Câmara. O acréscimo de receita deverá ser repassado em setembro de cada ano. A estimativa é de que, com a proposta, as transferências aos municípios via FPM possam chegar a R$ 5,6 bilhões em 2021.